terça-feira, 17 de maio de 2016

Resenha O Caminho Para Casa de Kristin Hannah.


Título: O Caminho Para Casa.
Autora: Kristin Hannah.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 352.
Ano de lançamento: 2012.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Durante 18 anos, Jude pôs as necessidades dos filhos em primeiro lugar, e o resultado disso é que seus gêmeos, Mia e Zach, são adolescentes felizes. Quando Lexi começa a estudar no mesmo colégio que eles, ninguém em Pine Island é mais receptivo que Jude. Lexi, uma menina com um passado de sofrimento, criada em lares adotivos temporários, rapidamente se torna a melhor amiga de Mia. E, quando Zach se apaixona por ela, os três se tornam companheiros inseparáveis. Jude sempre fez o possível para que os filhos não se metessem em encrenca, mas o último ano do ensino médio, com suas festas e descobertas, é uma verdadeira provação. Toda vez que Mia e Zach saem de casa, ela não consegue deixar de se preocupar. Em uma noite de verão, seus piores pesadelos se concretizam. Então a vida dá uma guinada, levando os personagens a viver sentimentos intensos – amor e ódio, culpa e perdão – que qualquer um de nós poderia experimentar. Uma decisão muda seus destinos, e cada um deles terá que enfrentar as consequências – e encontrar um jeito de esquecer ou a coragem para perdoar. O caminho para casa aborda questões profundas sobre maternidade, identidade, amor e perdão. Comovente, transmite com perfeição e delicadeza tanto a dor da perda quanto o poder da esperança.
Opinião:

Faltava esse livro da Kristin Hannah para ler do catalogo da Editora Arqueiro e não me aguentei e pedi. Novamente a obra me destroçou, me fez chorar muito e me deixou em depressão. Me perguntou meu namorado porque eu leio os livros dela se acabo assim. A resposta é que ao mesmo tempo que os livros acabam com você, eles acrescentam em você.

Jude é a mãe perfeita. Como sua mãe, Caroline, foi o oposto disso, ela sempre quis que os filhos soubessem que são amados. Então Zach e Mia cresceram numa família basicamente perfeita. Jude vivia em volta dos filhos e Miles sustentava a casa, sendo médico e a família sendo rica.

Por outro lado, Lexi teve suas esperanças destruídas várias vezes. Sua mãe era drogada e sempre que saia da prisão pedia sua guarda de volta. Dessa forma, Lexi vivia trocando de casa. Até que sua mãe morre e ela vai morar com sua tia-avó, Eva.

Eva conseguiu uma vaga para Lexi em uma boa escola, junto com os filhos de famílias ricas. O que é o oposto do que elas são. Eva trabalha em um mercado e as duas moram em um trailer velho alugado.

No primeiro dia de aula Lexi resolve não almoçar no refeitório e sai para o jardim do colégio. Ela vê uma garota embaixo de uma árvore lendo um exemplar de O Morro dos Ventos Uivantes. Quando Lexi pergunta se pode sentar com a garota, Mia responde que isso é suicídio social. Mas Lexi não liga e senta. Assim as duas se tornam melhores amigas.

É nesse mesmo dia que Lexi descobre que o garoto que falou com ela na primeira aula e por quem ela se encantou é irmão de Mia. Quando Jude leva Lexi para casa conta que Mia teve uma grande decepção com outra amiga que se aproximou dela só para ficar com Zach. Por conseguinte, Lexi promete a si mesma enterrar seus sentimentos por Zach.

Anos passam e a amizade entre Mia e Lexi continua extremamente forte. Quando Lexi descobre que Zach gosta dela há anos também eles se vêem tendo que contar para Mia, que, felizmente, reage bem. Assim os três se tornam inseparáveis.

Até que um acidente acontece e tudo muda. Um deles morre. Outro vai preso. Isso acaba com Jude, ela não consegue se recuperar, não consegue agir normalmente e nem deixar a dor e raiva de lado por anos. Até que a pessoa que dirigia no acidente é solta e Jude se vê tendo que enfrentar os fantasmas e decidir entre continuar com raiva ou perdoar.
Não tem como não se emocionar nos livros da Kristin Hannah. Ela conseguiu desconstruir Jude, da mulher que amamos no início do livro à uma pessoa que temos vontade de sacudir para ver se volta ao normal, e ao mesmo tempo entendemos que isso acontece, as vezes você quebra e é extremamente difícil voltar a se colar.

Lexi é uma personagem que da vontade de você estender a mão. Sempre passando por coisas difíceis. Quando ela acha que a vida vai melhorar acaba recebendo uma rasteira e mesmo assim ela continua tentando escolher o que é melhor para os outros. Mia é adorável, um tanto quanto mimada, mas incrivelmente boa. Zach foi o que menos gostei, achei ele fraco perto dos outros personagens.

Novamente a autora trouxe personagens femininos mostrando a força da mulher. O Caminho Para a Casa na verdade é um livro de descobrimento de como encontrar o caminho para chegar ao seu lar, seja ele qual for. Como voltar depois de tudo ter sido destruído.

A capa é linda e acho que a garota representa bem a Mia. Indico totalmente esse livro, mas aviso que é bom ler com um lencinho por perto se você é de chorar em livros. Eu que não sou muito de chorar lendo fiquei até com o rosto inchado.

Jude franziu a testa. Tudo isso a pegara de surpresa. A situação toda a preocupava, mas ela não queria ser o tipo de pessoa que julga alguém só pelas circunstâncias. E, naquele instante, Lexi parecia ser a adolescente mais sofrida que ela já vira. Tudo nessa menina irradiava derrota. Sem dúvida alguma, ela já sofrera muitas decepções na vida.
Eles estavam pegando a estrada errada. Ela precisava pisar no freio, dizer que não era uma boa eles se apaixonarem e esquecer tudo. Agora, enquanto ainda era capaz disso. Devia dizer que não, que ela não faria nada que comprometesse sua amizade com Mia. Mas, ao olhar para ele, não teve forças para rejeitá-lo. Ele fazia toda a dor cessar.
Lexi queria dizer que não, ou ao menos ficar indecisa quanto ao que fazer, mas não era assim. Algumas medidas eram óbvias. Ela já tinha escolhido o caminho errado antes, pondo em risco a amizade com Mia e seu lugar nesta família. Naquele momento, como agora, o amor e o desejo a haviam cegado. Era um erro que ela se recusava a repetir.
Jude deveria se sentir envolvida pelo carinho da amiga, mas não conseguia sentir nada. Não naquele momento, enquanto olhava para o lindo anel inacabado, com um espaço vazio onde deveria estar a pedra.
Clique na imagem para aumentá-la.

6 comentários:

  1. Oii!
    A história é mto linda, triste e comovente ao msm tempo. Um ar de esperança nos dias de hoje...
    Qro mto ler!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Devo dizer que a capa não me interessou muito, mas também devo dizer que gosto dele mexer muito com o sentimental, pois amo livros assim, mesmo ficando acabada depois haha. Nossa que tráfgico, parece ser um livro tão bom, não que não seja, mas não parecia ser uma pessoa que seria preso(a), o que me surpreendeu. Com certeza vou adicionar na minha lista.

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a autora mas lendo a resenha sinto como se eu já o conhecia. Ficou muito bom, tão bom que coloquei o livro na minha meta de leitura, me encantei pela história de Zach, Lexi e Mia. Sinto que ao ler ele chorarei um rio e só em saber que há morte e prisão já fico pensando em como sofrerei com a leitura, mas creio que vai ser excelente. Obrigada pela dica, amei!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi. Não conhecia o livro, a capa realmente está bonita, interpretando a mensagem do texto. Gostei muito da sua resenha. Também sou muito emotiva com livros que tocam o coração. Já vou me preparar emocionalmente, quando for ler essa indicação. Arqueiro sempre trazendo obras fantásticas e escritores que nos encantam. Obrigada. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, achei bem triste, e ao mesmo tendo motivante.
    Faz muitoooo tempo que quero ler um livro da Kristin Hannah, mas como as resenhas que leio deles são sempre muito positivas, porém, pontuam o tanto que você chora ao ler, fico receosa kkkkkkk
    Mas vou querer ler sim. Parece ser uma história com muitas reviravoltas, recomeços, perdão e amor, tudo que gosto.
    bjss

    ResponderExcluir
  6. Sua resenha está muito boa, depois de ler os seus comentários positivos referentes a esse livro eu não pude deixar de me interessar pela história, que por sinal, parece ser muito boa, sem dúvidas pretendo ler esse livro.

    ResponderExcluir