quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Resenha A Promessa do Tigre.


Título: A Promessa do Tigre.
Saga: Saga do Tigre.
Autora: Colleen Houck.
Editora: Arqueiro.
Numero de Páginas: 128.
Ano de Lançamento: 2014.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Medo. Esperança. Dúvidas. Antes da maldição, uma promessa. Mais de 300 anos antes de Kelsey Hayes surgir na vida de Ren e Kishan, uma jovem cruzou o caminho dos príncipes. Seu amor por um deles mudou o curso da história e o destino da família Rajaram. Criada longe dos olhos da corte, isolada do convívio no castelo, Yesubai luta para suportar os maus-tratos do pai e manter em segredo suas habilidades mágicas. Lokesh é um poderoso e cruel feiticeiro que foi capaz de assassinar a própria esposa porque ela lhe deu uma filha em vez de um filho. Ao completar 16 anos, Yesubai é surpreendida por um anúncio do rei. Procurando fortalecer suas relações diplomáticas, o nobre acredita que um casamento entre a filha de Lokesh, comandante de seu exército, e um pretendente de algum dos reinos vizinhos será uma boa estratégia para diminuir os conflitos na região. A jovem recebe a notícia com alegria. Pela primeira vez ela enxerga um fio de esperança, a perspectiva de escapar do controle do pai e de levar uma vida fora do confinamento de seus aposentos. Mas esses não são os planos do feiticeiro. Ele vê no iminente casamento de Yesubai uma oportunidade de conseguir ainda mais poder e não poupará esforços para atingir seus objetivos sombrios. 'A promessa do tigre' conta a origem da história dos príncipes Ren e Kishan e os acontecimentos que levaram às aventuras da aclamada série 'A maldição do tigre'.
Opinião:


Peço desculpas antecipadas a vocês, normalmente eu me controlo nas resenhas para sair um linguajar mais aceitável e menos coloquial, mas nessa...
 
Como sabem (ou não) sou apaixonada pela Saga Tigre, então assim que chegou o livro eu larguei todas as leituras e pulei nele, mentalmente até dancei com ele.
 
Para quem não leu a Saga entender, esse é um conto anterior à Maldição do Tigre, não fará mal algum você ler ele antes.
 
Conta a história de Yesubai e do seu terrível e maligno pai Lokesh, que deseja as partes do medalhão que a família Rajaram possui.
 
Admito que na leitura da Saga eu não era fã da Yesubai, mas esse livro retrata o lado dela da história, como tinha medo do pai que a maltratava, ofendia e batia, e como se apaixonou por Kishan, sim, ela também o amou.
 
Não teve como no decorrer da obra não amar ainda mais os irmãos Rajaram, especialmente o Kishan. Enquanto você vê que ele meio que "atrapalha" o romance de Ren e Kelsey na Saga, nessa você vê Ren "atrapalhando" o romance de Kishan e Yesubai.
 
Por eu ter lido a Saga já sabia como terminava a história, mas me peguei torcendo por uma mudança repentina nos fatos, pois me cativaram.
 
Também,  em um toque de mestra, aparece a Dunga, que necessitava tirar uma dúvida, o que foi muito bom, pois mostrou o quanto ela se importa com Kishan. Colleen conseguiu infiltrar mais na Índia e suas histórias, o que deixa o livro com o gosto que adoramos.
 
Aparecem os pais de Ren e Kishan, principalmente a mãe deles, e mostra como eram uma família unida.
 
Não digo que eu amei Yesubai, digo que tudo poderia ter sido evitado se ela tivesse mais coragem, mas admito que no final ela teve, o que já é alguma coisa.
 
No final eu queria voltar ao começo, só para ter mais desse universo que amo para ler. Espero mesmo que Colleen termine logo de escrever O Sonho do Tigre, pois viver sem Ren e Kishan é triste.
 
Mas,  garotas, um aviso: na Saga Tigre há uma grande probabilidade de você se apaixonar por dois irmãos, e se você já tem namorado desejar trocá-lo por um deles.
 
Quanto a capa, a primeira vez que vi há meses atrás torci o nariz, mas agora simplesmente achei perfeita! Tem tudo a ver com o livro! E mantém os traços das outras capas da Saga.

 

Embora tudo o que eu quisesse naquele momento em que meu pai andava ao meu redor fosse desaparecer, abri um meio sorriso e reforcei minha determinação.

Ergui os olhos rapidamente e me vi sondando os olhos dourados do homem em quem eu reparara durante a festa, aquele que parecia não estar interessado no anúncio do rei sobre minha disponibilidade para casar. Ele estreitou os olhos e olhou para o seixo que havia rolado. Examinou com cuidado as árvores ao redor. Após um momento, deu um breve suspiro e apoiou as mãos na borda da fonte.

- Há uma história que o povo da minha mãe conta sobre esses peixes. Num lugar distante, há um rio cheio deles. Embora não aconteça com frequência, alguns desses peixinhos nadam até a cabeceira do rio. Lá encontram uma grande cachoeira, e os mais valentes e determinados, que exaurem as forças saltando até o topo da cachoeira, ganham um presente dos deuses.

Kishan já estava na altura de meu pescoço quando finalmente consegui me concentrar em suas palavras.

Kishan tinha a habilidade de me fazer sentir segura. Era um sentimento semelhante ao que o jardim me proporcionava.

4 comentários:

  1. Cath's!
    A série é uma das mais desejadas por mim e quando leio uma resenha tão apaixonada como a sua, fico ainda com mais vontade de ler todos os livros.
    Acho que é um dos poucos que deu 5 livrinhos, deve mesmo ser fabuloso.
    Boa semaninha!
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

    ResponderExcluir
  2. Perdi o interesse nesta série. Acabei nem começando a leitura.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Sempre achei a capa horrível por pensar que não tinha nada a ver com os outros livros.
    Mas você mudou de ideia depois que leu o livro... Então eu não digo mais nada

    ResponderExcluir
  4. Oie...
    Ainda não li nenhum dos livros da saga, mas sou apaixonada pelas capas dos livros... só desse que achei meio esquisita! rsrsrs
    Mas como vc disse no post que ela é perfeita e combina com o livro, fiquei super curiosa para conferir!! Pretendo adquirir em breve os livros e me deliciar na leitura! Espero gostar tanto quanto vc!

    ResponderExcluir