terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Resenha É melhor não saber de Chevy Stevens.


Título: É melhor não saber.
Autora: Chevy Stevens.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 320.
Ano de lançamento: 2013.
Cortesia da editora.

Sinopse:

Sara Gallagher nunca sentiu que pertencesse de verdade à sua família de criação. Embora sua mãe seja amorosa e gentil e ela se dê bem com sua irmã Lauren, a relação com o pai e a irmã caçula, Melanie, sempre foi complicada. Às vésperas de se casar, Sara decide que está pronta para investigar o passado e descobrir suas origens. Mas a verdade é muito mais aterrorizante do que ela poderia imaginar. Sara é fruto de um estupro, filha do Assassino do Acampamento, um famoso serial killer. Toda a sua paz acaba quando essa história é divulgada na internet e o pai que ela anteriormente queria conhecer resolve entrar em sua vida de forma avassaladora. Eufórico com a descoberta de que tem uma filha, John vê nela sua única chance de redenção. E, para criar um vínculo com Sara, ele está disposto a tudo, até a voltar a matar. Ao mesmo tempo, a polícia acredita que essa é sua única chance de prender o assassino e resolve usá-la como isca. Então Sara se vê numa caçada alucinante, lutando para preservar sua vida e a de sua filha. É melhor não saber é um complexo retrato de uma mulher tentando entender suas origens. Uma história cheia de reviravoltas, na qual ninguém é completamente bom ou mau.
Opinião:

Que livro maravilhoso! Merecidamente todas as letras, eu adorei, tanto que li em dois dias, sendo que fiquei até mais da 2h da manhã lendo porque não desejava parar.

Sara Gallagher foi adotada por um casal, a sua mãe adotiva vivia doente e o pai adotivo jogava tudo para cima dela, e quando o casal teve dois filhos biológicos ficou nítido o tratamento diferenciado que o pai destinava a ela.

Então, já adulta e com uma filha, quando lê uma reportagem sobre adoção resolve tentar achar sua mãe. Só que Sara acaba achando muito mais do que procurou.

Sara descobre que sua mãe biológica se chama Julia Laroche e após tentar falar com ela vê que a mulher parecer ter horror a Sara, então resolve contratar um detetive particular que descobre que na verdade Julia se chama Karen Christianson e é a única vítima sobrevivente do serial killer conhecido como o Assassino do Acampamento. Junto com essa informação Sara descobre que é a filha do Assassino do Acampamento, devido a ocasião em que ele estuprou Julia.

Pouco depois a notícia vaza por um site de fofocas e logo está espalhado pela internet fazendo com que o Assassino do Acampamento entre em contato com Sara, pois quer um relacionamento com sua filha. Então Sara começa a trabalhar com a polícia para descobrir e localizar o Assassino do Acampamento que na verdade se chama Jhon.

A partir daí o livro segue contando os dias de Sara que recebe telefonemas de Jhon e tem que atendê-lo independente do momento, bem como sua relação familiar, tanto com os pais adotivos, quanto com seu noivo Evan, que não apoia ela ajudar a polícia, e sua filha Ally que é uma criança com mudanças de humores (tem um cachorro fofo também chamado Moose).

Eu gostei desse livro em todos os níveis, cada capítulo começa com Sara falando com sua psicologa e depois passa a contar os acontecimentos passados até aquela sessão, ou seja, Sara é uma pessoa humana, com defeitos reais e medos comuns, que tem seus sentimentos levados a flor da pele depois que descobre sobre seu pai, ao mesmo tempo ela ainda tem alguma necessidade de se sentir querida pelos pais.

Nenhum personagem da história é bonzinho ou malzinho, são mesclados, como é na realidade, e em alguns momentos você se pega quase gostando de Jhon. Podemos dizer que o lema do livro é que nada é exatamente como parece.

Simplesmente me apaixonei pela obra, se você gosta de um suspense e personagens humanos deve dar uma chance a esse livro, acredito que vá adorá-lo também.

A capa é linda e não encontrei erros ortográficos na edição, como o Assassino atacava em acampamentos e Sara mesmo mora perto de um local com floresta, o livro foi bem representado em sua capa.




- Sara, sei que você está com medo. Mas sei também que você pode fazer isso, ou não lhe pediríamos que fizesse. Só precisa vencer o medo inicial. Quando  começar a falar, irá se sair muito bem.
- Os haidas acreditam na transmissão de suas histórias através das gerações, e agora posso passar a minha a você. Tenho algumas boas histórias de caçadas. Poderia escrever um livro. - Ele deu uma risadinha. - Você sabia que um urso é parecido com um humano quando tem a pele arrancada? Principalmente as mãos e os pés. Só que os pés são para trás e o dedão é para fora.
- Então deixe que ele fique nervoso. Estou aqui, a casa está protegida por sistema de alarme e é constantemente patrulhada pela polícia. Mas se você decidisse falar com Jhon, seria isto que deveria lhe dizer: que a polícia sabe que ele está encontrando em contato com você e que irá pegá-lo se ele pisar nessa ilha de novo.
Não sei mais a quem ouvir. Neste momento estou tão confusa que provavelmente caminharia no meio do trânsito se você achasse isso uma boa ideia - o que com certeza resolveria as coisas de maneira rápida.
Clique na imagem para aumentá-la.

14 comentários:

  1. Caramba! Dá para entender porquê ficou até as 2 lendo! Curiosa para saber sbre o desenrolar deste enredo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Sua resenha está muito boa. Não conhecia esse livro, mas lendo a sinopse e sua resenha fiquei super interessada e pretendo ler, realmente parece ser o tipo de livro que faz o leitor não parar de ler.

    ResponderExcluir
  3. Cath!
    Gosto muito dos livros que envolvem família e suspense.
    Já anotei aqui porque quero ler e acompanhar todo enredo que gira em torno de Sara...
    “Saber é compreendermos as coisas que mais nos convêm.” (Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

    ResponderExcluir
  4. Já li e tambem gostei muito, teve algumas partes que achei desnecessario, mas não deixa de ser um livro otimo, principalmente quando o telefone tocava nunca sabiamos o que iria acontecer, e a capa desse livro é linda. Otima recomendação

    ResponderExcluir
  5. De início achei o livro desinteressante pelo título e pela capa, mas como sabemos que não se deve julgar o livro pela capa, lendo a sinopse e sua resenha fiquei bem curiosa com a história.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  6. Uau! A capa condiz perfeitamente com o título e com a història. Um livro de ação total e já bateu a curiosidade para saber o final. Amei!

    ResponderExcluir
  7. A premissa é simplesmente incrível, já tinha ouvido falar do livro mas não sabia que era tão bom assim. Adoro histórias de suspense com crimes e revelações, e estou ansioso p/ poder ler essa. Abraços =)

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Já tinha visto esse livro que me deixou interessada na historia principalmente no mistério, parece uma leitura bem envolvente e gostei de como a autora coloca personagens com sentimentos reais !!

    ResponderExcluir
  9. Uool que história! Me arrepiei com a sinopse! Fez 'jus' com a capa do livro! Perfeito! Agora qro saber o decorrer do de tudo! Bjs!

    ResponderExcluir
  10. QUERO LER!! Fiquei mais curiosa (a capa ja me deixa curiosa) para poder ler esse livro, parece ser do tipo que não consegue parar de ler, como foi seu caso.

    ResponderExcluir
  11. Pelo que disse deve ser m livro muito bom, vou seguir sua dica e lê-lo o mais breve possível :D

    http://themoon-more.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Também amei essa capa, ela é realmente linda, gostei muito da resenha, gosto de livro assim, amei o tema.
    Espero em breve poder desfrutar dessa leitura.

    ResponderExcluir