quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Resenha Branca de Neve - Os Contos Clássicos.


Título: Branca de Neve.
Autor: Vários Autores.
Editora: Generale.
Número de páginas: 210.
Ano de lançamento: 2012.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Entre os diversos autores presentes na publicação organizada por Alexandre Callari estão, os irmãos Grimm, o aristocrata Giambattista Basile, os folcloristas Joseph Jacobs, Laura Gonzenbach, Thomas Frederick Crane e Ernst Ludwig Rochholz, o romancista Alexandre Pushkin, além de um conto do próprio Alexandre Callari, que deu via a sua própria Branca de Neve, recontando a história da bela de uma maneira peculiar. As histórias de cada autor se passam nas mais variadas regiões europeias e abordam diversos temas bem atuais e humanos como a inveja, ciúme, traição e mentira, algumas com uma pitada de romance, terror, suspense e até mesmo tragédia. Todos os contos presentes no livro vêm com um comentário e análises que visam o entendimento dos elementos que compõem suas origens, já que as narrativas contém um pouco do folclore de diversos países como a Itália, Alemanha, Suíça, Escócia, Rússia, entre outros locais. Além de incorporar sua própria história sobre a Branca de Neve, Alexandre Callari também comenta sobre as variações da história e da própria personagem ao longo de cada conto e cada versão, analisando também os filmes com a personagem, desde o primeiro lançado em 1902 até os que estão prestes a serem lançados.

Opinião:

Oi gente, vim aqui para escrever sobre um clássico. Ouso dizer que uma das minhas histórias preferidas. Estamos falando de quem?!? Uma menina linda com a pele branca como a neve, lábios vermelhos como o sangue e cabelo pretos como ébano... Sim! A Branca de Neve em todas suas características peculiares.

Mas esse livro não conta a história que a maioria conhece, que é o famoso conto de fadas  da Disney. Nesse caso a obra é dividida em 3 partes. 

1ª Parte: Contam como surgiu a história e dizem que pelo fato de antigamente os romances passarem de pessoa para pessoa sem registo físico, inclusive, atravessando os países, eles iam mudando e incorporando algumas características da região.
Já adianto, que li os contos e a essência não muda: uma jovem muito bela que sempre corre risco de vida por causa da inveja de outra pessoa. 
Porém, existem algumas variações, exemplificando, nem sempre tem os anões, teve história que mostrou que em determinada região a bigamia era aceita e nem sempre era a madrasta que queria a morte da jovem. 

2ª Parte: Nos mostra que a história continua evoluindo e tendo variações, um pouco mais sutis e se tornando um pouco mais comercial, pois mostra inúmeras peças de teatro que foram feitas a partir do conto e também os filmes, incluindo até os mais recentes.

3ª Parte: Um conto totalmente novo com o nome: Mundo dos espelhos - Lobos, Sangue e Neve.

Confesso que demorei um pouco para ler este livro, pois os contos são muito estranhos diante da imagem que tinha da Branca de Neve. Embora muitos saibam sobre os Irmãos Grimm e que eles tem uma versão mais macabra sobre a história, tem coisa bem pior que foram contadas antes por outros autores. Em alguns momentos, parei e fiquei pensando, meu deus como as pessoas conseguiam ser criativas a esse ponto e tinha que me lembrar que originalmente o conto era para adultos, contado em grandes salões para entreter o povo da cidade.

Por fim, quanto a aparência do livro, absolutamente tudo a declarar!! Capa totalmente no tema, contem muitas ilustrações e todas as páginas tem uma borda detalhada. 


Havia um viúvo que tinha uma filha. A menina tinha entre 10 e 12 anos de idade. Seu pai a mandou para a escola e como ela estava totalmente sozinha no mundo, sempre a elogiava para a professora.

Era uma vez, um rei que tinha uma esposa cujo nome era Árvore-Prateada, e uma filha cujo nome era Árvore- Dourada. Certo dia, Árvore-Dourada e Árvore-Prateada fora a um vale estreito onde havia uma nascente, e nela havia uma truta.

Era uma vez, em meio ao inverno, quando flocos de neve caíam como plumas do céu, uma bela rainha, sentada ao pé de sua janela cuja madeira era feita de ébano escuro. Enquanto bordava, ela olhou para os flocos caindo e picou o dedo com sua agulha. Três gotas de sangue se derramaram na neve. O vermelho sobre o branco era tão lindo, que ela pensou: "Se ao menos eu tivesse uma filha tão alva como a neve, tão carmesim como o sangue e tão negra quanto esta moldura!"
Clique na imagem para aumentá-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário