quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Resenha Rockfeller de Alexandre Apolca.


Título: Rockfeller.
Autor: Alexandre Apolca.
Editora: Paris.
Numero de Páginas: 184.
Ano de Lançamento: 2014.
Cortesia do autor.

Sinopse:
Beto Rockfeller, que possui uma leve versão da síndrome da mão alheia, sonha em fazer sucesso com sua banda de rock. Após ser preso injustamente em um protesto na Avenida Paulista, é liberado e orientado a deixar São Paulo. Ele e sua desconhecida banda — cujos integrantes são: Yakult, Gringo e Santiago dos Santos — decidem se mudar para a mística São Thomé das Letras, a Machu Picchu brasileira. É exatamente nessa aconchegante cidadezinha mineira que começa uma trama estonteante e dinâmica — repleta de aventuras, romances, crimes e mistérios. Rockfeller se envolve com Anita Andrade, a namorada de um dos seus amigos. Esse triângulo amoroso é surpreendido com a súbita aparição de uma terrível enfermidade. Ele, desconcertado, se vê diante de uma difícil decisão, que mexe brutalmente com seus princípios morais e o pior, Rock pagará caro por sua indigesta decisão, seja ela qual for. Além disso, é obrigado a conviver com seus fantasmas, desilusões e psicoses e ainda tem de se acostumar com um enigmático corvo que o persegue. No entanto, após muito tempo, Rockfeller consegue uma segunda chance de ser feliz no Rio de Janeiro, as suas desventuras e psicoses ressurgem, e isso pode levá-lo a uma irreparável situação em que nem tudo que se vê pode ser real...
Opinião:

Primeiramente, farei um resumo sobre a história... O livro conta a vida de Beto Rockfeller, que começa nos anos de 1988/1989. Rockfeller tem um sonho de fazer sucesso com sua banda de rock, mas acaba tendo que sair de São Paulo depois de ser preso em um protesto, acontece que toda a banda resolve ir junto para São Thomé das Letras.

Cada um dos integrantes começa a trabalhar com algo e dividem a mesma casa, até Rockfeller se apaixonar por Anita, namorada de um dos seus amigos. Porém, pouco depois se descobre que Anita está doente e esse amigo foge, deixando-a com Rock uma namorada e uma decisão nas mãos sobre salvar a vida da garota.

O livro poderia ser bom, mas ao meu ver, não é. Foi uma leitura altamente entediante e previsível. Começando pelo fato de todos os personagens, sem exceção, me desagradarem profundamente, um bando de drogados, ao meu ver. Não é para menos que Rock depois fique imaginando coisas.

Sim, eu sei que naqueles anos estava em uma certa modinha ser drogado, mas sempre vou achar algo de pessoas fracas, que querem fugir da dor e recorrem a isso, logo os personagens não conseguiram meu respeito. Além disso, até o final do livro eles ainda se drogam, e a obra se passa em vários anos.

Ademais, quando chega na parte do drama e você acha que vai melhorar, ele é corrido, assim como toda a história, e acaba virando só um pretexto para os acontecimentos posteriores. Não sei se é porque tudo basicamente no livro vai contra o que eu acredito, mas achei a história toda do Rock totalmente sem noção.

O livro também tem certas cenas de sexo e referencia a ele pelo ponto de vista do Rock. Eu não tenho problema nenhum com cenas eróticas, mas o ponto de vista dele me pareceu ainda o de um adolescente mesmo depois de adulto.

A Editora do livro ainda cometeu um erro que foi cortar várias palavras de uma linha para outra, o que também se tona irritante, pois é muito seguido. Embora eu tenha achado a capa bonita, nela eles fizeram um bom trabalho.

É o segundo romance que o autor escreveu, talvez por isso ainda esteja fraco, eu diria que os personagens tem que ser melhor aprofundados, pois não consegui achar um personagem com essência e que não esteja só correndo junto com a história.

Em conclusão eu achei o livro muito fraco, com personagens detestáveis, o enredo poderia ser bom, mas acabou sendo corrido demais, não convence e ainda acabou se tornando altamente previsível.




Não aguentei e chorei, chorei porque a ficha caíra, pois agora sentia que poderia perdê-la.
- Você está bem? Viu o que dá beber demais e ainda queimar um baseado. Misturar dá nisso. Seu amador!
- E a roupa de baixo? - perguntou Scarlett arrancando o vestido.
- Sim, Rock. Esqueci. Esqueci de dizer que não vivo sem você.


5 comentários:

  1. Uma pena o livro ser tão ruim assim, se fosse só pela capa eu com certeza leria... Mania de querer livros só pela capa bonita.

    ResponderExcluir
  2. Eu li um outro livro do Alexandre e confesso que esperava mais dele. Este pelo visto segue o mesmo caminho, o que é uma pena.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Cath!
    Não li o livro ainda, embora saiba da história que permeia toda premissa, porque se não me engano, foi baseado em fatos reais e tudo relatado, realmente aconteceu.
    Uma pena que a escrita do autor não ajudou porque é uma história forte.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Que pena que esse livro foi uma sucessão de erros, né?!?! Realmente fica complicado continuar uma leitura onde você detesta todas as personagens. Se ainda fosse por elas serem vilãs, ainda vai, mas por não criar uma empatia, já é demais.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Não li o livro mas não gostei muito principalmente pelo fato de a historia não ser bem desenvolvida gosto quando o autor desenvolve profundamente a historia dos personagens uma pena !!!

    ResponderExcluir