quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Resenha Nenhum de Nós: A Obra Inteira de Uma Vida de Marcelo Ferla.


Título: Nenhum de Nós: A Obra Inteira de Uma Vida.
Autor: Marcelo Ferla.
Editora: Belas Letras.
Número de páginas: 250.
Ano de lançamento: 2016.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Acho que era outubro de 86. Ali começava uma história que continua até hoje. E só parece melhorar. Uma história sobre três garotos sem os braços tatuados, nerds e amigos de colégio, que amavam música, sonhavam em formar uma banda de rock e subiam em um palco juntos pela primeira vez. Um líder nato de voz potente, um gordinho simpático e um magrão que lembrava personagem de novela. Os três tinham muito em comum: nenhum de nós enxerga bem; nenhum de nós serviu no quartel; nenhum de nós repetiu na escola. Logo o trio virou o clube dos cinco, superou algumas dificuldades, atravessou o escuro deserto do céu, e hoje, comemorando 30 anos, soma mais de 2 mil shows e fãs por todo o Brasil. O jornalista Marcelo Ferla conta aqui A obra inteira de uma vida, a história do Nenhum de Nós, de três amigos de escola, que conseguiram levar bem longe o sonho de tocar em uma banda de rock.

Opinião:

Não sei vocês, mas fazem alguns anos que escuto os sucessos de Nenhum de Nós e embora no livro "Nenhum de Nós: A Obra Inteira de Uma Vida" cite Camila e a versão de Starman (versão de Astronauta de Mármore) não foi por essas músicas que conheci a banda. Mas o bacana é que independente de gostar das músicas, nunca pesquisei a história da banda, e agora a obra veio parar nas minhas mãos. Muito obrigada a editora pela oportunidade.

Em outubro de 1986, quando três garotos "nerds" e amigos de escola subiram ao palco pela primeira vez, começaram com a ideia inicial de ser uma banda de rock, e para isso precisavam de um nome e foram descobrindo coisas em comum entre eles e foram testando várias possibilidades até que chegaram a esse nome "Nenhum de Nós". Confesso com um pouco de vergonha que até uns 13 anos atrás eu fazia a piadinha de que "Nenhum de Nós conhecíamos a banda" até me apaixonar pelo Acústico 2 deles.

O livro conta o porque de um trio, se transformou em uma banda com 5 integrantes, extremamente talentosos e que acabou transformando totalmente os acordes da banda, diferenciando elas das outras, pois incluíram um pouco da musicalidade gaúcha, tornando o som muito peculiar. Acho exclusivo os instrumentos que eles incluem nas músicas. (Indico "Eu não entendo" - para vocês entenderem do que estou falando 😉, sem trocadilhos 😜😜 https://www.youtube.com/watch?v=WyUdWl_mVBA).

Também vi as dificuldades que eles passaram até a banda ser reconhecida, mas também após ter feito sucesso, o quanto esse mundo da música é competitivo e o quanto isso envolve emocionalmente cada um envolvido, e que por isso acaba que muitas bandas acabam se perdendo com o tempo e vindo até a terminar com suas atividades.

Espero que vocês venham a conhecer essa obra narrada por Marcelo Ferla e venham a ser fãs da banda e admiradores dessa história assim como eu.

Confesso que o livro é um pouquinho complicado de ler pois envolve muitos nomes, datas e dados de informação, mas para quem não está com pressa e procura um indicação de leitura, ai está. O livro é bem ilustrado contendo fotos da banda de diferentes fases da carreira e a letra e páginas são bem confortáveis para o desenrolar da leitura.




- Nenhum de nós enxerga bem - alguém disse. De fato todos eram míopes.
- Nenhum de nós serviu no quartel - disse outro...
... ninguém lembrava exatamente qual era  a frase, e se puseram a repeti-la ate que "nenhum de nós" isolado chamou a atenção suficiente para ser escolhido como nome de guerra para uma banda de rock brasileira...
O contrato recém assinado foi rescindido, e o Nenhum de Nós em vez de entrar no estúdio para gravar seu quinto álbum, como tinha planejado, agendou uma reunião com seus advogados e decidiu acionar a PolyGram em busca de uma compensação financeira por prejuízo moral e financeiro.
Mesmo tendo voltado de Los Angeles com o prêmio de "Ao Meu Redor" nas mãos, a banda foi comunicada que a BMG não investiria em um novo video clipe para o quarto álbum, justamente em uma época em que eles eram fundamentais no processo de divulgação...

Clique na imagem para aumentá-la.

Um comentário:

  1. Pri!
    Nossa! Acompanho a banda desde o lançamento e sempre gostei deles e por isso mesmo gostaria de ler a biografia porque deve ter muitos fatos e acontecimentos interessantes na história dele e da banda.
    “Não pedi coisas demais para não confundir Deus que à meia-noite de ano novo está tão ocupado.” (Clarice Lispector)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir