terça-feira, 12 de agosto de 2014

Resenha Manual da Investigação Forense.


Título: Manual da Investigação Forense.
Autor: Sérgio Pereira Couto.
Editora: Matrix.
Numero de páginas: 143.
Ano de Lançamento: 2010.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Neste 'Manual da Investigação Forense' o leitor irá acompanhar o passo a passo de uma investigação criminal, desde o isolamento da cena do crime até as análises das evidências encontradas. Aprenda como eram desvendadas casos no início do século XX, quando a polícia não tinha tanta tecnologia à disposição. 
Opinião:

Esse foi um livro que demorei a ler, pelo simples motivo que é uma obra de informações sobre atividades forenses, então tive que ler, parar e ler mais um pouco, senão as explicações se confundiam, ao menos comigo foi assim.

O autor explica qual a atividade de cada profissão que trabalha com investigação forense e trás também ligações com seriados de televisão e com casos que aconteceram no nosso mundo.

Eu tenho um interesse por essa área, acho legal. Ano passado fomos (pessoal do curso de Direito) no Instituto Médico Legal de Porto Alegre/RS e eu me encantei. Algo estranho para se dizer sobre uma visita ao IML, mas é verdade.

Nessa visita vimos como eles trabalham. Vimos uma apresentação sobre o IML, vimos onde "guardam" os corpos até precisarem retirar e também uma necropsia. A maioria do pessoal não gostou muito da necropsia, já eu, achei adorável. Vou explicar porquê: além do profissional estar ali tentando descobrir a causa da morte (digamos uma busca pela verdade), te dá uma certa sensação de paz, porque todos vamos acabar assim, é terrível, mas real.

E esse livro te explica como lidar quando está na cena de um crime, para não estragar a investigação. Explica como é feito o DNA, a autópsia, balística e papiloscopia. Além de contar como a polícia traça perfis psicológicos e como isso ajuda na investigação.

Te ensina os tipos de especialistas forense, entre outros, por exemplo: patologia forense, antropologia forense, odontologia forense, toxicologia forense, serologia forense e entomologia forense.

Além disso, tenta te mostrar como esses especialistas trabalham, desde as ferramentas usadas até o que acontece numa cena de crime, várias vezes usando como exemplo casos reais.

É um livro interessante para se conhecer mais a respeito, é uma leitura para informações, conhecimento. Em algum momento da sua vida, você vai estar perto de alguém que morreu, ou você pode se encontrar num caso de criminal, logo é útil ter informações a respeito para não contaminar as evidencias.

Para mim, que faço direito e adoro a área penal foi instrutivo, embora digamos que metade eu já tinha noção, não é uma área de outro mundo, nem igual ao que mostra na televisão e é interessante saber mais a respeito.



Mesmo sendo um líquido, isso não significa que não possa ter resquícios sólidos. As manchas de sangue são um excelente meio de conservação para fragmentos minúsculos de tecido humano e ossos. Quando isso acontece, é um indicador de que os ferimentos provocados pelo ataque foram profundos e bem graves.
Quando o corpo chega, está dentro de um saco plástico preto usado para o transporte ou envolto em um lençol estéril. Caso o exame não seja feito naquele instante, o corpo será guardado dentro de um freezer até que o legista esteja pronto para começar.
A primeira parte do procedimento determina que sejam colhidas amostras das superfícies externas do corpo, incluindo cabelos, impressões digitais, resíduos de pólvora, lascas de pintura, fibras e qualquer coisa estranha que seja encontrada. Todo material recolhido é anotado cuidadosamente.
Balística terminal - é a análise da interação entre um projétil e seu alvo, seja qual for o material de que este é composto.

8 comentários:

  1. Olá Cath's!!!!
    Só pelo título já sei que o livro vai me agradar!
    Sou fascinada por investigações criminais e acho muito difícil algum livro do gênero me desagradar. De forma óbvia, já coloquei ele na minha lista de compras, uihsusahusahsuah!

    Beijos
    http://estantedafer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi..
    Eu confesso que não faz meu estilo, mas tenho uma amiga que iria adorar esse livro.
    Valeu a dica.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu amo seriados baseados nas ciência dos crimes, tanto que sigo e acompanho vários do gênero, mas não sei se gostaria deste livro.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  4. Cath's!
    Quando estudava Direito, adora ir ao IML e a perícia forense era a parte mais interessante, porque estava ligada a área criminal, adorava!!
    Pelo visto é um livro mais técnico, mas gostaria muito de aprender sobre as técnicas e diferenças das especialidades forenses.
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

    ResponderExcluir
  5. Gostei desse livro! Eu também sou fascinada por essas coisas policiais e tal, aiii que inveja, eu gostaria de fazer uma visita ao IML haha, antes eu gostaria de ser legista, mas agora não vou mais... Gostaria muito de lê-lo :)
    Bjs
    Anny

    ResponderExcluir
  6. Oie...
    Gostei bastante de conhecer um pouco mais sobre o livro! Tenho o sonho de um dia trabalhar na área forense e desconhecia o livro. Já participei de um Encontro Nacional de Química forense e achei o máximo. Como faço Química, me interesso muito em como deve ser a investigação e a análise das amostras colhidas! Achei incrível!!

    ResponderExcluir
  7. OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLÁ, Caaaaaaaath ♥ Tudo bem, amor? Hahaha, espero que sim! *-* Cara, eu ainda não comentei aqui? Juro que comentei! Pô. Mas tá, uassahusahu! Eu adoooooooorei esse livroooooooo! Eu me interesso por autópsias e tal, e gostei muito desse manual! ♥ E que legal você ter ido ao IML! Hahaha, deve ter sido mesmo demais!

    Af, Cath, tô suuuuuper sem tempo pra comentar :c Desculpa, tá? Uaushauhuashhasu! :3 Mas eu li sua resenha! ♥ Inclusive, adorei o livro justamente por ele mostrar como os profissionais trabalham e tal, assim como você disse! *-*

    BEIJOS INFINITOOOOOOOOOOOOS! ♥

    Juu-Chan || Nescau com Nutella

    ResponderExcluir
  8. Sério? No IML? Nossa!
    Pra ser franco, nunca li e muito menos ouvi falar de especialistas forences, mas já vi que não é a minha área

    ResponderExcluir