terça-feira, 1 de setembro de 2015

Resenha O Resgate de Maria Metálica de Lorena Rocque.


Título: O Resgate de Maria Metálica - Uma Aventura no Submundo.
Autora: Lorena Rocque.
Editora: Chiado Editora.
Número de Páginas: 151.
Ano de Lançamento: 2014.
Cortesia da Autora.

Sinopse:

Maria Quitéria, uma bruxa do bem, foi enviada ao submundo, para resgatar uma prisioneira muito especial e poderosa, Maria Metálica. Ela se encontrava no castelo de um mago negro há muitos anos. E era chegada a hora de sua libertação.O leitor fará uma viagem às profundezas da Terra, onde conhecerá as artimanhas do mal e os desafios vividos pelas personagens nas diversas cidades do submundo. Também verá como agem as forças do bem. 
Opinião:

O livro O Resgate de Maria Metálica começa contando a história de Maria Quitéria, uma bruxa do bem muito poderosa. Maria Quitéria em suas andanças vive combatendo o mal, é uma das bruxas mais antigas e são poucos os que já viram sua verdadeira forma. Na maior parte do tempo ela se disfarça de Ludmila uma inocente bruxa do bem que se deixa "enganar" por Ékasi uma bruxa do mau que ludibria vários jovens bruxos para não deixar que se tornem mais poderosos do que ela. Quitéria usa esse disfarce por boa parte do livro para enganar Ékasi e Petrus, um bruxo que fica um pouco obcecado por Ludmila.

Tudo começa contando a história de Quitéria e logo depois ela recebe a missão de seu mentor espiritual Arco-íris de resgatar Maria Metálica, uma menina marciana muito especial, do submundo e das garras do malvado Lucius que quer roubar os poderes da menina. Nesse resgate Quitéria leva 6 de suas amigas bruxas para ajudar, e juntas elas vivem diversas aventuras para conseguir resgatar Metálica e sair do submundo.

A escrita do livro é simples e objetiva, por um lado isso é bom pois a leitura do livro é muito rápida, mas por outro lado alguns detalhes importantes acabam ficando um pouco de fora. Senti bastante falta de diálogos, eles existem, mas são bem poucos. Encontrei uns dois errinhos de português, em um deles 'mas' foi trocado por 'mais', e o outro creio que seja um erro de digitação pois estava escrito 'se' ao invés de 'de'.

Duas coisas ficaram um pouco sem sentido para mim, e talvez alguém que já leu o livro possa me responder, pois em uma delas voltei diversas vezes para ver se havia perdido algo. Quando Quitéria vai fugir com Metálica ela esconde a garota em uma bola de cristal e quando fogem da mansão de Lucius é dito isto. Há um paralelo de histórias depois disso e então quando Quitéria volta a aparecer, ela não esta mais com Metálica e Metálica esta vagando sozinha pelo submundo. Eu voltei no livro para ver se em algum momento diz que ela saiu da bola de cristal, mas eu não achei. Então se alguém viu favor me contar.

Outra coisa que ficou um pouco sem sentido para mim é a cronologia em uma dada parte da história. Metabólica, uma bruxa do mau, tenta enganar um reptiliano e pela narrativa parece que passou alguns dias, já que ela viajou com esse reptiliano, voltou para Terra e visitou sua prima Ékasi. Mas depois quando Ékasi resolve ir se aliar a Lucius, ele ainda esta perseguindo Quitéria, suas amigas e Metálica, e elas ainda estão no submundo. Então elas ficaram por dias no submundo? Ou a aventura de Metabólica com os reptilianos é que foi muito rápida?

Uma coisa que acho que não acrescentou muita coisa no livro e que não faria falta é que enquanto Metálica vagueia pelas cidades do submundo, histórias paralelas de pessoas que já viveram ou vivem no submundo são contadas, e eu acho que como são personagens que nada tem a ver com a história, talvez isto não fosse necessário. Senti um pouco de falta de aprofundar um pouco mais na personagem de Maria Metálica. Ficamos sabendo como ela veio parar na Terra e como foi a vida dela por todos esses anos, mas ficamos sabendo pouco sobre sua personalidade e seu sentimentos.

Eu adorei esse mundo fantasioso que a autora criou, porque bem... Eu amo qualquer coisa mágica e fantástica assim. E acho que ela foi bastante criativa quanto aos seres que integram esse mundo ( elfos, fadas, bruxas, bruxos, etc) e quanto aos poderes que cada um destes possuí. Gostei muito também que apesar de a personagem Maria Quitéria viver em alguma floresta da Inglaterra, ela não se esqueceu de colocar o Brasil nessa história. Eu achei que o livro ficou bem interessante quando começou a falar sobre Marte, como Maria Metálica veio para a Terra e suas idas para Marte através de sonhos.

Algo que achei bastante interessante foi que o livro é bem espiritualista. Da para perceber isso logo quando o mentor espiritual de Quitéria aparece. Posso estar enganada, mas acho que a escritora se inspirou um pouco na Doutrina Espírita, já que as cidades do submundo me lembraram bastante a descrição do Umbral (é como um purgatório) onde pessoas que cometeram crimes, abusaram de álcool, drogas, sexo e etc vão parar por um tempinho. Além da descrição das cidades e de quem vive nelas, há também o fato de que para sair de lá a pessoa tem que pedir com sinceridade e muita fé, e existem equipes de resgate que tiram essas pessoas de lá. Mas pelo que entendi, ao contrário do Umbral, no submundo essas pessoas estão vivas. Gostaria muito de saber se a autora se inspirou mesmo na Doutrina Espírita ou se sua inspiração foi outra, seria uma conversa interessante.

Achei a edição do livro boa e adorei o fato de ele ser bem leve, então é bem fácil de carregar para todo lugar sem pesar na bolsa. A capa é um pouco infantil, mas de certa forma é fofa e adorável.

Termino essa resenha esperando que talvez o próximo livro tenha mais falas e que possamos conhecer um pouco mais sobre Maria Metálica. Em breve, resenha de O Retorno de Maria Metálica.



A bruxa se acalmou, mas a partir desse dia Quitéria resolveu dar por encerradas suas investigações. Ékasi já fora longe demais. Quitéria já sabia o bastante sobre seus esquemas sórdidos e suas maldades. Ela era sem dúvida uma bruxa má, desviadora dos conhecimentos magísticos do bem.
Enquanto isso, a menina não era mais a mesma, parecia que estava renascendo. Era o efeito do elixir da imortalidade oferecido por Luz. A velha bruxa, que era responsável por ela, sentiu que algo havia se modificado na menina. Mas não sabia exatamente o que era.
Quitéria querendo logo começar sua viagem de volta, aceitou a ajuda dele, embora com desconfiança. O mago então abriu o seu paletó mágico e retirou 7 chaves, que dizia serem mágicas. Entregou-as à bruxa, dizendo que todas iriam precisar delas para atravessar as cortinas mágicas.

9 comentários:

  1. Oi Pamella!

    Esse livro é infanto-juvenil, né? A capa é bem gótica, gostei (kkkkkkkkkkkkkk). Não sei se leria porque você deu uma nota bem baixa para ele... E essa parte da cronologia confusa e a confusão da Maria Quitéria fugindo com a Metálica me deixou deveras desanimada.

    Beijos!
    http://www.roendolivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Clara!
      Ele tem uma pegada infanto juvenil, mas não sei se pessoas muito novas gostariam de ler este livro. Olha... Apesar da nota baixa etc, ele é um livro muito tranquilo de ler. Li em dois dias, e se tivesse tido mais tempo acho que tinha ido em um. Kkkk Fique de olho na resenha da continuação dele, estou lendo o segundo livro e posso te garantir que desse eu to gostando bem mais. Quem sabe depois de ler a resenha do segundo livro, você não anima mais?

      Beijos!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Nossa Pamela
    Este livro deve ser muito sem sentido mesmo!! Será que o seu livro não veio faltando páginas? Porque já aconteceu do meu livro vir sem o final, eu reclamei com a editora e eles mandaram outro inteiro.
    Eu não me interessei pelo livro porque tenho uma falta de paciência danada com quem não sabe diferenciar ''mas'' de ''mais.
    Beijos!!
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Não me interessei muito pelo livro, mas confesso que não vou descartar a leitura, pois teve alguns detalhes que me agradaram.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  4. Pamella!
    Já me interessei por falar de bruxas e se tem a doutrina espírita como parâmetro, de acordo com sua opinião, já me interessei ainda mais.
    Não ter diálogos dificulta mesmo um pouco a leitura, mas como parece interessante, talvez nem sinta falta...
    “Torna-te aquilo que és.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Olá Pâmela!

    Eu li o livro e gostei bastante!

    Na página 102, Maria Quitéria percebe que Maria Metálica havia sumido da bola de cristal, pois o feitiço de aprisionamento dentro da bola duraria pouco. Finalizado então o efeito deste feitiço, como Maria Metálica tinha o poder de teletransporte, ela simplesmente se teletransportou para outro lugar. Depois disso ela ficou transitando no submundo através de sua mente e não de seu corpo.

    Quanto à Metabólica, o próprio livro diz que fora da Terra o tempo e espaço funcionam de outra forma. Nesse caso, a estadia de Metabólica no planeta Sátirus, comparada ao tempo da Terra, foi muito rápida sim.
    E com relação ao erro de português, pelo o que conheço da autora, foi um erro de digitação, pois a mesma certamente conhece a diferença entre 'mais' e 'mas'.

    Mas é assim mesmo, compreendemos as coisas de acordo com o nosso estado de consciência!

    Espero a próxima resenha! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá Pamela,

    Eu li o livro e viajei bastante nas histórias, que em alguns pontos parecem não ter sentido algum, mas é uma ficção então é natural que a gente se perca um pouquinho rsrsrs... Eu amei o livro e achei muito legal a quantidade de personagens e histórias loucas.. Sou fã. BEijossss

    ResponderExcluir
  7. Olá Pamela, eu já tinha visto esse livro por aí e não tinha me interessado lendo a sinopse, e agora lendo sua resenha percebo que era exatamente como eu imaginava ele não chamou minha intenção e não pretendo ler.
    Bjocas

    ResponderExcluir