sexta-feira, 29 de abril de 2016

Cine FB: Frequencies.

Olá, shufisplufis! Como vão?

Hoje venho para falar de outro filme que eu amo. Esse filme é bem alternativo e diferente, amo filmes assim... Espero que gostem!

Título: Frequencies (Frequencies - OXV: The Manual).
Gênero: Ficção-Científica
Ano: 2013.
Direção: Darren Paul Fisher.
País de Origem: Austrália/UK.
Duração: 105 minutos.
 
Sinopse:
OXV: The Manual está sendo anunciado como o primeiro romance científico-filosófico do mundo. Garoto encontra garota em um mundo não-muito-aqui, não exatamente agora, onde uma simples descoberta mudou para sempre toda a interação humana. O filme talvez possa ser melhor descrito como uma combinação de “Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças”, “(500) Dias com Ela” e “Primer".
 
Opinião:
 
Este é, sem dúvidas, um dos melhores filmes que eu assisti ultimamente. Ele é um pouco difícil de entender, você tem que assistir com a mente bem aberta, mas realmente é um filme recheado do conteúdo mais variável. Vou ter uma certa dificuldade tentando explicar esse filme, mas espero que entendam e gostem!
 
Ele é um filme corajoso e arriscado, não se perde em nenhum momento, super inteligente e consegue acertar em tudo. O filme é ambientado num mundo em que tudo se baseia em frequências. Existem dois personagens principais: Isaac Newton (Zak) e Marie Curie (Marie) - sim, se você é um pouquinho nerd vai se lembrar desses dois nomes. Esses dois e suas interações vão ser o plano central.

Zak é um garoto com ‘baixa frequência extrema’ em relação a natureza, traduzindo, ele é extremamente azarado e sem ritmo, considerado um pouco burro com um QI super baixo, tem as menores notas, a presença dele entre pessoas de frequência média, alta ou super alta desequilibra o ambiente e a natureza acaba se rebelando contra ele. É como se ele fosse cair em todos os buracos que existem, sempre se atrasar, super super azarado. Porém um amor de pessoa. Ele sente muito intensamente.

Já Marie é uma garota com ‘alta frequência extrema’, o que traduzindo significa que ela tem um QI absurdamente alto e é extremamente sortuda. Tira nota super altas, todos a admiram e fazem tudo o que ela quer, ela sempre consegue o que deseja. Nunca perde o ônibus, atravessa a rua sem olhar e sai viva, acha dinheiro em calçada alta, enfim, incrível e maravilhosa. Porém sem um pingo de empatia ou sentimentos de modo geral. Ela é ‘a máquina’.

Logo no início do filme Zak e Marie se conhecem e ficam intrigados como a natureza se rebela sempre que eles - totalmente opostos - se encontram. Com isso, eles resolvem fazer experimentos relacionados com a interação deles dois. E sempre que se encontram, só dura apenas um minuto a interação dos dois antes que a natureza comece a se rebelar contra eles, derrubando coisas, arremessando outras, etc. Ao longo da vida deles, eles sempre tentam se encontrar, durante apenas um minuto e experimentar se a natureza consegue 'aturá-los' por mais de um minuto e se suas frequências de alguma forma consiga se equilibrar.

Obviamente, Zak se apaixona intensamente por Marie e fica constantemente tentando burlar as leis universais, naturais e imutáveis das frequências. Parece simples, como um simples caso de amor impossível e tentativas para mudar isso, mas é muito mais profundo. Na busca pelo livre-arbítrio de poder escolher com quem ficar sem importar suas frequências, o filme vai introduzindo códigos metalinguísticos que podem dominar pessoas assim como pitadas de física quântica (magnetismo), moralidade, filosofia e muito mais.

