quinta-feira, 17 de maio de 2018

Resenha A Sereia de Kiera Cass.


Título: A Sereia.
Autora: Kiera Cass.
Editora: Seguinte.
Número de páginas: 328.
Ano de lançamento: 2016.
Compras da Cath`s.

Sinopse:
Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, precisa usar sua voz para atrair as pessoas para se afogarem no mar. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo o que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar pois a voz da sereia é fatal , logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, Kahlen será obrigada a abandonar Akinli para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, ela está determinada a seguir seu coração.

Opinião:

O livro começa com um naufrágio no navio em que Kahlen se encontra. O acidente na verdade é causado por sereias, que cantam atraindo as pessoas para o mar.

Acontece que é proposto para Kahlen que invés de se afogar com os tripulantes, incluindo sua família, vire uma sereia e trabalhe por cem anos para a Água. Após esse tempo poderá viver sua vida como humana, sendo a memória anterior retirada de si.

Nessa obra temos uma visão diferente de sereias. Elas não tem caudas, são humanas, mais lindas que o normal, que  conseguem viver e respirar dentro da Água.

Após a introdução, o livro passa a narrar a vida de Kahlen quando faltam vinte anos para seu tempo acabar.

Ela vivia com suas irmãs sereias chamadas Miaka e Elizabeth em Miami e passeava pela faculdade, principalmente, pela biblioteca. Assim, é na biblioteca que ela conhece Akinli. 

Antes, necessário explicar que Kahlen não mantinha muito contato com humanos, pois eles não podiamm ouvir as vozes das sereias sem desejarem se entregar a Água.

Então, para surpresa de Kahlen, Akinli não se assusta quando vê que ela não fala e depois de mais um reencontro, marcam um outro para fazerem um bolo.

É meio óbvio que vai rolar um romance entre os dois, mas para sorte dos leitores Kahlen não é aquelas protagonistas alienadas e reconhece o perigo que é se envolver com um humano no quesito romance.

A partir disso, vão acontecer várias coisas e você vai entrar de cabeça nessa história da Água. E acreditem, no livro a Água conversa com as sereias.

Em resumo, gostei da obra, só achei o começo um pouco arrastado, mas depois que passa essa parte a leitura flui.

A capa é linda, mas nem preciso dizer isso né? Antes de comprá-lo, quando vi na internet, já achava ela linda.


- Fico feliz de você ir para algum lugar além da biblioteca e do parque, mas não sei se está se arriscando de verdade se for só pra ficar sentada.

Carinhas felizes. Ele mandava várias. Se viessem de qualquer outra pessoa, seriam ridículas, mas eu tinha certeza de que, se ele mandava uma, era porque estava sorrindo de verdade.

Tentei não pensar no próximo canto, que já estava chegando. Eu conseguia sentir a dor dEla, uma dor de fome. Wla aguentaria o quanto pudesse, por nós, mas não demoraria muito.

A Água me levou tão fundo que a ansiedade da morte era esmagadora. Na tentativa de afastar o pânico crescente, pensei em Akinli, na certeza de que ele acordaria e ficaria bem. Relembrei cada detalhe do nosso dia, desejando que a bondade dele fosse a última lembrança que eu levasse para o túmulo.

Clique na imagem para aumentá-la.

Um comentário:

  1. Olá
    Li esse livro ano passado (ganhei num sorteio) e fiquei apaixonada. Já conhecia a escrita da Kiera e achei esse ainda melhor. Sim. Achei esse melhor.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir