sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Cine FB: A Garota Dinamarquesa.


Título: A Garota Dinamarquesa.
Duração: 2h.
Data de lançamento: 11 de fevereiro de 2016.

Sinopse:
Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher.
Opinião:

Primeiramente eu aviso que se você for uma pessoa preconceituosa vai encontrar algo que irá lhe desagradar nesse filme, mas eu imagino que se você segue meu blog não deve ter esse pensamento, já que eu mesma sou totalmente anti-preconceito e deixo isso claro desde que criei o FB.

O filme conta a história de Lili Elbe que nasceu como Einar Mogens Wegener e foi casada com Gerda enquanto ainda não havia descoberto seu verdadeiro sexo.

Quando o filme inicia Einar é apresentado e logo depois, devido a uma brincadeira da esposa, ele se veste de mulher, porém vai descobrindo que na verdade a pessoa que existe no seu interior é uma mulher, somente seu corpo que é de um homem.

Era outra época, se hoje em dia ainda é difícil, imagine naquele tempo, e Einar procura auxílio em vários médicos que acham que ele é louco. Ao mesmo tempo seu relacionamento com Gerda fica tenso, visto que ela deseja o marido de volta.

Depois de muita procura Lili encontra um médico que diz poder fazer uma operação de mudança de gênero, mas que ela nunca foi tentada antes... e eu não vou contar mais além disso, haha.

A obra é muito bonita, talvez por ser uma história real que mostre a procura de Lili por si mesma ou porque trate de um tema sobre o qual ainda existe tanto preconceito ao redor, infelizmente.

Lili inspira, pois ela só buscou poder viver como se sentia por dentro, e ninguém deveria ser proibido disso ou visto de maneira preconceituosa por isso (não incluo aqui casos de violência ou atos forçados, claro).

É um filme real, mas que ao mesmo tempo consegue ser uma obra que te da gosto assistir, não cai naquele drama de filmes que acabam virando quase um documentário. Eu realmente recomendo a todos e espero que o adorem como eu.

Ah, não posso deixar de comentar que como Gerda e Einar eram pintores o filme conta um pouco desse universo também e Gerda acabou fazendo sucesso com suas pinturas de Lili.


22 comentários:

  1. Não conhecia o filme, mas achei bem interessante, principalmente por causa do assunto e da época que acontece.
    Eu tambem não sou preconceituosa, acho que cada um tem que ser da forma que sente melhor e os outros não tem que se importar com isso

    ResponderExcluir
  2. Estou super ansiosa para assistir esse filme, acho ele demais! Vai ter um impacto muito importante na causa trans, já que será um filme de grande alcance. Fico muito feliz em ver um tema importante como esse ser tratado.

    magoevidro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, filmes assim mostram que as vozes estão ativas e serve para fazer as pessoas pensarem mais a respeito.

      Excluir
  3. Cath!
    Também sou totalmente desprovida de preconceito e tenho sempre a mente aberta para tudo.
    O filme parece interessante porque mostra o avanço de sua época.
    Ainda não assisti.
    “Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

    ResponderExcluir
  4. Quero muito assistir esse filme, tenho certeza que é ótimo. Toda a história dela, Lili, deve ser muito interessante e complexa. Estou super ansiosa.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante sim, e bonita a sua maneira.

      Excluir
  5. Nossa, interessantíssimo o tema proposto. O Einar parece ter nascido assim e isso não pode-se mudar, sou totalmente contra o preconceito e acho que o amor destrói barreiras. Quero muito ver *-* Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se pessoas amassem mais quem sabe parariam com o preconceito, né.

      Excluir
  6. Oi!
    Já tinha visto, mas não tinha parado para ver sobre o que era e lendo a resenha achei bem interessante principalmente sobre o tema que trata e quero ver o trailer para ver se gosto !!

    ResponderExcluir
  7. Para mim o legal desse livro seria a época do acontecido. Uma mentalidade diferente do atual, creio que leria esse livro por conta disso.

    ResponderExcluir
  8. Tô doida pra ver o filme! Flam mto bem dle!! Tua resenha me dxo mais curiosa! Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Abaixo o preconceito, e também acho que quem é seu leitor não irá se intimidar com isso. Em todo o caso, não estou tão ansiosa pelo filme.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho, pois já se acostumaram com minha opinião liberal.

      Excluir
  10. Tenho curiosidade para ver esse filme, pois ainda é uma que gera debates e discussões.

    ResponderExcluir
  11. Eu assisti... confesso que achei angustiante, não tenho preconceito de forma nenhuma. Mas é uma história muito triste e comovente pois o assunto é tratado como uma doença pelos médicos da época e hoje em dia tem pessoas que tem essa mesma mentalidade. Isso serviu para me mostrar que o ser humano (não generalizando) é muito ruim, ignorante, pequeno e que mesmo com o passar de anos não evoluiu. E que muita coisa que era pra ser deixado para trás, está com cada vez mais força na nossa sociedade. Abaixo a homofobia, preconceito é a forma mais baixa de mostrar que tu não entende do assunto, e quem não entende não tem o direito de opinar!

    ResponderExcluir
  12. Achei interessante o tema,nunca tinha ouvido falar desse filme, assim que sair na Netflix (se é que já não saiu,mas enfim...) vou assistir hehe

    http://themoon-more.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Quero muito assistir esse filme.
    Ouvir muitos elogios sobre esse filme.
    Amei a resenha.
    E ele retrata um tema muito interessante.

    ResponderExcluir