segunda-feira, 29 de junho de 2015

Resenha Rousseff de Jamil Chade e Momchil Indjov.


Título: Rousseff.
Autores: Jamil Chade e Momchil Indjov.
Editora: Virgiliae.
Número de páginas: 224.
Ano de lançamento: 2011.
Cortesia da editora.
 
Sinopse:
Quando Dilma Rousseff foi eleita presidente do Brasil, ninguém sabia os tantos porquês da comemoração que se deu na Bulgária. Por trás do motivo aparentemente simples - Dilma é filha de um búlgaro - escondem-se as tragédias e abismos enfrentados por uma família dividida entre dois países, e de fato separada por uma mudança de sobrenome, os Russev e os Rousseff. Tendo Pedro Rousseff fugido do seu país de origem em 1929, Dilma teve um meio-irmão a quem nunca conheceu. A vida dos dois, Dilma e Luben, seguiram rumos diametralmente opostos, mas que, por coincidências, tiveram muitos pontos em comum, como o comunismo e a opressão de regimes ditatoriais. A história dessa família dividida desenrola-se em duas conturbadas regiões do mundo, América Latina e Bálcãs, que são muito mais do que pano de fundo para a saga desta obra. 
Opinião:
 
O livro Rousseff conta a história da família da presidente Dilma, juntamente com todo o cenário vivido nos dois países, Brasil e Bulgária. Sim! A família da Dilma veio da Bulgária, mais especificamente o pai dela. Em tempos de crise e de um fechamento para o mundo, viver na Bulgária era algo difícil, pois se você não fizesse parte da ideologia comunista era morto, torturado e massacrado.

Porém, o pai de Dilma deixou sua esposa e um filho na Bulgária, e recomeçou sua vida em solo brasileiro. Aqui, construiu uma nova família e teve Dilma Vana Rousseff, como filha. Ao longo do livro temos uma aula de história sobre tudo o que ocorreu no Brasil em todo o período em que os militares tiveram no poder, e a entrada de Dilma na política. Há relatos das torturas sofridas pelas pessoas naquela época tanto no Brasil como na Bulgária.

Rousseff, assim, conta a história de uma menina nascida no Brasil, que viveu um cenário político em que a ideologia daqueles jovens era a busca pelo comunismo, enquanto, Luben Russev, vivia na Bulgária, num cenário político que buscava onde imperava o comunismo. Irmãos que não se conheceram, que viviam em países diferentes e com ideais diferentes. Dessa forma, para aqueles que gostam de política e história, o livro retrata muito bem o cenário vivido por uma família de origem búlgara que veio para o Brasil e que teve uma presidente da república.
 
Por meio dessas cartas, Luben entendeu que ambos haviam passado anos difíceis por conta de suas escolhas políticas. Diante de circunstâncias muito diferentes e de histórias sem paralelos, Dilma e Luben eram unidos apenas pelo destino irônico: tinham como pai um jovem que havia deixado a Bulgária tantas décadas antes.
A jovem de cabelos curtos e óculos de grau entrou para a guerrilha dissidente quando já era estudante da Faculdade de Ciências Econômicas.
Em dezembro de 1968, era a vez do AI-5, um ato institucional tão emblemático que virou um divisor de águas na história do país; o estado de exceção, que consagrava o arbítrio, a concentração de poder, a dissolução do Congresso Nacional, o fim da prática do conceito de federação e a suspensão de direitos.

6 comentários:

  1. Bem, entendo que esse livro deve ser um relato histórico de um período complicado na História do Brasil e da Bulgária, mas confesso que não sou fã de livros nesse estilo. Então, esse eu passo!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  2. Uma capa em que falta uma vírgula e um espaço entre "a" e "presidência"? Jesus, com dois typos ridículos na CAPA não quero nem imaginar como é o miolo...

    ResponderExcluir
  3. Eu sou apaixonada por história. Penso que teria uma boa leitura com este livro.
    Só não achei a capa muito convidativa.

    PARTICIPE DA PROMOÇÃO "1 ANO DO BLOG"!

    ResponderExcluir
  4. Raramente eu me interesso por livros nesse estilo, mas até que eu leria. Eu já sei um pouco sobre essa família da Dilma, mas adoraria saber um pouco mais aprofundado!

    ResponderExcluir
  5. Embora não seja um livro que eu leria, gosto bastante de histórias reais, biografias e tals. Acho muito importante conhecer um pouco do universo real.

    O livro é bem interessante, mas no momento estou focada em outros tipos de livros e - sinceramente - não leria uma história sobre a Dilma. :p

    ^^

    ResponderExcluir
  6. Fédon!
    Muito interessante poder conhecer a história de nossa Presidenta.
    Como gosto de livros que relatam fatos reais e conta a história, com toda certeza é um ótimo livro a ser lido.
    Semaninha de luz e paz!
    “Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas...”(Chico Xavier)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir