domingo, 13 de maio de 2018

Resenha O Último Adeus de Abbi Glines.


Título: O Último Adeus.
Série: Rosemary Beach.
Autora: Abbi Glines.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 224.
Ano de lançamento: 2017.

Sinopse:
River Kipling, mais conhecido como Capitão, está em Rosemary Beach para montar um restaurante de luxo para seu patrão. Dono de um passado sórdido e de um presente misterioso, ele não vê a hora de concluir o trabalho e ir embora da cidade para realizar seu sonho: abrir um negócio próprio à beira-mar num lugar onde ninguém tenha ouvido falar dele. Mas, quando Capitão conhece Rose Henderson, sua ânsia de partir de repente fica em segundo plano. Há algo na risada dela que é familiar demais, e o modo como ela olha para ele o faz lembrar de alguém importante que perdeu há muito tempo. No entanto, a única coisa que Rose revela é que é uma mãe solteira que trabalha duro para sustentar a filha. Enquanto tenta desvendar os segredos da linda ruiva de óculos engraçadinhos e curvas estonteantes e entender por que ela mexe tanto com seus sentimentos, Capitão precisa fugir da marcação cerrada de Elle, a ex-namorada que não mede esforços para afastá-lo de Rose. Ao mesmo tempo, tem que encarar os fantasmas de seu passado para se tornar um homem melhor e construir um futuro do qual possa se orgulhar. Nesta sequência da série Rosemary Beach, Abbi Glines mais uma vez escreve uma narrativa ardente e emocionante. Com personagens verossímeis e heróis imperfeitos, O último adeus fala sobre o inesgotável poder de transformação do amor.

Opinião:

Em "O Último Adeus", Capitão se encontra em Rosemary Beach temporariamente enquanto organiza a abertura de um restaurante, mas planeja assim que possível ir embora em seu barco.

Ocorre que ele contratou como funcionária Rose Henderson, que na verdade é Addy, alguém do seu passado que está analisando se ele é digno de voltar para sua vida.

Dessa forma, para passar despercebida, Addy mudou a cor dos cabelos e colocou óculos, contando que os anos afastados impediriam que River (nome verdadeiro do Capitão) a reconheceria.

Porém, aos poucos a presença de Rose começa a fazer Capitão se lembrar cada vez mais de Addy, o seu amor de infância que mudou toda sua vida, o que gera certas briguinhas entre ele e os funcionários, principalmente com o chefe da cozinha que tem uma paixonite por Rose.

Logo no início do livro fica claro que Addy voltou, pois teve uma filha com River, e quer saber se vale a pena deixar ele entrar na vida da criança. Além, é claro, de ainda amá-lo.

Já posso antecipar que a história dos dois é bem triste e que não foi culpa deles ficarem separados tanto tempo, ao menos não propositalmente.

Contudo, no decorrer da obra eles vão ter que esclarecer os maus entendidos e ainda ver se Addy conseguirá aceitar o passado recente de Capitão e as mortes que este carrega.

Este é um livro que não tem tantas cenas de sexo quanto o normal da autora, o que eu sempre gosto, pois às vezes as cenas ficam bem repetitivas.

Ainda, como tem que ser explicado todo o passado dos dois, existe vários flashbacks, alguns bem fofinhos, mostrando como crianças/adolescentes podem ser inocentes mesmo vivendo em meio ao caos.

Também existe cenas fofas, considerando que Franny, filha de River e Addy, ainda é criança. Mas não se preocupem, pois como todos livros da Abbi que já li, o romance está sempre presente.

Pessoalmente, gostei do livro, achei uma leitura fácil e fofinha, embora às vezes ache que Abbi exagera na ficção e peca em convencer os leitores de algumas coisas.

Por fim, bom lembrar que a letra é grande, sem exageros, então o livro é rapidinho de ler, sem ter que forçar a visão (e olha que tenho a mania de não ligar luzes quando vou ler, acho que meu extinto de livros de vampiro permanece, pois não curto muita luz ligada não, haha).



Eu me levantei, respirei fundo e tentei acalmar meu coração acelerado. Em seguida, tirei os óculos e coloquei sobre a mesa. Não fazia sentido usá-los agora. Quando vim para cá, sabia que esse dia chegaria. Havia me preparado para isso por diversas vezes nos últimos anos. Mas, agora, me dei conta que a gente não consegue realmente se preparar para algo assim.



Deixar Rosemary Beach não era mais o plano. Aceitei isso na mesma hora. Ter tempo para poder ficar com Franny e Addy era a minha prioridade. Queria apresentá-las a minha irmã e trazê-las para o meu mundo. Mas Addy precisava de mais coisas antes disso. Ela não era mais a mesma garota confiante que me procurava para qualquer coisa. Meu peito doía só de pensar. Eu queria aquilo de volta. Queria que ela olhasse para mim como se soubesse que eu tornaria tudo melhor. Sabia que ela era forte. Meu Deus, ela já tinha provado isso pela forma como havia sobrevivido e criado nossa filha. Ela era tão mais forte do que eu imaginava...



Eu não deixaria que ele a magoasse também. Havia permitido que ele entrasse no mundo dela, e ele seria o que ela precisava. Eu me certificaria disso.

Clique na imagem para aumentá-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário