segunda-feira, 11 de maio de 2015

Entrevista com Dill Ferreira.

Olá.
Hoje vou trazer uma entrevista com Dill Ferreira, autora do livro Xeque-Mate que teve resenha publicada aqui no blog (link).

1 - Como surgiu a ideia do enredo do livro?
Eu gosto muito do ambiente empresarial para acontecer um romance. E nesses locais sempre surgem boas histórias. Umas com final feliz, outras nem tanto. Sempre ouço a respeito de envolvimentos entre colegas e juntando um fato aqui outro ali, com um pouco de ficção e romantismo, surgiu a obra Xeque-mate.

2 - Os personagens foram inspirado em alguém real? 
Não tive pessoas reais como inspiração. Embora seja um tipo de envolvimento bem frequente. Colegas de trabalho que se apaixonam e vive uma história de amor. Foi mesmo através de livros lidos e filmes assistidos, eu acredito. As vezes a ideia surge e eu nem sei de onde ela vem.

3 - Pensa em da uma continuidade para Thaissa e Marcus depois de alguns anos?
Sinceramente não. Acredito que a história ficou bem finalizada e a continuação dela pode ser criada pelo próprio leitor. Ele tem toda a liberdade de imaginar como foi após os protagonistas pegarem aquele avião para a felicidade (spoilers surgindo rsrsrsr). Eu os imagino felizes em ambos os estados de nascimento deles. Sem que um tenha que abrir mão de suas raízes pelo outro.

4 - Se Marcus pudesse responder que cena ele mais gostou no livro, qual ele diria?
Certamente seria o momento em que ele empurrou Thaissa contra a porta e depois a prendeu em seus braços, levando-a para a mesa onde aconteceu uma das cenas mais quentes entre eles.

5 - Dê um recado/dica para as leitoras que estão enfrentando essa dificuldade em se acertar com o par.

Quando há amor, respeito e companheirismo entre você e seu par, todas as outras coisas devem se deixadas de lado (ciúmes, medos e magoas). Não deixem de viver uma pela história porque há diferenças sociais ou culturais entre vocês. O tempo é curto, então viva da melhor maneira possível.

6 - Qual dos personagens foi mais fácil de escrever?
Cristina, com certeza. Isso porque todos temos um lado negro em algum lugar guardado. Então era só deixar ele aflorar e acontecer. E o fato de ela sempre falar o que pensa sem se importar com a opinião dos outros também facilitava a escrita. Era só pensar em algo calculista e perverso e pronto (risos).

7 - Eu vi que na capa tem o selo "Fundo de arte e cultura de Goiás", isso significa que o livro foi patrocinado por eles? Caso positivo, explique como foi.
Sim, ele foi patrocinado pelo governo de Goiás (meu estado). Participei de um concurso cultural organizado pelo fundo de cultural e entre os mais de dois mil participantes eu fui uma das duzentas selecionadas para terem suas obras custeadas pelo governo. Foi um presente maravilhoso que recebi, já que publicar por conta própria tem sido um grande dilema dos autores iniciantes no Brasil.

8 - Como escolheu a editora Modo?
O livro já havia sido revisado pela Adriana Vargas antes de ser enviado para o concurso, então resolvi juntar o útil ao agradável. Eu também já tinha notícias a respeito da qualidade do material que a editora produz.

9 - Achou que a capa condiz com o livro, vi comentários com os quais concordo, que a capa ficou voltada pro erótico, sendo que o livro é voltado pro romance.

Normalmente escolho a capa pela semelhança dela com os personagens e achei-a parecida com o casal. Ela é bonita e sexy assim como eles são. A capa é uma mistura de amor, fogo e paixão. Tudo que ambos vivem na história. Não é propriamente voltada ao sexo, mas a ardência que corre nas veias de ambos quando estão próximos. Ela se encaixou perfeitamente para aquele amor cheio de brigas e paixão que eu visualizei em minha mente.

10- O que achou da revisão? Visto que encontramos vários problemas nesse contexto no decorrer da leitura.
Eu não sou qualificada para revisar uma obra, minha formação é outra. Por esse motivo contrato um profissional para fazê-la por mim. Confesso que não sei o que houve. Eu também não esperava pelos diversos erros que surgiram, já que conheço de obras anteriores a qualidade da revisora. Mas estamos sim suscetíveis a eles e não tenho a intenção de apontar um ou outro. Aconteceu e espero que meus leitores não se atentem aos erros apenas. Mas que possam saborear a história que é muito linda.

11 - Deixe um recado para os leitores sobre a obra.
Xeque-mate é uma história voltada não apenas para a relação vivida entre duas pessoas. Ele vai além do fogo entre Marcus e Thaissa. Trata de questões de saudade, magoas enraizada e que nos impedem de seguir nossas vidas. Fala também de uma relação entre pai e filha machucada pelas atitudes impensadas do passado. É uma lição de amor e perdão. Sem deixar de lado, claro, um amor cheio de intrigas, brigas e que supera a tudo porque é verdadeiro e bom.
Espero que curtam e descubram tudo o que um encontro mal acabado pode trazer de bom, para aqueles marcados pelo destino.

7 comentários:

  1. Oi, achei a entrevista boa, ajuda na divulgação de novos autores nacionais.

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro entrevistas como essa! <3 Mesmo sem ainda ter lido a obra, podemos ver que a autora caprichou e vez cada página nos mínimos detalhes, fazendo com que o leitor se apaixone por tudo! Na maioria dos livros o romance acontece em um ambiente de trabalho, isso já é até clichê hahahah Eu não costumo ler livros como esse, mas com certeza eu não deixaria de ler por conta dos erros que deixaram passar, pois a história deve ser brilhante. Adorei a entrevista!

    ResponderExcluir
  3. Não li ainda Xeque Mate, mas sempre é bom conhecer um pouco dos autores por trás das obras.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Que foto diva!!! *--*
    Não li o livro mas gostei bastante da resenha e da história
    Gostei da entrevista, a Dill foi muito simpática em cada resposta *---*

    ResponderExcluir
  5. Cath!
    Bacana a entrevista.
    Já li o livro em questão e gostei muito, o único problema foi a correção, estava bem ruim mesmo.
    “Nada é por acaso...Acredite em seus sonhos e nos seus potenciais....Na vida tudo se supera..”(Mema velame)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro ver entrevista para conhecer melhor eles. Ainda nçao li o livro e ate esse momentos não tinha lido nada sobre a Dill, e adorei conhecer um pouco sobre ela.

    ResponderExcluir
  7. Muito legal a entrevista, principalmente porque saiu das perguntas clichês. Gostei principalmente da parte do financiamento do livro e da questão da revisão. E a Dill respondeu tudo sem problemas. Parabéns as duas.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir