sábado, 18 de julho de 2020

Resenha Um Gosto de Amor de Susan Mallery.


Título: Um Gosto de Amor.
Série: Irmãs Keyes.
Autora: Susan Mallery.
Número de páginas: 349.
Ano de lançamento: 2011.
Compras da Cath´s.

Sinopse:
Se ela tivesse uma vida mais de pecadora do que de santa… “Responsabilidade” deveria ser um dos sobrenomes de Nicole Keyes. Afinal, não é todo mundo que se dispõe a sacrificar a própria vida para comandar a confeitaria da família e educar Jesse, a irmã caçula. Mas agora que Claire, sua gêmea, está alegremente casada enquanto Jesse deixa para trás o jeito de menina da casa de lado para se tornar uma femme fatale, a superconfiante Nicole cansou de colocar as necessidades dos outros antes das suas! Até Hawk entrar na sua vida. Ao lado do ex-jogador de futebol americano Nicole sente o gosto da liberdade que sempre buscou. Hawk parece conhecer de cor o caminho para seu coração, mas ela não vai deixá-lo se aproximar demais a ponto de parti-lo. Porém, é claro que se o passado dele continuar vivo no presente, ela não terá muita escolha…

Opinião:

Uma ida ao shopping fez eu descobrir por um acaso que estava tendo uma feirinha de livros em promoções. Como boa leitora lá fui eu investigar o que tinha de interessante e acabei dando de cara com esse livro da Susan Mallery.

Já havia lido três livros dela e adorado, então é claro que o comprei, ainda mais levando em conta que paguei R$ 10,00 por ele.

Contudo, tenho que iniciar a resenha avisando que esse é o segundo livro da série Irmãs Keyes e não li o primeiro ainda.

Em Um Gosto de Amor conhecemos Nicole Keyes, proprietária de uma confeitaria antiga na família, que criou desde pequena sua irmã mais nova Jesse e a pouco tempo se reconectou com sua irmã gêmea, Claire.

Nicole está em um momento dark da sua vida, visto que pegou Jesse aos beijos com seu marido, agora ex-marido. Então o humor dela não está nada bom quando um jovem tenta furtar donuts na sua confeitaria.

Porém, é assim que ela acaba conhecendo Hawk, ex-jogador de futebol americano, e agora técnico de colégio, que vai até a confeitaria tentar convencê-la a não dar queixa do seu aluno que tentou furtar os donuts.

Embora haja clichês, já que rola uma atração instantânea entre Nicole e Hawk, o livro se aprofunda muito bem nos personagens.

Nicole está magoada e é uma pessoa com gênio forte, que sabe que é auto suficiente e não precisa abaixar a cabeça para ninguém. Hawk é acostumado a ter as coisas do jeito dele e não tem o hábito de rever suas atitudes, mas acaba tendo que mudar isso.

Posso adiantar que nada é calmo nesse "relacionamento". Nicole acaba se responsabilizando pelo jovem que tentou roubar os donuts e Hawk tem que rever o modo como criou sua filha antes que seja tarde de mais. No meio de todo relacionamento tem muito auê e a história é bem fluída.

Li a obra em dois dias. É uma leitura cativante e que te faz nem perceber que já passou horas lendo. Os personagens principais e secundários são bem construídos e você nota que a história poderia realmente acontecer na vida real, embora, claro, tenha seus toques de romance puramente literário.

Se você gosta de romance te indico esse livro, pois eu descobri que tenho uma quedinha pelos livros dessa autora, que conquistou seu espaço no meu coração literário.


Ele provavelmente estava certo, pensou Nicole, recuando e sentindo uma súbita vontade de chorar. A explosão emocional não tinha nada a ver com Hank e tudo a ver com seu passado recente. O corpo desejava, mas a alma e o coração estavam frágeis demais.

- Deixe-me imaginar. Você está partindo para se descobrir. Bem, quer saber de uma coisa? Seus problemas irão junto com você. Entrarão em sua mala e ficarão muito à vontade quando você a desfizer. Não pode escapar das consequências do que fez, Jesse. Deveria ficar e descobrir as respostas aqui.

- Às vezes não me importo, mas outras vezes odeio que tenha sido assim. Quando estava na escola secundária havia tantas coisas que eu queria fazer, mas não podia, porque tinha de me levantar cedo para ajudar na confeitaria. As manhãs eram muito ocupadas, por isso eu não podia ficar fora até tarde da noite. Também queria poder ir ao cinema, mas tinha de estar em casa depois da escola para tomar conta de Jesse.

Hawk ficou parado no meio de sua sala de estar, vendo-a de verdade pela primeira vez em anos. Tudo continuava exatamente como quando Serena ainda estava viva. Os quadros nas paredes, a mobília, as fotografias. Até mesmo os malditos coelhos de cerâmica que ele sempre odiara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário