domingo, 4 de outubro de 2015

Resenha O Retorno de Maria Metálica de Lorena Rocque.


Título: O Retorno de Maria Metálica.
Resenha do livro anterior: Link.
Autor: Lorena Rocque.
Editora: Chiado Editora.
Número de Páginas: 304.
Ano de Lançamento: 2015.
Cortesia da Autora.

Sinopse:
O Retorno de Maria Metálica - Maria Metálica está de volta para mais uma aventura fantástica e emocionante, repleta de novos perigos, encontros, desafios e fortes emoções. A intrépida marciana, agora muito mais forte e consciente de seus poderes mágicos, irá juntar-se a sua fiel companheira, a bondosa bruxa Maria Quitéria, e a outros treze bruxos do bem em sua corajosa luta contra as tenebrosas forças do mal. Nesta nova etapa de sua incrível jornada, repleta de viagens intergalácticas, mundos extraordinários e criaturas quiméricas, a jovem Metálica retornará ao planeta Terra sozinha em sua nave espacial e, ao lado de seus amigos, descerá às profundezas do nefasto e perigoso submundo, onde se deparará com grandes mistérios e ameaças, pois Lucius, o poderoso mago das trevas, será finalmente revelado e tentará consumar seus planos diabólicos de uma vez por todas, mesmo que, para isso, tenha que aniquilar qualquer um que atravessar seu caminho. Nossa heroína e sua turma ainda deverão ajudar uma jovem da Cidade do Cimento a libertar-se dos domínios do mal e encontrar seu verdadeiro caminho. Embarque nessa fabulosa história, plena de magia e fantasia, e deixe-se envolver por um enredo que certamente vai instigar as mentes mais imaginativas e sonhadoras; um verdadeiro convite a um incrível e surpreendente universo paralelo povoado de bruxas, fadas, magos, alienígenas e robôs.
Opinião:

Este livro é a continuação da obra O Resgate de Maria Metálica. No primeiro volume, Maria Quitéria, uma bruxa do bem, vai até o submundo com suas amigas bruxas para resgatar Maria Metálica, uma marciana que foi sequestrada pelo malvado Lucius quando ainda era um bebê e ficou nessa prisão até seus 14 anos quando foi salva por Maria Quitéria. 

Nessa nova aventura Maria Metálica precisa sair em uma jornada sozinha, sem a ajuda de seus pais, para que ela possa ampliar seus poderes e se tornar ainda mais forte. Porém, para a sua sorte, vai contar com a ajuda de sua nave, de Maria Quitéria e suas seis amigas, bem como de outros seres encontrados neste mundo mágico criado por Lorena Rocque.

O livro começou muito bem, adorei saber mais sobre Marte e o começo ser focado nisso. Descobrimos também, no início, que o verdadeiro nome de Maria Metálica é Kylia, o qual é mais bonito que o nome antigo, não é mesmo? Contudo, quando ela volta a Terra continuam a chamando de Maria Metálica. 

Eu estava amando esse começo focando em Marte e em Maria Metálica, porém depois de poucos capítulos o foco da história foi para os vilões e achei que a leitura ficou um pouco maçante.

A obra segue a primeira e continua com poucas falas e muita narração, e isso deixa o livro cansativo. Devido a isso senti que por muitas vezes a leitura ficou um pouco confusa e em alguns momentos foi difícil entender se ciclano era na verdade fulano, ou se era só fulano disfarçado de ciclano.  Achei que, mais uma vez, foram narradas histórias paralelas que, aparentemente, não tinham algo a acrescentar a história. 

Achei os vilões um tanto quanto bobos. Existem vários vilões e todos eles se deixam enganar por desculpas esfarrapadas ou pensam na coisa mais boba possível para ser o motivo de algo ter acontecido.

Algo que me intrigou muito desta vez é que, em uma das histórias paralelas, um dos magos do mau de Lucius atrai jovens estudantes universitários para o submundo com a desculpa de que a sobrinha dele era atriz e estava fazendo um filme do qual eles poderiam participar. Que espécie de pessoa cairia em uma desculpa dessas? Poderia até dizer que "Ah! Vai que eram alunos de teatro...", mas, bem... não eram! Não é dito no livro o que estudavam, mas depois de um evento em que alguns habitantes do submundo começam a se comportar como eles é dito que esses habitantes começaram a estudar matemática e outras coisas...

Gostei bastante da capa, achei ela bem bonita e após ler o livro pude compreender a ligação desta com a história. A edição continua muito boa e o livro, apesar de ter muitas páginas, continua leve. Uma coisa que me intriga muito é que a obra não tem um padrão de linguagem: em alguns trechos temos uma linguagem rebuscada e formal, parecendo linguagem antiga, depois temos uma linguagem um pouco menos formal e em outros até expressões como "cabreiro" aparecem. Eu entenderia isso se fosse apenas nas falas, porque cada personagem tem sua identidade, mas ter essas mudanças na narração não me parece bom, acho que deveria haver um padrão.

Enquanto o verdadeiro Lucius esteve fora do castelo, os reptilianos acabaram descobrindo que o mago estava preso, mas fingiam acreditar que Eron era, de fato, Lucius, pois sabiam que ele comandava seus robôs para aparecerem e falarem em seu lugar.
Em um dado momento, Alina enxergou um chapéu voando e lembrou-se do sonho, mas não conseguiu ver o que havia dentro.
Maria Metálica ficou surpresa ao saber que o corpo de Alina era chamado de Metálica e não entendeu nada. Mesmo assim, seguiram todas para a pedra vista na imaginação da garota. 

4 comentários:

  1. Olá Pamella!

    Li o livro e gostei muito! As histórias paralelas parecem desconectadas, porém, fazem parte do enredo enfeitando bastante e deixando dúvidas no ar! E posso dizer que a diversificação dos fatos me chamam muito atenção, dão um “tcham” no enredo. E com relação aos vilões idiotas, se você se aprofundar bem, descobrirá que há bastante ironia por detrás. Com relação à pouca quantidade de diálogos, concordo, espero que no próximo tenha mais.
    Adorei sua resenha! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. OI Pamella, não li o livro anterior, e lendo a resenha deste volume, confesso que não me empolguei tanto.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Pamella!
    Gosto muito de ficção e quando junta fantasia com o tema bruxa, acho fenomenal.
    Pena que achou o livro mais descritivo e maçante, ainda assim gostaria de conhecer um pouco mais sobre Marte...
    “É mais fácil lidar com uma má consciência do que com uma má reputação.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  4. Olá!!
    Vi a resenha do primeiro ele não me agradou muito e agora no vendo o segundo percebo que minha opinião não ira mudar sobre a a obra.
    Bjocas

    ResponderExcluir