terça-feira, 5 de agosto de 2014

Resenha Nosferatu.


Título: Nosferatu.
Autor: Joe Hill.
Editora: Arqueiro.
Numero de Páginas: 624.
Ano de Lançamento: 2014.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca... e acaba encontrando Charlie. Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic. Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.
Opinião:

Já tive uma experiência anterior com uma obra do Joe Hill, e esta veio para confirmar: o autor é um Stephen King mais dark. Você pode me perguntar, mais dark que o King? A minha percepção sim, é mais tenso, mais sombrio.

Victoria numa crise histérica da sua mãe por ter perdido uma pulseira, sai de casa andando em sua bicicleta com o desejo de encontrá-la, até que ela chega ao Atalho, que já havia sido demolido, mas não é isso que Vic vê, ele o vê inteiro e ao entrar nele sai exatamente onde sua mãe perdeu a pulseira.

Então Vic começa a usar O Atalho sempre que precisa achar algo que se perdeu no decorrer dos anos, só que cada vez que ela usa tem uma consequência, como a dor no seu olho esquerdo, sempre é cobrado um preço por usar.

Apesar disso tudo estaria bem se ela não saísse um dia procurando encrenca com nome e sobrenome: Charlie Manx, que ela só sabia que sequestrava crianças e  e fazia algo horrível com elas, que nunca mais eram vistas.

Por um bocado de sorte ela consegue sair viva desse encontro e mandar Charlie para a prisão, e essa é só a primeira parte do livro. Posteriormente, com Vic já adulta, Charlie consegue voltar a ativa.

Só que tem um porém, Charlie não é um simples sequestrador, ele tem "poderes" que nem a Vic e criou a Terra do Natal, que não pode ser acessada por ruas normais, logo quem não tem nenhum dom não chegaria ao local sem ajuda, e é nessa Terra do Natal que ficam as crianças.

Ilogicamente, quando Charlie volta a ativa ele vai atrás de Vic, e deseja se vingar dela. Desse ponto, vou parar de contar sobre o enredo do livro e passar ao que achei dele.

Não é uma leitura que eu indique para crianças, em alguns momentos eu mesma tive que parar e fechar os olhos para tirar aquela sensação de peso, e não me considero nenhuma "florzinha".

Vic começou me encantando quando criança e a medida que o tempo passou ela me irritou admito, tendo melhorado para o final do livro. Charlie é tão preso a sua loucura, pois ele acredita que está certo, que me deu agonia. Bing (não irei contar quem é, vão descobrir lendo) retrata fielmente como algumas pessoas devem procurar ajuda psicológica. Maggie me deu vontade de abraçar, assim como Wayne de proteger e Lou fez eu ir gostando dele gradativamente.

O nome do livro tem referencia a obra, Charlie tem um Rolls-Royce que a placa é NOS4A2, que forma a palavra Nosferatu = vampiro, e não, o livro não tem nada a ver com vampiros, mas é que Charlie suga de certa forma as crianças.

Joe conseguiu desmonstrar a essência de certos seres humanos, como mesmo tentando fazer algo bom acabando mais destruindo que construindo, ele criou personagens fortes.

Não é uma leitura leve, é pesada, é descritiva, e como disse anteriormente é intensa, se você não aprecia sangue, palavrões e gases (sim, gases, os personagens adoram "peidar") então eu não indico, mas se está procurando um livro tenso, eu super indico esse.



Uma pessoa podia passar a vida inteira vendo pássaros sem saber distinguir um pardal de um melro, mas todos nós sabemos reconhecer um cisne quando ele aparece. O mesmo acontecia com carros: você podia até não saber diferenciar um Firebird de um Fiero, mas identificava um Rolls-Royce.

Bruce Wayne Carmody estava infeliz havia tanto tempo que nem se incomodava mais. Às vezes, ele tinha a impressão de que o mundo vinha desmoronando sob seus pés havia anos. Ainda estava esperando ele puxá-lo para baixo e, enfim, enterrá-lo.

O homem de Kentucky, Nathan Demeter, tinha passado bastante tempo no pequeno porão da Casa do Sono antes de seguir seu rumo. Bing preferia moças, mas Nathan sabia exatamente o que fazer com a boca e, quando Bing acabou de usá-lo, os dois já haviam tido muitas longas e importantes conversas másculas sobre amor.

9 comentários:

  1. Olá Cath's
    Adorei sua resenha. Não tive a oportunidade de ler o livro, mas já tinha ouvido falar algumas coisas sobre a história. Quem sabe consiga inserir essa leitura na minha interminável lista...

    Beijos
    http://estantedafer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se gosta do Hill essa é uma boa sugestão Fer.

      Excluir
  2. Vamos combinar que esta estória de beidar... De resto achei bem interessante e como já namoro o livro, com certeza vou ler.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sentia nojos nas partes de peidar, haha. #menininha

      Excluir
  3. OOOOOOOOOOOOOOOOOI, Caaaaaath *-* Tudo bom, amor? ♥ Oooooooooooooomg, Nosferatuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu *0* Tô simplesmente doidinhaaaaaaa por esse livro, hahahaha! E caraca! Mais dark que o King? Meuuuuuuuu Deuuuuuus, hahahaha! E olha que o King é assustador, hein? o.O Gostei disso, fiquei com ainda mais vontade de ler esse livro, hahahahaha! Cara, a história desse livro é sensacional! Achi meio estranho envolver uma briga entre uma mãe e uma filha por uma pulseira, mas tá, uashaushuhsauhsa! Mas essa fantasia, O Atalho, me deixa bastante interessada, hahahaha! Ish, tinha que ter um pedófilo e um assassino na história, pra tudo ficar mais legal, aushauhsahsuhsshua! Incrível. Fico feliz em saber que ela o colocou na prisão, pelo menos até ficar mais velha, hahaha! Alguma hora ele teria de sair da prisão, né? Hahaha! E uau, sério que você teve que fechar os olhos? :o Meu Deus! Tão assustador assim? Hahaha, não sou "florzinha", assim como você disse, então acho que esse livro seria perfeito pra mim, hahahahaha! *-* E por que a Vic te irritou? Hahaha! E aaaah, vai me deixar curiosa, é? Quero saber quem é Bing, uashasuhsuah! Shhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, sem spoiler! Hahaha! SUGA DE CERTA FORMA AS CRIANÇAS? Misericórdia, uashauahsuhsahsauh! Peidar? Uauahsuahshasuuhsahsahashuasuh, meu Deus, uahsauhshauhuashas! E siiiiiiiiiiiiiiiim, estou procurando um livro tenso, este foi feito pra mim, uashsuasahuhus! Adooooooorei sua resenha, diva ♥

    BEIJOS INFINITOOOOOOOOOOOOS! ♥

    Juu-Chan || Nescau com Nutella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu demorei uma semana para ler esse livro, o que é muito vendo como leio rápido, rsrs. A briga da pulseira foi entre a mãe e o pai dela, ela ouviu. Depois que ler me manda o link da sua resenha Ju!

      Excluir
  4. Cath's!
    Desde que li a primeira resenha desse livro me interessei porque gosto do sobrenatural, inexplicável e sombrio, além do que também acho o estilo do autor parecido, só parecido com King...um dos meus escritores favoritos, justamente porque como Joe Hill, conseguem captar a verdadeira essência das pessoas e transportá-las para os livros.
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

    ResponderExcluir
  5. Oie...
    É a primeira resenha sobre o livro que leio! Estava louca para ler ele, mas achei meio esquisito rsrsrs não gosto muito de gases e se os palavrões forem bem colocados até que vai, do contrário não me anima também! Gosto de sangue rsrsrs
    Achei bem interessante de onde veio o nome do livro e vou pensar melhor se pretendo lê-lo ou não, pois o que mais me chamou a atenção foi o dom sobrenatural.

    ResponderExcluir
  6. AHHHHHHH! Tu também leu Nosferatu, sou louco pra ter este livro.
    Gosto dele só pela quantidade de páginas.
    Amo livros grande *----*
    Já conhecia o livro por outros blogs

    ResponderExcluir