sábado, 11 de fevereiro de 2017

Resenha Solomon Kane de Robert E. Howard.


Título: Solomon Kane.
Autor: Robert E. Howard.
Editora: Generale.
Número de Páginas: 256.
Ano de Lançamento: 2015.
Cortesia da editora.

Sinopse:
'Solomon Kane - A Saga Completa' é uma obra na qual o leitor terá oportunidade de conhecer diversas aventuras de Solomon Kane, o famoso puritano inglês. Histórias repletas de fantasia, seres demoníacos e misteriosos, além de batalhas épicas.Após o lançamento de Conan, o Bárbaro, a Generale traz para o público brasileiro uma coletânea de contos de Robert E. Howard sobre Solomon Kane. Neste livro, são também publicadas cartas do arquivo pessoal do autor, incluindo a correspondência enviada por seu pai a H. P. Lovecraft, um tocante relato sobre o suicídio de Howard.Conheça as histórias que inspiraram grandes autores e roteiristas e que serviram de base para o filme Solomon Kane - O Caçador de Demônios. Leitura obrigatória para fãs de leitura de fantasia e do gênero espada e feitiçaria.
Opinião:

Solomon Kane é um puritano, um homem temente a Deus e se posso ousar dizer, um justiceiro. Ele faz justiça com as próprias mãos e está sempre disposto a se vingar pelos mais fracos ou arrumar uma solução em benefício de um povo, mesmo que estas soluções sejam sempre bem sangrentas. Apesar de que algumas vezes, o final sangrento faz sentido... Como no conto As Caveiras nas Estrelas, onde o fantasma de um jovem brutalmente assassinado atormenta uma estrada buscando vingança pelo seu assassinato, portanto a solução mais lógica seria entregar seu assassino. Algumas histórias possuem vilões sobrenaturais e outros que são seres humanos de má índole, porém de alguma forma parece que sempre algo sobrenatural acaba se envolvendo no meio.

O livro trás os 9 contos originais de Solomon Kane, escritos por Robert E. Howard. Este livro publicado pela Editora Generale é um especial que além de trazer a Saga Completa, tem uma introdução muito bacana contando sobre o autor, sua importância para a literatura com espadas e coisas sobrenaturais, sobre os contos, contos não publicados pelo autor em vida e algumas alterações que estes sofreram quando resolveram publicar (entretanto os contidos no livro são os originais e sem alteração)... Há também um Apêndice com cartas de Robert E. Howard e outro falando sobre o filme de Solomon Kane de 2008, que não teve o sucesso esperado, mas cá entre nós? Na época em que eu assisti, eu gostei.

Existem contos pequenos como O Chacoalhar de Ossos que tem apenas 8 páginas e outros mais grandinhos como A Lua das Caveiras, As Colinas dos Mortos, Asas da Noite e A Chama Azul da Vingança, o primeiro citado tendo mais de 50 páginas. Mas independente do número de páginas, o que estes contos tem em comum é que além das detalhadas descrições de confrontos e cenas de ação, o final é sempre surpreendente, eletrizante e muito bom.

De certa maneira, posso dizer que gostei da leitura do livro. Achei as descrições um tanto quanto extensas demais e acabou se tornando cansativo em alguns momentos a leitura. Em minha opinião as melhores partes para ler, foram os finais que me prenderam e me deixaram de olhos bem abertos para descobrir o que aconteceria. A leitura foi uma faca de dois gumes, onde gostei de algumas coisas e nem tanto de outras. Mas de qualquer maneira, admiro a genialidade e irreverência do autor ao escrever estes contos que foram inspiração e exemplo para muito escritores.

Achei a edição do livro excelente. A capa é sombria, o que tem tudo a ver com o livro. A diagramação com certeza teve um carinho especial da editora, tendo detalhes especiais para o título do conto e início deste. As folhas são amareladas o que é excelente para a leitura. Gostei bastante do trabalho realizado pela editora Generale.




Sempre que pensava no assunto, considerava-se um instrumento do julgamento de Deus, um receptáculo da grande ira a ser esvaziado sobre as almas dos imputos. Entretanto, no sentido pleno da palavra, Solomon Kane não era um puritano, embora ponderasse dessa maneira sobre si mesmo.
No fundo dos olhos melancólicos de Kane, uma luz cintilante começou a brilhar, vomo a vela de uma feiticeira reluzindo sov braças de gelo cinzento. Seu sangue avivou-se. Aventura! O fascínio do risco e do drama! Não que Kane reconhecesse aquelas sensações como tal.
Estava livre, mas desarmado e caçado como um rato naquele palácio infernal. Como poderia ajudar a si próprio ou a Marylin? Mas sua confiança não o abandonou. Estava do lado da razão, e alguma solução se apresentaria.
- Mentiras viajam na frente de uma nau veloz. O Falcão do Mar veleja onde o seu navio está, e onde o seu navio está, somente seu mestre, Satã, sabe.

Clique na imagem para aumentá-la.

2 comentários:

  1. Olá Pamella!
    Sei da importância de Robert E.Howard e do personagem Solomon Kane para os escritores de fantasia, mas nunca tive a oportunidade de ler nada do autor. Mas fiquei bem instigada com esse livro, por ser de contos, as histórias de fantasia e com alguns vilões e temas sobrenaturais... A capa é mesmo muito bonita e sombria como imagino ser grande parte do livro, e a editora caprichou na diagramaçao. Adorei a dica!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Pamella!
    Já assisti o filme e também gostei, achei muito bem feito.
    O livro deve ser uma boa leitura. Gosto de contos e com um tom sobrenatural, fica ainda mais interessante a leitura, apesar de sua ressalva.
    “O saber é saber que nada se sabe. Este é a definição do verdadeiro conhecimento.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir