terça-feira, 9 de setembro de 2014

Resenha A Casa de Avis.


Nome: A Casa de Avis.
Trilogia: Calicute.
Autor: Marcelo Mussuri.
Editora: Novo Século.
Numero de Páginas: 376.
Ano de Lançamento: 2013.
Cortesia do autor.

Sinopse: Jaime, filho do Duque de Bragança, o homem mais rico e influente de Portugal, tem apenas seis anos quando o pai é condenado à morte e degolado na praça de Évora. Após ser obrigado a assistir a execução, é enviado ao estaleiro da cidade de Lagos, para ser esquecido e desaparecer definitivamente. O menino resiste e se junta a um pequeno grupo de carpinteiros naquela extenuante rotina de trabalho. Até que uma doença devastadora aniquila a tripulação das caravelas destinadas a cruzar o extremo sul do mundo em busca do caminho para as Índias. O ano era 1488 de Nosso Senhor Jesus Cristo, e Jaime não poderia imaginar que sua vida estaria intrinsecamente ligada à maior aventura de sua nação. Apoiado em verdades históricas, esse romance de tirar o fôlego, desvenda os segredos das intrincadas relações de poder na Corte portuguesa no final do século XV, as sangrentas batalhas medievais, as ordens religiosas e seu extraordinário poderio militar, as fantásticas viagens oceânicas, seus perigos, desastres e a promessa de fortunas inimagináveis.
Opinião:

A primeira impressão que tive do livro é que a capa é linda, mas os primeiros capítulos não me entusiasmaram muito, tanto que comentei com a Cath's que a leitura não havia me conquistado.
Mas acho que a intenção do autor foi mesmo começar mais devagar do que o resto do livro, porque senão seria muita emoção. Me confundi também no início em função de muitas pessoas com o mesmo nome, ele poderia ter especificado mais quem era quem, sei que naquela época os filhos herdavam o nome de seus pais, mas confesso que a descrição EX (Pedro falou com Pedro) ficou muito estranha. Passando esses desentendimentos entre eu e o livro, tudo se resolveu quando ele voltou a contar a história de Jaime, e ai o livro passou num piscar de olhos.

O livro começa contando uma decapitação em praça pública, e não bastando isso, colocaram o Jaime, filho desse homem, para assistir a tragédia. Logo em seguida botaram o menino pra fora da cidade com a ideia de que ele desaparecesse, mas o que era pra ser uma tarefa fácil foi interrompida por Diogo e Dias, dois irmãos que se penalizaram com o tratamento que estavam dando ao jovem.
Então o livro volta no passado, para entendermos como funcionava a hierarquia e mostrar o quanto a igreja era influente dentro da monarquia. Mostram várias intrigas internas, por disputa de dinheiro mas principalmente de poder, a ponto de armar um plano pra que o então rei, matasse seu próprio tio.
Após isso eles voltam para a história dos irmãos Dias e Diogo só que um pouco mais tarde, quando tornaram-se navegadores do Rei, descobrindo nossas terras e territórios. O único problema é que, nos últimos tempos,  sua tripulação foi dizimada por uma peste que tomou conta de cidade. Enquanto eles buscavam novos marujos para as embarcações. Dias vê de longe um rapaz que lhe é conhecido, por incrível que pareça é Jaime, que leva Dias até a carpintaria onde trabalha e lá  todos os homens são convocados para uma nova viajem para o Rei.

A partir dai começam inúmeras aventuras, momentos de tensão, outros engraçados, mas todos eles bem descritos pelo autor, com riqueza em detalhes.
Estou ansiosa pelo segundo livro da trilogia Calicute.



Aonde você pensa que vai rapaz? - a voz grave o trouxe de volta a realidade. Três passos a frente, Dias girou o cavalo novamente em direção ao menino e perguntou serenamente.- Como se chama??- Jaime, senhor! Com um sorriso triste, voltou o cavalo novamente para saída e partiu.
Dias ainda ficou espichando as orelhas por mais um tempo, depois correu para contornar a construção de madeira e ficou de frente para a origem do murmurio e não acreditou no que viu. lá de cima, não foi difícil reconhecer o garoto que encontrara  na estrada três anos antes. Dias não se conteve de alegria e deu um assovio alto. O jovem Jaime vinha calmamente cantarolando em sua direção quando ouviu o silvo agudo. Parou por um breve momento e após ter reconhecido quem era, disparou ao seu encontro.


5 comentários:

  1. Deixando de lado a confusão de nomes parecidos,achei o enredo do livro muito interessante!
    Gostei de saber que há pitadas de aventura,comédia e drama.
    Fiquei bem curiosa! ;)

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esta trilogia. Não gostei muito da capa, mas o enredo parece ser interessante.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Pri!
    Gosto de livros de época porque nos mostram a realidade nua e crua de como eram os governos monarquistas e autoritários, além do que, a ascensão do poderio da igreja que queria dominar tudo.
    O fato de nomes iguais também me confunde um pouco nos livros fico sem saber quem é quem.
    Semaninha de luz e paz!
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não conhecia nem o autor, nem essa trilogia. Em relação a trama, me amarro em livros com essa pegada mais Medieval, com direito a reinos, Igreja, conspirações, etc. O que acho que também me atrapalharia seria essa repetição de nomes. Mas nada como redobrar a atenção nesses momentos, né?!?!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  5. Adoooorei o livro tipo de livro que gosto de ler
    dei uma olhada na saraiva e esta de R$ 39,90
    irei espero um pouco mais mais fica com preço melhor e quem sabe eu não compro

    BLOG- http://b-maluco.tk/
    INSTRAGRAM- http://instagram.com/omundodejess
    weheartit- http://weheartit.com/Gikura_Viey

    ResponderExcluir