quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Resenha Uma Semana Para Se Perder de Tessa Dare.


Título: Uma Semana Para Se Perder.
Série: Spindle Cove # 2.
Autora: Tessa Dare.
Editora: Gurenberg.
Número de Páginas: 288.
Ano de Lançamento: 2015.
Cortesia da editora.

Sinopse:
O que pode acontecer quando um canalha decide acompanhar uma mulher inteligente em uma viagem? A bela e inteligente geóloga Minerva Highwood, uma das solteiras convictas de Spindle Cove, precisa ir à Escócia para apresentar uma grande descoberta em um importante simpósio. Mas para que isso aconteça, ela precisará encontrar alguém que a leve. Colin Sandhurst Payne, o Lorde Payne, um libertino de primeira, quer estar em qualquer lugar – menos em Spindle Cove. Minerva decide, então, que ele é a pessoa ideal para embarcar com ela em sua aventura. Mas como uma mulher solteira poderia viajar acompanhada por um homem sem reputação? Esses parceiros improváveis têm uma semana para convencer suas famílias de que estão apaixonados, forjar uma fuga, correr de bandidos armados, sobreviver aos seus piores pesadelos e viajar 400 milhas sem se matar. Tudo isso dividindo uma pequena carruagem de dia e compartilhando uma cama menor ainda à noite. Mas durante essa conturbada convivência, Colin revela um caráter muito mais profundo que seu exterior jovial, e Minerva prova que a concha em que vive esconde uma bela e brilhante alma. Talvez uma semana seja tempo suficiente para encontrarem um mundo de problemas. Ou, quem sabe, um amor eterno.
Opinião:

Uma Semana Para Se Perder é o segundo livro da série Spindle Cove, mas eu mesma não li o primeiro volume e não afetou em nada a leitura desse segundo volume.

É um romance que tem leves toques eróticos, não é pesado, a maior parte do tempo é focada no desenvolver do relacionamento entre os personagens.

Minerva Highwood é uma geóloga em uma época que não é bem aceito mulheres em meios que não sejam os domésticos, mas ela tem um gênio forte e como acha que nunca vai arrumar um marido, devido a não ser muito atraente, resolve arriscar sua reputação tentando fazer um acordo inusitado com o lorde Colin Sandhurst Payne.

Lorde Colin, como todos sabem, está preso contra sua vontade em Spindle Cove até que se case ou faça aniversário quando irá recuperar seus bens e ter dinheiro para dar o fora do local.

Acontece que Minerva deseja ir em um simpósio de geologia na Escócia e para isso tenta fazer um acordo com Lorde Payne, para este fugir com ela para o simpósio como se estivessem apaixonados, depois que ela ganhasse o prêmio de melhor descoberta/apresentação daria o dinheiro para Payne viver em Londres até seu aniversário e voltaria para casa dizendo que foi um erro terem fugido.

Primeiramente, Lorde Payne recusa, afinal embora seja meio cafajeste não quer estragar a reputação de Minerva, mas ela insiste de tantas formas que ele acaba indo e com isso várias aventuras acontecem no caminho ao mesmo tempo que vão descobrindo os segredos um do outro.

O livro não inova, mas utiliza os clichês de forma atrativa, você se pega torcendo por esse casal improvável e cheio de erros e defeitos. É um romance que vale a pena pelo modo que a autora conseguiu fazer camadas nos personagens e ir destruindo uma a uma, fazendo eles parecerem intrigantes.

Quanto a capa eu achei bonita, mas que a mulher escolhida parece velha demais para ser Minerva. Não encontrei nenhum erro de português ou concordância no texto, tendo uma excelente revisão.

Um romance clichê, mas que conta com personagens envolventes, o que ao meu ver tem o potencial para tornar qualquer clichê uma boa/ótima/excelente história.


Ele bufou, mas resistiu à tentação de lhe contar tudo que havia descoberto com a Sra. Ginny Watson no outro dia. Quando interrogada, a jovem viúva lhe contou a respeito da visita noturna da Srta. Minerva ao Castelo Rycliff. Thorne sabia a verdade. Colin e a Srta. Highwood não tinham fugido para se casar. contudo, eles iriam acabar se casando. Thorne iria garantir isso. Se Colin ousasse voltar solteiro daquela excursão, não continuaria assim por muito tempo. Ele entraria com a Srta. Minerva na Igreja de St. Úrsula nem que Thorne tivesse que conduzi-lo na ponta de uma faca. Proteger as mulheres daquela vila era seu dever, que ele levava muito a sério. E foi por isso que ele manteve a boca fechada naquele momento.
Minerva estava quase explodindo de aborrecimento. Ela não podia aguentar mais as bobagens daquelas mulheres, e o sofrimento silencioso de Colin a preocupava de verdade. Parecia que ele tinha parado de respirar totalmente.
"Honestamente, a ideia também não me anima muito. Ir de cama em cama pela estrada que liga Londres à Escócia, poderia ter me soado como uma enorme aventura à cinco anos. Hoje em dia, nem tanto." Ele pigarreou. "Hoje é o descanso que eu procuro. Eu não tenho intimidades com metade das mulheres com quem durmo. Se isso faz sentido."

4 comentários:

  1. Cath!
    gosto das séries que não precisam ser seguidas pela numeração, que pode ser lida de forma independente.
    Não conhecia, porém por ser um romance e com trechos hot, fiquei interessada na leitura.
    “Vós, que sofreis, porque amais, amai ainda mais. Morrer de amor é viver dele.”(Victor Hugo)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto, já li vários livros assim! Haha.

      Excluir
  2. Olá!!
    ão conhecia a serie , e amei conhecer, eu adoro um clichê principalmente quando o autor sabe nos envolver e nos apaixonar pelos autores, aí isso faz sim toda a diferença. Que bom que não ter lido o primeiro não afetou sua leitura, mais espero poder ler em sequencia.
    Bjocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, clichê é bom quando bem escrito, né?

      Excluir