domingo, 29 de novembro de 2015

Resenha Confissões de Inverno de Brendan Kiely.


Título: Confissões de Inverno.
Autor: Brendan Kiely.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 224.
Ano de lançamento: 2015.
Cortesia da editora.

Sinopse:

À medida que sua família se desintegra, Aidan Donovan, um adolescente de 16 anos, procura consolo em estimulantes químicos, no estoque de bebidas do pai e nas atenções do padre Greg, o único adulto que realmente o escuta. O Natal chega e seu mundo entra em colapso quando ele reconhece o lado obscuro do afeto que o padre Greg lhe dedica. Enquanto tenta dar sentido à própria vida, Aidan conta com o apoio de um grupo de amigos desajustados: Josie, a garota por quem se apaixona; a rebelde e espontânea Sophie; e Mark, o carismático capitão da equipe de natação. Confissões de inverno mostra as formas pelas quais o amor pode ser usado como uma arma contra a inocência – mas também pode, nas mãos certas, restaurar a esperança e até a fé. O corajoso romance de estreia de Brendan Kiely expõe o mal que os segredos mais profundos que guardamos podem causar e prova que a verdade liberta e abre caminho para o amor.

Opinião:

Confissões de Inverno conta a história de Aidan Donovan que esta tendo a vida virada de cabeça para baixo.  

A família de Aidan tem poder aquisitivo, aparentemente, dinheiro não é problema, mas as coisas em sua casa se complicam quando o Velho Donovan, seu pai, se apaixona por outra mulher e deixa a propriedade e a família para viver com ela.

Enquanto a mãe de Aidan está tentando se reestruturar (de uma forma meio desequilibrada),  este está cada vez ficando mais fora de controle no seu uso de estimulantes químicos.

É necessário explicar que o problema principal de Aidan não é sua família desequilibrada, mas sim o que aconteceu enquanto prestava serviços da igreja da comunidade. Fica lógico até na sinopse do livro que algo acontece entre ele e o padre Greg, portanto, não é nenhum spoiler.

Quando Aidan percebe que padre Greg esteve mentindo o tempo todo para ele começa a entrar em colapso, pois ainda é uma criança/adolescente que foi abusada e não sabe como lidar com a situação. Como muitas vítimas em nosso mundo primeiramente acredita nas coisas que o agressor fala e só quando acontece algo é que começa a se perguntar onde está a verdade daquilo.

Como Aidan vive num mundo de aparências acredita que é necessário guardar o segredo para si, mas a medida que o tempo passa as coisas vão se complicando.

Ao mesmo tempo pela primeira vez ele começa a ter amigos, Josie por quem é apaixonado, Mark que parece esnobe a primeira vista e Sophie, melhor amiga de Josie, que é muito espontânea. 

Porém, esses amigos tem uma grande queda por fumo e bebidas, não sendo uma base ssólida. Já aviso que a pessoa que você pode achar nos primeiros minutos que é uma base sólida na vida de Aidan na verdade vai ser uma das frutas podres.

Eu gostei do livro porque ele conseguiu tratar de vários temas, tais como, o funcionamento do mundo de elite, o medo crescente no Estado naquela época de guerra, o  quanto é importante ter um apoio na família para recorrer e que não é porque faz parte da igreja que seja uma boa pessoa, bem como o encobrimento que é dado muitas vezes para padres.

A cabeça do Aidan está tão tumultuada que um pouco disso é passado para a obra e as vezes você fica confusa junto com ele, foi uma boa tática do autor para nos colocar no papel dele.

Eu não diria que é uma obra para descansar, mas sim um livro que tem como proposta te fazer pensar e abrir os horizontes, você tem que ir lê-lo tendo isso em mente.

- Não, não menti - insistiu o padre Greg. Sua voz parecia mais jovem, suplicante. - Preciso que você entenda. - Aproximou-se de mim, pousou a mão no meu ombro e se inclinou até ficar bem perto de mim. Falou baixinho, logo acima da minha cabeça. - Shhh. Espere um pouco. Você sabe com quem está conversando. Nunca menti para você. Shhh. Eu gosto muito de voc~e, Aidan, sabe disso. Shhh. - Secou o rosto com a mão e repuxou toda a pele flácida. - Pronto. Agora, fique calmo. Ótimo. Apenas respire um pouco. Isso. Assim, muito bem.
Olhei mais uma vez para  ela antes de ir embora, imaginando como seria o seu universo colorido e animado. Como mamãe, a Sra. Perrich parecia transitar sorridente pelo seu mundinho imaginário.
Consegui, sobrevivi, e se isso for mesmo necessário, se isso for tudo que é preciso fazer, posso aguentar tudo de novo, consigo aguentar.
Mas éramos só eu e o silencio e, naquele dia, senti medo. Eu tinha pavor das outras pessoas e de mim mesmo. Meus medos me oprimiam e me encurralavam. Não conseguiria superá-los se não fossem meus picos químicos. Cheirei a última carreira de Adderall, arrumei a mesa, saí do escritório e finalmente enfrentei a noite.
Naquela época acreditei nele porque queria acreditar, mas, olhando para a folha em branco durante a aula do sr. Weinstein, pensei em como de fato se inicia uma crença. Não é que ela atinja o sujeito feito um raio, derruba-o do cavalo e pinta seu mundo com cores mais vivas. Na verdade, tudo começa com o desejo de enxergar aluma coisa sob certo prisma ou de ver o mundo por outro angulo. É o desejo que prepara o terreno. Faz a ente acreditar que as nuvens estão se abrindo - e se abrindo exclusivamente para nós.
 

5 comentários:

  1. Olá!
    Achei a proposta interessante por causa da abordagem de vários temas que se entrelaçam. Drogas, família desestruturada,abuso, amizade... Deve ser um livro bem intenso. Beijos!
    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu li, gostei, mas não amei. Alguma coisa no meio do enredo não me deixou tão satisfeita. É revoltante como as pessoas escolhem fingir que não vêem para não terem que fazer nada.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. cath!
    Acredito que a abordagem do livro é bem realista e está mostrando o que acontece em nossa realidade hoje.
    Gostaria de ler para ver como foi abordado o lado psicológico de Aidan e como ele consegue (ou não) se equilibrar...
    “A beleza é a única coisa preciosa na vida. É difícil encontrá-la - mas quem consegue descobre tudo.”(Charles Chaplin)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  4. Olá!!
    Quero ler esse livros apesar de ter ouvido algumas criticas negativas sobre ele eu não perdi meu interesse em ler e com sua resenha confirmo que preciso mesmo ler esse livro, os temas abordados são muito tensos e polêmicos e gosto de ver como os autores abordam os assuntos.Muitos elogios e muitas criticas negativas a Bredan Kiely então quero tirar minhas próprias conclusões.
    Bjocas!

    ResponderExcluir
  5. Oi...
    bom temas muito pelemico...e incrivel como um adolecente pode destruir a vida...e que a unica pessoa que ele pode confiar mostra um lado diferente....parece umo bom e emocionante....por ter um padre envolvido na historia....louca pra ler...obg pela dica e.......beijocassss...

    ResponderExcluir