O filme é lento, mas é exatamente para usarmos essas pausas para refletirmos o que realmente o filme quer dizer. É um filme muito lindo, um pouco mais carregado, mas definitivamente muito apreciável. A forma como há antagonismos entre a intensidade do sentir dele e a frieza dela, mostrando como as coisas (no caso do filme, pessoas) conseguem ao mesmo tempo se atrair e se repelir é muito interessante. Isso misturado com as paletas de cores e a fotografia do filme mexe muito com você. Você consegue se sentir frio e quentinho em cenas muito próximas, é muito divertido!

O filme não é muito conhecido, nem tem atores famosos, mas é maravilhoso. Possui a trilha sonora e a fotografia usual dos filmes indie britânicos. Realmente é um filme raro que foge totalmente dos filmes utópicos que fazem sucesso hoje em dia. É complexo, mas de um jeito bom, mexendo com noções de controle, criação e vontade e com pinceladas da meritocracia da nossa sociedade. Mas não deixa de ser um romance diferente e especial! Com certeza vai te fazer pensar muito, mas só se você quiser... É incrível!

Nota: 9,5. Por ser extremamente original, inteligente e tão lindo que dói!

Aí vai o trailer (não tem ele legendado, mas espero que entendam):
 

E aí? O que acharam? Bem diferente, né? Mas espero que gostem... Sair do normal às vezes, faz bem!

Isso é tudo, pessoal! Se assistirem, me avisem o que acharam! Se vocês não entenderam e quiserem comentar, ou dar dicas de filmes e séries, conversar sobre os posts anteriores, falar sobre estreia de novos filmes, assim como falar sobre um monte de outros assuntos variados ou apenas falar com uma garota estranha, chama aí.

Cheirinho na bila do olho.

10 comentários:

  1. Fiquei bastante ansiosa, não tinha ouvido falarem tão bem dele até agora,percebi que o filme é tipo ''os opostos se atraem'' , gosto de filmes inteligente e por isso fiquei encantada, quero muiitto assistir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse filme é ótimo mesmo, bem inteligente, espero que goste!

      Excluir
  2. Oii!
    Gostei bastante da sinopse do filme, curto filmes desse gênero, bastante curiosa pra ver...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é um filme muito bom! E eu sou muito suspeita pra falar de filmes de ficção-científica porque eu aaaaamo esse gênero! Espero que goste!

      Excluir
  3. Oi, Laís. Pela sua resenha da pra perceber que realmente a ideia do filme é diferente. Achei muito legal a proposta dele e assim que eu tiver a oportunidade irei vê-lo!

    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é bem alternativo e com uma proposta incrível, assista mesmo, você vai gostar...

      Excluir
  4. Não conhecia o filme mas fiquei anciosa, principalmente por saber que é inspirado em duas grandes pessoas no qual mudam nossa vida de tantas maneiras e está presente no nosso cotidiano. Se eu não lê-se essa resenha nunca saberia que Isaac tinha problemas com o apendizado, tipo, como assim ele tinha um QI baixo? To me sentindo melhor com essa afirmação haha.
    Pelo tanto de elogio que você deu pro filme, fiquei chocada ao ver que você deu 9.5, pensei que daria 10, mas mesmo assim quando eu conseguir verei o filme, parece ser ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse filme não é muito conhecido, mas é ótimo! E ele não é inspirado em Isaac Newton e Marie Curie, apenas os personagens tem o mesmo nome como uma forma de ironia sobre o tema central do filme.
      E eu não dei o meu 10 porque eu estou guardando pra uns outros filmes kkkkkkk Mas veja mesmo, você vai gostar...

      Excluir
  5. Não sei se conseguiria assisti, achei um pouco devagar. Geralmente, quando o filme é assim, vou assistindo aos poucos. Talvez eu faça assim com esse filme.

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da sua resenha, nunca tinha ouvido falar desse filme, ele parece ser um filme bem diferente e complicado de entender, mas como vc mesma falou: Sair do normal às vezes, faz bem!.
    haha :3 Vou tentar assistir ele, nessa semana ainda *-*

    ResponderExcluir