quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Resenha Sacramento.


Nome: Sacramento.
Autor: Felipe Cangussu.
Editora: Novo Século.
Numero de Páginas: 400.
Ano de Lançamento: 2013.

Sinopse: Não leia este livro se não estiver disposto a passar a madrugada imerso no rio de suas palavras. Deixe-o para quem deseja se entregar à sua trama como um apaixonado, à fluidez dessa obra envolvente e um tanto, original. Leitor, deixe-me apresentar: Essa é a história de William, o amigo que todo suicida precisa. De Anderson, o psicopata do bem. Marina, a mulher que amou demais. E Johnny Sacramento, o homem que (quase) morreu três vezes. 
Opinião:

Não sei por onde começar, se pela resenha ou comentário, porque os dois estão me saltando a cabeça. Fazia um bom tempo que não lia um livro na qual minha opinião se formou de primeira, e bem que eu queria contar muitas coisas para vocês, mas não vou, irei me segurar e guardar segredo. O melhor de tudo é que a sinopse deste livro não conta absolutamente nada, então posso enfeitar bastante para deixar vocês muitooooooo curiosos.

Uma palavra para definir esse livro, TENSO (do jeito assustador), foi uma leitura que passou subitamente de uma narração simples de um cotidiano para um suspense/terror. Fiquei surpreendida com a maldade existente na cabeça desse autor, teve vários momentos no meio do livro que eu pensava, não vou ler, vou ler, e ficava nessa indecisão, não pelo fato de o livro ser ruim, e sim porque sou medrosa, mas nunca achei que um livro ia me proporcionar essa experiência. É nessas horas que eu paro e penso no quanto vale a pena dedicar algumas horas de leitura para nossos autores nacionais. Parabenizo e muito o autor da obra.

Sobre os personagens principais, um deles é a morte em pessoa. E ela não é uma dona morte que aparece e vai embora, ela literalmente persegue os personagens até conseguir o que quer.

Mas antes de todo esse pavor começar, vou contar um pouquinho da história do livro (sem spoilers claro!).

Quando criança Anderson perdeu sua família e foi adotado por seus tios, pais do William. 
Na casa ao lado existe Marina e Jhonny que também são primos e moram juntos. Os quatros moram numa vizinhança muito tranquila e acabam se conhecendo em função de estudarem na mesma escola e assim crescem juntos e criam uma grande amizade, mesmo tendo objetivos diferentes eles são muito unidos. 

Quando Jhonny se forma no colégio, ele passa em um concurso para ir trabalhar em Brasília, mas embora ele goste muito dos seus amigos e da sua companhia, não fica com duvidas e parte logo. Os anos vão passando e Jhonny vai se tornando uma pessoa solitária, somente do serviço pra casa, com isso adquire uma depressão. Pensamentos de suicídio começam a se tornar frequentes, deixando ele com duvidas do que fazer com sua própria vida, até que certo dia ele recebe uma ligação no meio da noite, mas não é qualquer um, é nada mais, nada menos, que a própria morte, solicitando o sua alma de volta. Dando todas as instruções que ele deve seguir para conseguir completar essa tarefa. Informando também que quanto mais demorasse para executar a missão os juros cobrados seriam altíssimos.

Após ponderar um pouco, ele pega e da um tiro em sua própria boca, o que ele não contava é que daria de cara com a morte no momento em que partisse. E o que ele esperava menos ainda é que na hora da morte se adonar de sua alma, ele conseguiria fugir e voltar ao mundo dos vivos. Só que dessa vez o preço por sua desobediência é dobrado, e a morte vai começar sua caçada... Pelas pessoas que ele mais ama.



Querido Jhonny, o seu tempo de vida expirou, queira entregar o corpo de aluguel para um de nossos ceifadores. Você poderá fazer essa devolução através de um suicídio comum. 

Seu prazo de vida expirou. Você poderá ganhar bônus extras de vida ao executar pessoas amadas. 






4 comentários:

  1. Pri!
    Deu até um arrepio na nuca, cruzes!
    Fico orgulhosa de ver um autor nacional com a mente tão criativa, mesmo que perniciosa.
    Fiquei curiosa em poder ler.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É eu que sou medrosa li devagarinho... Foi uma experiencia unica.

      Excluir
  2. Quando li lá em cima a sinopse,achei que se tratava de um livro confuso.
    Mas logo depois que li a resenha,percebi que é uma leitura de arrepiar !
    Já imaginou a morte nos perseguindo e ameaçando quem amamos?

    Com certeza gostaria de ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é a sinopse é bemmmmm resumidinha... Mas o livro é muito empolgante...

      Excluir