quinta-feira, 7 de abril de 2016

Lançamento: Editora Draco.

Olá.
Hoje vim mostrar mais livros para vocês. Dessa vez são os dois lançamentos da Editora Draco. ;)

Jhomm Krulgar é um ninguém. Um rato de estrada. Um cachorro vadio. Um mastim demoníaco. Sua espada está a venda para qualquer um com moedas no bolso e objetivos escusos. Quando uma garota surge prometendo a riqueza de um rei e a realização dos seus desejos de vingança, ele nem imagina que está prestes a se envolver em um dos mais perigosos jogos políticos de sua era. Agora, ele e Khirk, seu companheiro silencioso, membro de uma antiga raça escrava, partem para o Sul, onde tentarão impedir os rebeldes separatistas de tomar a coroa da maior cidade do Império de Karis. Encontrarão em seu caminho um Magistrado em missão de paz e um mago ilusionista prestes a realizar o maior espetáculo da sua vida. O Teatro da Ira, primeiro romance da série Chamas do Império, de Diego Guerra, é uma viagem fantástica onde criaturas místicas e soldados comuns lutam lado a lado nas paredes de escudo, implorando pela própria vida e alimentando as fogueiras da morte para fazer valer as vontades de reis e nobres. Enquanto Krulgar busca cegamente a sua vingança, não faz ideia de que se tornou apenas mais um dos personagens sombrios deste Teatro da Ira. - Número de páginas: 360.

Agarta é um império orgulhoso onde só os mais fortes se destacam. Quando ocorre um encontro casual entre Vasu, guerreiro agartiano, e Tlalpan, uma aventureira atlante, isso pode trazer consequências que mudarão o destino de vastos impérios. Uma geração após os acontecimentos de Crônicas de Atlântida – o tabuleiro dos deuses, ambiciosos comandantes militares de Agarta, a petulante valquíria Madhavi, a humilde serva Bakri, a orgulhosa capitã acaia Lúsia e o retorno de figuras conhecidas da saga atam os nós dessa trama épica e amorosa na qual culturas e panteões rivais se enfrentam por ideais divergentes de poder e justiça. Crônicas de Atlântida – o olho de Agarta é o segundo romance de Antonio Luiz M. C. Costa, editor e colunista na revista CartaCapital. À reconstituição da lendária Atlântida somam-se a da utópica República de Platão e a de Agartha ou Shambhala, fantasiada por ocultistas do século XIX como um misto da Asgard nórdica e a Ayodhya hindu. O resultado é um cenário imaginativo e original, no qual grandeza e mesquinharia residem lado a lado. - Número de páginas: 408.

16 comentários:

  1. Que livros diferentes, gostei das sinopses e as capas foram bem pensadas, editora Draco arrasando

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    Ual O Teatro da Ira parece mto bom...A capa está bem interessante e mto chamativa. Adorei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Me interessei pelo O Teatro da Ira.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. A sinopse de O Teatro de Ira faz parecer um ótimo livro além capa ser bem elaborada e bonita, no qual chamou bastante atenção, gostei.

    ResponderExcluir
  5. Cath!
    Os lançamentos da editora são sempre bem atrativos, principalmente por trazerem temas interessantes.
    “O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe, pois, a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã.” (Leonardo da Vinci)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista especial de aniversário em abril: com 6 livros 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Olá!!
    Gostei dos dois lançamentos, apesar de nunca ter lido nenhum livro pra editora vários deles estão em minha lista , e esses dois também vão pra lá rsrs
    Bjocas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa lista só cresce né? Não conseguimos comprar a mesma quantidade que adicionamos, haha.

      Excluir
  7. Parece que essa editora é bem mitológica e eu gosto muito, creio que vou poder aproveitar bastante suas publicações.

    ResponderExcluir
  8. Não gosto muito de livros desse gênero, mas as capas estão fabulosas <3

    ResponderExcluir