segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Resenha Desejo Proibido de Sophie Jackson.


Título: Desejo Proibido.
Autora: Sophie Jackson.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 416.
Ano de lançamento: 2015.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Primeiro livro de uma trilogia, Desejo proibido é uma história de amor e redenção, de universos distantes que se aproximam e se fundem numa paixão avassaladora. Seu amor é proibido, mas não pode ser ignorado. Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária. Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim pela crescente atração entre os dois. Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas. 
Opinião:

Katherine Lane não tem problemas financeiros, tendo nascido em uma família rica, mas tem outra dificuldade, quando era criança viu seu pai ser assassinado, só foi salva porque um garoto a retirou do local contra sua vontade, até hoje Kat tem pesadelos com a situação.

Ao contrário de Kat que segue as regras Carter se encontra preso, embora não seja culpado da acusação atual, seu histórico não é limpo e sua família altamente problemática.

Esses dois se encontram quando Katherine começa a dar aulas de literatura na penitenciária onde Carter se encontra e ele tem que participar para conseguir pontos para sua condicional. Então temos a parte que é clichê, eles sentem algo diferente assim que se veem, mas a história deles tem vários porém´s.

Desejo Proibido consegue fugir do clichê por retratar a história desses personagens e suas emoções de forma excelente. A preocupação da mãe de Kat por ela trabalhar com marginais como os que assassinaram seu marido beira ao desequilíbrio e te deixa nervosa e irritada junto com Katherine.

Ao mesmo tempo que tem amigos de Kat que são super maneiros tem uns que da vontade de joga de uma ponte de tão irritante que se tornam no decorrer da obra (mas tem motivos por trás). Por outro lado, o amigo de Carter que a princípio você acha que será encrenca se mostra um bom camarada.

Eu admito que gosto mais de ler os relacionamentos sendo construídos antes de caírem na parte do sexo, mas esse livro conseguiu não exagerar na pegada erótica e se salientar dos demais por mostrar os sentimentos dos dois e suas fraquezas.

Logo no começo você vai juntar os pontos e querer que chegue rapidamente o momento em que se confrontam, mas posso dizer que o antes, durante e depois tem uma imensa carga emocional dos personagens.

Por fim, embora a capa remeta a algo sexual (bonita, mas que me deixou com receio que fosse ir pro pornô) a história foca mais nas relações pessoais (não só romances) dos personagens.


Um gritinho saiu de sua boca quando ela percebeu o que era. Ficou com os olhos cheios d´água ao fitar o exemplar da primeira edição, de 1937, de Walter, the Lazy Mouse.
- Sim - falou ela, ávida por mudar de assunto. - De novo. Sei que você tem coisas para fazer, mas eu também tenho. E seus atrasos constantes simplesmente não vão funcionar. Já perdemos 15 minutos.
Ela jogou a cabeça para trás. Seus olhos mostravam a ele que as peças estavam se encaixando, lenta mas assertivamente, e tudo o que Carter podia fazer era torcer para que ela esperasse, ouvisse e tentasse entender.
Kat não conseguia tirar os olhos da nova aquisição de sua turma. Ele era um colírio, com seus cabelos raspados, ombros largos e fortes, barba de uns dois dias por fazer e pernas compridas que não cabiam debaixo da carteira, mas seu comportamento gritava agressivo. Havia uma aura de perigo em torno dele gritava Não se aproxime. Ela notou um pedacinho de uma tatuagem preta espiando por debaixo da gola de seu macacão, subindo pela nuca.

10 comentários:

  1. Olá.
    Compraria esse livro pela capa que achei linda, mais agora lendo sua resenha um é bem meu estilo não, por mais que você salientou que não apela muito pro sexo e isso(isso é bom porque ninguém merece quando o foco do livro é só sexo) mas o caso é que gosto de coisas imprevisível, e pelo que percebi esse é bem previsível, e isso num me atrai muito não.
    Bjocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não o achei imprevisível, tem momentos previsíveis, mas o desenrolar você não sabe como vai acontecer.

      Excluir
  2. Um romance que surge no presídio...UAU!
    Bem diferente...Para mim isso já foge de ser uma história clichê. Acho que o desenrolar da trama já aparenta ter um diferencial...ADOREI!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, começa o desejo dentro do presídio, rsrs.

      Excluir
  3. Cath!
    O livro já é diferente pela ambientação, porque nunca li nenhum livro onde o romance começa em ambiente tão inóspito.
    E se tem pegada de sexo na medida certa em que o envolvimento pessoal vai crescendo, fica ainda mais envolvente.
    “Jamais se desespere em meio as sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda.”(Provérbio Chinês)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, começa no presídio o interesse e quando chega a parte do sexo não é exagerado.

      Excluir
  4. Gostei muito do livro, e fico imaginando como a autora vai desenrolar a história para os outros livros.Ficava esperando acontecer uns "golpes baixos" do primo do Carter (agora não lembro o nome), mas quem sabe não venha algo por este lado?
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também esperei uns golpes baixos dele, acho que essa história não acabou e ele ainda vai aprontar algo no próximo.

      Excluir
  5. Olá!
    Duas coisas me chamaram atenção ao ler a resenha.
    A primeira foi essa questão das aulas de literatura na penitenciária. Trazendo um pouco para a realidade, essa é uma prática sensacional. O Brasil deveria adotar isso.
    Outro ponto foi o que você mencionou sobre o foco da trama não ser só no sexo. É bom quando um(a) autor(a) consegue usar o bom senso e a criatividade para explorar outros aspectos na narrativa, sem apelar tanto para o lado "hot". Claro que tem seu lado positivo, mas uma hora cansa. Ainda mais quando vem surgindo uma avalanche de livros desse tipo.

    Ótima resenha!
    Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. a historia parece muito cliche...a certinha se apaixona pelo encrenca e blablabla....mas vc falou uma coisa interessante..que apesar de ser cliche a autora descreve as emocoes perfeitamente e isso me chamou atencao....obg pela dica e bjs...

    ResponderExcluir