sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Resenha Sedução da Seda de Loretta Chase.


Título: Sedução da Seda.
Autora: Loretta Chase.
Série: As Modistas # 1.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 304.
Ano de lançamento: 2016.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Talentosa e ambiciosa, a modista Marcelline Noirot é a mais velha das três irmãs proprietárias de um refinado ateliê londrino. E só mesmo seu requinte impecável pode salvar a dama mais malvestida da cidade: lady Clara Fairfax, futura noiva do duque de Clevedon. Tornar-se a modista de lady Clara significa prestígio instantâneo. Mas, para alcançar esse objetivo, Marcelline primeiro deve convencer o próprio Clevedon, um homem cuja fama de imoralidade é quase tão grande quanto sua fortuna. O duque se considera um especialista na arte da sedução, mas madame Noirot também tem suas cartas na manga e não hesitará em usá-las. Contudo, o que se inicia como um flerte por interesse pode se tornar uma paixão ardente. E Londres talvez seja pequena demais para conter essas chamas. Primeiro livro da série As Modistas, Sedução da seda é como um vestido minuciosamente desenhado por Loretta Chase: de cores suaves e românticas em alguns trechos, mas adornado com os detalhes perfeitos para seduzir.

Opinião:

Como tenho uma tendência a estranheza, li o segundo livro da série antes do primeiro. Acontece que me apaixonei pela escrita da Loretta e então passei a leitura do primeiro livro. Já adianto que ele não me decepcionou.

As três irmãs Noirot são mulheres nada convencionais para a época em que vivem. São independentes e modistas muito competentes.

Porém elas precisavam de uma estrela para chamar atenção da cidade para suas roupas e assim surge um plano.

Marcelline resolve viajar para convencer o Duque de Clevedon, a quando voltar a cidade, levar seu noiva Lady Clara Fairfax ao seu ateliê.

Considerando que é um romance de época, você já pode adivinhar que essa história não vai acabar bem (ou vai).

Marcelline consegue atrair o Duque com seus vestidos, mas não é somente por eles que Clevedon se sente atraído.

A partir da atração que surge entre eles, Clevedon se vê correndo atrás de Marcelline mesmo sem querer e ela se sente cada vez mais envolvida embora lute contra esse sentimento, pois o que deveria interessar era ter a Lady Clara como cliente, e como ter uma cliente depois de roubar o noivo dela?!

Não se pode dizer que os livros da Loretta são entediantes. Os personagens estão sempre se metendo em confusão ou tendo discussões acaloradas e às vezes muito doidas.

Marcelline e Clevedon conquistam como pessoas individuais e como casal.

É interessante aproveitar o livro para analisar como naquela época os homens tinham vida bem mais fácil que as mulheres e como não podemos jogar fora o avanço que várias pessoas lutaram para conseguir em um mundo machista. Temos que ir em frente e lutar pela igualdade sempre.

Mas voltando ao livro, ainda tem as aparições das outras irmãs Noirot que são sempre interessantes.

Enfim, ao longo da vida já li muitos livros de época e Loretta veio para balançar as estruturas do gênero e mostrar temperamentos fortes femininos naquela época. É como um sopro de leveza em um gênero que estava se repetindo muito. Indico totalmente a obra.



As pessoas viraram o pescoço para olhá-la. Homens dirigiam suas carruagens umas de encontro às outras. Os que estavam a pé batiam a cabeça nos postes, ou uns nos outros. E ela se divertia bastante com tudo aquilo, disso ele não tinha a menor dúvida.
Mas uma costureira? Uma lojista qualquer não era o habitual para Clevedon e qualquer coisa incomum poderia dar um tom diferente aos mexericos. Com esses pensamentos, ela chegou ao andar térreo. Não fizeram nada para acalmar a agitação que sentiam.

-  Tão delicado. Uma das coisas que sempre admirei em você é sua recusa em me tratar com uma mulherzinha imbecil. Em suas cartas, você fala o que sente. Ou, pelo menos, pensei que o fizesse. Bem, talvez você não me conte tudo mesmo.

Não faz mal, disse a si mesma. Sua filha estava viva. Suas irmãs estavam vivas. Começariam de novo. Depois daquela noite, as damas passariam a bater à sua porta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário