quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Resenha Segredos Perigosos.



Título: Segredos Perigosos.
Autora: Chantelle Shaw.
Editora: Harlequin Books.
Numero de Páginas: 183.
Ano de Lançamento: 2010.

Sinopse:
Mãe do bebê Carducci... ou virgem inocente? Quando Raul Carducci soube que um bebê poderia pôr sua herança em risco, decidiu mostrar as garras. Um novo herdeiro dos Carducci não usurparia o que era dele por direito. Para proteger o pequeno Gino, Libby Maynard fora forçada a fingir que era sua mãe, mas não esperava ter de utilizar sua farsa com Raul E então ele a pediu em casamento com sua voz forte e sedutora. Incapaz de recusar, Libby se tornou sua esposa... e rezou para que a verdade não fosse descoberta na noite de núpcias!
Opinião:

Sabe aqueles dias que você quer um romance melado para ler? Foi num desses que comprei e li esse livro. E se você está fazendo careta por eu gostar de romance de banca: =P estou nem aí, gosto mesmo.

Nesse livro Raul descobre no testamento de seu pai que este lhe deixou somente metade da empresa e a outra para um filho que nem sabia existir, e ainda o bebê teria que morar na sua Villa na Itália junto com a mãe até completar 18 anos. Mas o toque final é que a parte do bebê na empresa será controlado pela mãe.

Por isso Raul vai até a loja da sra. Maynard, onde encontra uma jovem e um bebê. Libby por receio dele tirar o irmão dela, já que a mãe faleceu a poucos meses, finge ser a mãe do Gino.

Assim Raul tem a ideia que ela é uma golpista, pois não teria outro motivo para ficar com um homem tão mais velho, mas não tem outra maneira além de levá-los para a Villa.

Só que é claro, desde o inicio rola uma atração entre eles, que acabam se pegando em alguns momentos, o clichê normal.

Além disso, tudo acontece muito rápido, para terem noção em um só dia se conhecem e se mudam para a Itália. Esse é um erro comum em romances de banca, a rapidez com que tudo acontece.

Mas eu fui comprar o livro com a intenção de ler um romance melado, meio utópico, e essa minha meta a obra atendeu. Foi leve e romântico, daqueles que te faz querer uma história fofa assim, em que o homem começa charmoso e chato e a garota birrenta, mas que acabam se apaixonando.



Desde que a ideia de se casar com Libby lhe viera à mente, não conseguira pensar em mais nada. Nem ao menos conseguira se concentrar naquela crucial reunião da diretoria.
 - É exatamente o fato de não estarmos apaixonados e, portanto, não termos expectativas sobre nosso relacionamento, que me leva a crer que nosso casamento dará certo.
Dio! Libby era uma atriz brilhante, pensou ele, furioso com o sentimento de culpa que o atingia ao ver o lábio inferior de Libby tremer. Parecia tão magoada e vulnerável!
Libby lhe dirigiu um olhar furioso, ressentida por Raul ter afirmado que ela administrara mal a loja quando trabalhara com tanto empenho para fazer da Nature´s Way um sucesso.

7 comentários:

  1. Olá!
    Acredita que nunca li um romance de banca? Na verdade, nem conheço bem o estilo. Essa história me pareceu clichê, como você mesma mencionou, mas que bom que correspondeu às suas expectativas. Beijos!!!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Cath's, não tenho preconceito nenhum com livros de banca. Pelo contrário,os adoro.
    E sempre digo que comecei a gostar de ler lendo os livros da Harlequin.

    Adorei a trama do livro,e assim que puder vou lê-lo.
    Afinal,como resistir a um romance?! :)

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?

    Esse livro parece ser bom. Gostei muito da sinopse e da resenha. Pena eu não o ter, mas vou procurar para comprar.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Cath!
    Amo os romance de banca também e não é de agora, viu?
    Acho bem bacana quando tem bebês envolvidos.
    Gostei!!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Toca aqui amiga, eu também gosto de livros assim! Já li outros desta série Maridos Italianos, mas este eu ainda não li.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nenhum romance de banca, qurm sabe um dia eu leia.
    Gostei bastante do livro, apesar de não parecer eu me interesso bastante em romances melosos.
    Com certeza irei lê-lo.

    ResponderExcluir
  7. Aaaah minha tia tem uma coleção e tanto de romances de banca. Ela sempre diz que a paixão que eu tenho agora por distopias e histórias fantásticas é a mesma paixão que ela tinha na minha idade com os romances de banca. Sempre tive uma pontinha de curiosidade, mas não sei por que eu nunca li ao menos um. Eles devem ser uma ótima maneira de relaxar (principalmente após um livro com uma carga emocional exaustiva), então acho que devo dar uma chance a eles, sim.

    ResponderExcluir