terça-feira, 21 de março de 2017

Resenha Seres do Além de Clayton de La Vie.



Título: Seres do Além.
Autor: Clayton de La Vie.
Editora: Fonzie.
Ano de lançamento: 2016.
Número de páginas: 402.
Disponibilizado via E-book pela Editora.

Sinopse:
Uma única missão leva os irmãos Christine, Nicolas e David Richard a se embrenharem por caminhos tortos de um Mundo Mágico, onde desvendam os segredos relacionados à morte de sua mãe e se veem em um cenário repleto de mentiras e jogos de poder. Além dos tradicionais elementos mágicos, Seres do Além reúne uma variedade de aspectos culturais humanos e também aborda uma mitologia própria. Esqueça a sua definição sobre o bem e o mal, pois, no universo criado pelo autor paulista Clayton De La Vie, ambos se confundem; em certos momentos tornam-se um.

Opinião:

Genteee... Comecei a ler esse livro e comecei a comparar, sei que é uma coisa ruim, mas são muitas citações, venham comigo e vejam o que vocês acham:

São três irmãos Cristina, Nicolas e David, eles são bruxos, mas ainda não sabem, pois sua mãe Diana foi morta quando eles eram pequenos e os três acabaram crescendo no mundo humano. Os três são bem descritos, ela parece ser cérebro do grupo, um dos irmãos o músculo e o mais novo é o mais sensível deles e ele é ruivo. Alguém mais notou coincidências aqui? Eles descobrem sobre o seu passado quando um bruxo vai em busca deles, para eles voltarem para o mundo mágico.

O cenário utilizado para entrar em San Martin, a cidade mágica, foi o Cristo Redentor, eles viajam através de névoa e vassouras voadoras, atravessam uma porta e lá encontram todos os seres que vocês possam imaginar, incluindo deuses e oráculos.

Nessa cidade eles descobrem um organização secreta chamada C.I.A (Central de Investigação a Assombrações), eles precisam passar por um treinamento de 3 meses, para adquirirem habilidades mágicas e passar por um teste para ver se são capazes de cumprir sua verdadeira tarefa: os três precisam salvar a Fênix Hórus das mãos de um antigo feiticeiro (Felix), pois dentro dela habita um espírito ancião que pode destruir todo o mundo conforme é conhecido.

No meio de sua aventura, eles descobrem que esse feiticeiro coincidentemente é o mesmo autor da morte da mãe deles, e isso acaba agravando e as vezes até prejudicando alguns julgamentos sobre o que deve ser feito, de como devem agir.

Será que eles vão conseguir resgatar a Fênix? Será que o poder recém descoberto não irá transformá-los em simples vingadores??? Espero que vocês leiam e descubram assim como eu o fim dessa história, cheia de mistérios e aventuras.

Como não posso falar do aspecto físico do livro, tenho que ir por outro lado, a capa tem jeito de ser muito bonita e chama muita atenção, a escrita do autor é muito detalhada e isso acaba cansando um pouco o leitor, pois é muita informação sobre ambientes, roupas, movimentos que EU acho desnecessário, também não consegui decorar o nome de grande parte dos personagens. Notei que o autor perdia um pouco o foco da história, uma hora ele estava muito bem contando a história, quando em determinado momento aparecia um amuleto, então ele saia da história principal e começava a contar detalhadamente como ele era feito, quem fazia, quais os materiais usados e para que o objeto servia, isso as vezes ocupava páginas ao invés de algo breve. Por fim, vi alguns erros de digitação, mas nada que atrapalhasse a leitura.



O chão estremeceu, e Christine cambaleou para a direita, mas continuou em pé, imponente. O quarteto atravessou a colossal porta, que se fechou com um baque surdo. Todos, menos Gabriel, sentiram uma dor de cabeça espantosa, os seus estômagos começaram a revirar, e a dor ficou cada vez mais intensa conforme os segundos caíam; todos naquela hora desejaram que a dor passasse... que dormissem... que morressem...
Os irmãos Richard deram uma olhada pela vitrine e contemplaram tesouras e secadores executando o serviço sem esforço manual. Provavelmente estão enfeitiçados, pensaram. Enquanto andavam pela rua cada vez mais estreita devido ao acúmulo de pessoas, crianças eufóricas esbarravam nos novos visitantes.
Do solo emergiu uma mulher com a beleza mais graciosa que Otávio tinha visto até então. Seus cabelos caíam ondulados pelos ombros e encontravam o seu vestido longo mesclando-se como se fossem uma só essência. As roupas eram em tons claros de azul, e as bordas das mangas eram de um vermelho intenso. Não tinha nenhum adorno em seus pés, mas uma pedra ametista bailava sobre a sua fronte. Seus olhos eram escuros como a noite; os seus lábios, finos como a tênue linha que separa o céu e o mar. A sua pele era morena em tom de cacau, e as suas orelhas eram afiadas como lanças.

2 comentários:

  1. Oi Pri!
    Pela capa e sinopse, imaginava se tratar de um livro de terror, não de fantasia. Em alguns pontos parece fantástico, por ser de um escritor paulista e ser ambientado no Brasil, mas não tem mesmo como evitar as comparações com HP, pela resenha me pareceu até uma fan fiction. Sei que em fantasia, as vezes é essencial que cenas e objetos sejam detalhados, mas quando isso acontece o tempo todo torna a leitura bem maçante e cansativa. Mas fiquei curiosa para saber mais sobre o final.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Pri!
    Gosto muito dos livros de fantasia que trazem bruxos como protagonista e fiquei triste em saber que o autor se perdeu um pouco na história, mas ainda assim, daria uma chance para a leitura.
    “Não há nada bom nem mau a não ser estas duas coisas: a sabedoria que é um bem e a ignorância que é um mal.” (Platão)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir