quarta-feira, 2 de março de 2016

Parceria: Editora Hedra.


Olá pessoal.

Vim contar para vocês que a Editora Hedra é a nova parceira do Fantastic Books, para quem não conhece a referida editora vou apresentar os canais de comunicação, bem como alguns dos livros. ;)

Site: Link.
Facebook: Link.
Twitter: Link.
Instagram: Link.


Mary Shelley fez parte do grupo principal do romantismo inglês, ao lado de seu amigo Lord Byron e de seu marido, o poeta Percy Shelley. E foi literalmente ao lado deles, em um castelo à beira do lago Constança, na Suíça, onde passavam uma temporada, que ela se isolou em um quarto para escrever Frankenstein, ou o moderno Prometeu, romance “gótico” ou de “terror”, um dos modelos do gênero ao lado dos contos de Poe e do Drácula de Bram Stocker.







O poema “O Corvo” está entre as obras mais traduzidas da história da literatura, pelo enorme fascínio que exerce sobre leitores e escritores, apesar dos obstáculos que oferece à tradução – ou por causa deles. Este livro reúne todas as suas mais importantes traduções para o português − incluindo as de Machado de Assis e de Fernando Pessoa − e outras línguas latinas – como a versão francesa de Baudelaire −, além de análises dessas traduções e de uma abrangente discussão sobre a arte (ou quase) de traduzir.







O horror de Dunwich é uma novela essencial ao ciclo mítico de Cthulhu. Em 1913, no vilarejo de Dunwich, a albina Lavinia Whateley dá à luz um menino com feições de bode, filho de um pai desconhecido. Wilbur causa espanto devido a seu desenvolvimento de rapidez sobrenatural. Em seus estudos, ele descobre Necronomicon — o temível compêndio de sabedoria oculta escrito pelo árabe louco Abdul Alhazred. Mais tarde, ao perceber que dispõe apenas de uma tradução inglesa incompleta do documento, Wilbur sai em busca da rara edição latina para dar continuidade ao misterioso ritual em família que atinge o ponto culminante com O horror de Dunwich. O apêndice traz quatro textos relacionados à importância do Necronomicon na obra de Lovecraft: os contos “História do Necronomicon” e “O sabujo”, além de duas cartas escritas pelo autor.



O médico e o monstro é um dos maiores clássicos do terror psicológico, marcado pelo cientificismo da época vitoriana. O respeitado médico escocês, dr. Jekyll, faz pesquisas para entender os impulsos e os sentimentos humanos mais profundos, a acaba por criar uma droga que libera seus aspectos mais primitivos, o “animal” adormecido sob a capa do homem civilizado: no seu caso, ele assume a forma de mr. Hyde (do verbo hide, esconder, ocultar; mr. Hyde é a “versão oculta” do bom dr. Jekyll). Se Jekyll é um médico educado e dedicado a pesquisas que visam o bem-estar geral através do conhecimento, a “monstruosidade” de Hyde está, essencialmente, em sua entregra aos prazeres e à luxúria como um fim em si, por quaisquer meios, incluindo a força física. O livro influenciou a literatura assim como a cultura pop. Além de inúmeras adaptações para vários meios, como o cinema, é o modelo para personagens de quadrinhos, como o Hulk, a versão furiosa do dr. Banner. Por outro lado, segue uma tradição de ficção psicológica e tecnicista moderna, cujo modelo orginal é o Frankenstein de Mary Shelley.



Buck, um robusto cão são-bernardo, vivia feliz em um sítio onde não era necessário defender seu território. Porém, sua vida muda totalmente quando um dos empregados do lugar o sequestra e vende para mineradores no Alasca. Como Buck é forte e peludo, se torna um cão de trenó, submetido a condições extremas, acossado pela violência dos homens, do ambiente e de outros cães. Jack London (São Francisco, 1876 – Sonoma, Califórnia, 1916) foi um escritor norte-americano. Ainda muito jovem, foi marinheiro. Mais tarde, desempregado, torna-se andarilho e teria ficado trinta dias preso em Buffalo por vadiagem. Aos 21 anos, com seu cunhado, tomou parte na Corrida do Ouro de Klondike. Autor de sucessos como Caninos brancos, O lobo do mar e Contos dos mares do sul. Morreu em seu rancho, em decorrência de uma uremia.



Nas histórias reunidas neste livro, o leitor encontrará a figura do dragão em suas mais diferentes versões literárias: da antiguidade clássica de Ovídio trazemos o monstro inimigo de Perseu, da Europa medieval vem o dragão cristianizado com seu inseparável inimigo São Jorge, e depois os dragões moderados, pacifistas e divertidos da modernidade, que reinventa esses personagens míticos.








O jovem francês Camille Des Grieux não ignora o poder de sedução de René Teleny, misto de pianista clássico e “pop star” – tanto sobre mulheres como sobre homens. E sente-se atormentado pela possibilidade de amar e desejar um homem, principalmente porque correspondido. Tenta, então, envolver-se com uma jovem mulher, levando-a indiretamente à morte. Decide, por fim, não resistir mais a si mesmo, e permite que Teleny o introduza em uma sociedade homossexual underground. Publicado em 1893 e atribuído a Oscar Wilde, “O outro lado da moeda tem poucos concorrentes entre seus contemporâneos ao título de romance erótico mais poderosa e inteligentemente escrito” (James G. Nelson, Universidade de Wisconsin).




Tudo que eu pensei mas não falei na noite passada não faz parte da atual moda de “literatura erótica”, que vai de certo “erotismo feminino” cheio de meios tons às luzes cruas dos textos mais apelativos. E o que comumente se perde, entre o pornográfico e o erótico, é o sexo: o sexo em si. Sexo que domina todo este livro de Anna P. (pseudônimo de uma grande estreante da ficção brasileira contemporânea), numa abordagem incomum: cada linha, cada parágrafo, cada página, tudo é pura e tão somente sexo, em um nível de detalhe, clareza, materialidade e completude poucas vezes visto (para não falar do estilo, do humor e do ritmo) – principalmente do ponto de vista feminino.

12 comentários:

  1. Oiie! Parabéns pela parceria! Não conhecia a editora...Asorei as sinopses dos livros...Parabéns mais uma vez! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela parceria, a editora parece publicar livros bastante interessantes, principalmente os de terror! Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Eu tentei, mas não fui selecionado. Boa sorte com a parceria.
    P.S: Tenho muita vontade de ler "O Médico e o Monstro".
    Sucesso! Beijos!
    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tentei várias esse ano que não fui selecionada, infelizmente acontece, número de blogs também está bem alto.
      Obrigada! =D

      Excluir
  4. Cath!
    Se tem Frankstein já gostei.
    Parabéns pela parceria.
    Aguardarei as resenhas.
    “Quando todo mundo quer saber é porque ninguém tem nada com isso.” (Millôr Fernandes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de março com 4 livros 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns ao blog por conseguir a parceria com essa editora MARA

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia a editora, mas os livros publicados pelo visto são ótimos, a maioria de um gênero que adoro. Parabéns pela parceria!

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia a editora mas os livros são do gênero que gosto; `Parabéns pela parceria!!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não conhecia muito essa editora, mas já ouvi falar muito das obras frankenstein e o médico e o monstro.
    Dessas obras qual eu mais gostaria de ler é o chamado selvagem, além da capa ser linda, a sinopse fazer o livro parecer bom, fiquei encantada quando li que é o mesmo autor de caninos brancos, li esse livro quando eu tinha uns 12 anos por causa da escola, amei a leitura e tenho ele até hoje(mesmo um pouco velho haha), passou uma nostalgia agora em mim, saudades.

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Parabéns pela parceria com a Editora Hedra, muito sucesso para o blog, ainda não conhecia a editora mas vai ser legal poder acompanhar as resenhas pelo blog !!

    ResponderExcluir