sábado, 27 de janeiro de 2018

Resenha Vai lá e faz de Tiago Mattos.


Título: Vai Lá e Faz.
Autor: Tiago Mattos.
Editora: Belas Letras.
Número de páginas: 320.
Ano de lançamento: 2017.
Cortesia da editora.


Sinopse: O mundo está cheio de histórias de empreendedores que começaram do nada. Tiago Mattos, um dos maiores futuristas brasileiros, formado pela Singularity – a universidade erguida no Vale do Silício pelo Google em parceria com a Nasa – vai te mostrar neste livro que, sim, você pode criar uma empresa bem-sucedida do zero se tiver o mindset certo e entender como o mundo está mudando. Porque nunca foi tão fácil fazer. Nunca foi tão fácil fazer um livro, uma música, um filme, uma reunião dos colegas do ensino médio, uma passeata, um partido político, uma casa, um carro, uma declaração de amor, uma viagem ao redor do mundo. Nunca foi tão fácil fazer uma empresa. Nunca foi tão fácil entender que ninguém fará o mundo que você quer por você. Só você.

Opinião:

Esse livro é muito diferente do que estamos acostumados aqui no blog, pois ele não conta nenhuma história, ele é um livro de estudo, para quem quer aprender algumas coisas de como investir em um antigo ou novo negócio ou em como gerenciar seu tempo e ideias.

A obra contém muitas dicas para quem quer ser empreendedor. Mostra como as coisas estão mudando na era digital e o quanto é difícil e complicado tirar ideias do papel. O livro é direcionado inicialmente para quem está afim de abrir algum negócio. Ele analisa vários tópicos muito interessantes e é tudo muito bem ilustrado e com ótimos exemplos.

Caso você seja uma pessoas muito criativa, dona de uma ideia e que não sabe como colocar ela na prática, no livro são apresentadas várias ferramentas para organizar e gerenciar nossa forma de pensar. Ele ensina como dar os primeiros passos no empreendimento, como criar algumas metas, como identificar possíveis clientes. O livro te estimula e mostra que qualquer um com um pouco de iniciativa e vontade de crescer tem a capacidade de se tornar um bom empresário.

Conseguimos ver também a evolução do mercado e novos métodos de pesquisa, bem como a apresentação para o produto ou serviço que iremos oferecer, pois temos que saber analisar se determinada área não está saturada. Ainda, também é muito importante a parte de apresentação, afinal de contas hoje tudo se torna mais simples e fácil com o uso da nossa querida internet.

Agora se você não quer abrir uma empresa e é um estudante, dona de casa, profissional de alguma área específica, conseguimos identificar que é possível usar algumas das dicas e ferramentas para melhorar o seu desempenho, começando sempre com uma base infalível: o simples e  bom planejamento e organização. 

A leitura é muito interessante, embora um pouco arrastada, pois são muitas coisas que temos que prestar atenção. O livro é bem colorido e ilustrado deixando o mesmo bem dinâmico. A editora está de parabéns, pois as ultimas obras que recebi estão em um formato bem diferente de disposição nas páginas, deixando os livros muito bonitos.

Se dizer que o mundo mudou é discurso de muitos, responder o que mudou é uma tarefa que poucos se aventuraram a enfrentar. Essa é uma questão extremamente complexa. E com pelo menos três agravantes. Primeiro: porque o mundo não mudou. O mundo está mudando. Segundo: porque estamos dentro do fenômeno e somos parte relevante dele. Terceiro: como não cometer um erro de avaliação, quando – ao que tudo indica – o fenômeno está só começando? Como dar a dimensão exata do mar, se estamos surfando uma onda que mal se formou?
Já que estamos falando de uma mudança de Era, que tal mudarmos também a nossa fonte de consulta? Que tal, em vez de irmos para os livros de negócios, gestão e história, nós olharmos para dentro do próprio fenômeno? E se nós, por exemplo, consultássemos a Wikipedia para ver o que ela diz a respeito?  
Multidisciplinaridade é a capacidade de realizar várias atividades diferentes, que exigem skills diferentes. É a capacidade de mudar de chip. Mas se você quiser que elas sejam bem executadas, você deve fazê-las com concentração e dedicação, uma por vez. Multidisciplinaridade não é um polvo. É um camaleão. 


Clique na imagem para aumentá-la.

Um comentário:

  1. Oi, Pri.
    Acredito que eu não tenha esse espírito empreendedor, apesar de ter algumas ideias de vez em quando. Mas eu gosto de ler a respeito disso.
    Acho que eu iria curtir essa leitura.
    Bjs!
    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir