quinta-feira, 26 de junho de 2014

Resenha: Uma Mulher, Um Momem, Um Drink.


Título: Uma mulher, um homem, um drink.
Autora: Natalia Von Poser.
Editora: Livros Ilimitados.
Numero de Páginas: 212.
Ano de Lançamento: 2013.
Compre: Saraiva.

Sinopse:
Uma Mulher, um Homem, um drink é novo do selo Eu amo Escrever. Neste livro, Natália Von Poser conta a história de Paula uma psicóloga carioca que seleciona funcionários para telemarketing e conduz profundas pesquisas sobre marcas de margarina e finais de novelas. Ricardo é um ex marqueteiro que um dia desistiu de tudo para ser um feliz professor. Uma tarde, eles se encontram em uma noite quente de pré-carnaval no apinhado bar do aeroporto da cidade da garoa. Ricardo olha Paula, Paula não vê Ricardo. Ricardo oferece um drink àquela estranha que destoa de todo o cenário apressado e estressado paulista. E a partir daí, três histórias se desenrolam. Histórias que acontecem naquela única noite e que se alternam entre restaurantes da moda, casas de suingue, escolas de samba, e taxis. A partir daquele drink, as vidas de ambos e de todos que os cercam – o noivo, a melhor amiga, um garçom e mesmo um bebê vão ser postas à prova por um golpe do destino.

Opinião:

"Uma mulher, um homem, um drink" é um chick-lit nacional, que, em terceira pessoa, conta a história de Paula em três versões. Você deve estar se perguntando: "Como assim três versões?". A autora, Natalia Von Poser, escreve três vezes a mesma história, mas cada uma segue um caminho diferente à partir de uma escolha de Paula: aceitar ou não o drink que aquele desconhecido lhe oferece?

Paula é psicóloga em uma empresa de RH, porém não gosta de seu atual emprego. Ela vive em São Paulo, onde trabalha durante a semana e, aos finais de semana volta para o Rio de Janeiro, onde mora com seu noivo: Fernando. Nossa protagonista tem dois melhores amigos: Laura e Murilo. Laura é a típica Barbie e Murilo é gay e é aquele melhor amigo que todas nós gostaríamos de ter.

Finalmente, Paula decide sair de seu emprego para investir no seu relacionamento com Fernando. Ela pede demissão e ruma para o aeroporto. Decide fazer uma surpresa e não conta para o noivo que está indo mais cedo para casa. No aeroporto, ela está sentada, quando Manuel, o garçom, diz que um homem perguntou se ela aceitaria um drink. Este homem se chama Ricardo. E é aí que tudo começa. 

Ricardo se formou em Administração com ênfase em marketing, mas desistiu de ser marqueteiro para ser professor. Ele tem uma melhor amiga chamada Maria, que acabou de se casar e está grávida. 

Na primeira versão da história, Paula não aceita o drink. Ela pega o avião e vai para casa. Sua melhor amiga, Laura, tem um encontro com um homem que conheceu pela internet. Os quatro acabam indo jantar e depois que Fernando tem um chilique e Laura vai para o Carnaval, Ricardo e Paulo passam por várias confusões. Não vou falar das outras versões para não acabar dando spoilers, Mas, são tão divertidas quanto a primeira. Só é um pouco estranho chegar ao desfecho e depois iniciar a história outra vez.

Em relação aos personagens, meu favorito foi o Ricardo. Ele não é o perfeito Príncipe Encantado. Mas ele é bom (bonito, decente e tal) e real. Não é aquele clichê ao qual estamos acostumados: CEO, rico, perfeito e dono do planeta. A que menos gostei foi Laura. Sabe quando alguém diz "com essa amiga, você não precisa de uma inimiga", pois é, esse alguém está falando de Laura.

Fazendo uma rápida reflexão sobre o livro, é como se nós tivéssemos nossas vidas predestinadas a alguma coisa. Imagine que algo tem que acontecer para você nesta vida, você tem que chegar até determinado ponto. Isso é fato: você tem e vai chegar até lá. Porém, os métodos que vai usar para fazer isso é problema seu, você vai se virar. É isso que o livro nos passa, somos predestinados a alguma coisa, como uma alma gêmea, por exemplo. Temos que encontrá-la nessa vida, mas até chegar lá, muita coisa pode acontecer, por causa do nosso livre arbítrio, por causa das nossas escolhas. Nós somos feitos de nossas escolhas, mas o que tem que acontecer, acontecerá. O que é pra ser: será! As três versões da história de Paula deixa isso bem explícito!


"Todos dizem que a vida é feita de escolhas, e que você é responsável pelo seu destino, mas, na verdade, é meio que um jogo de cartas marcadas. Cada vez que você faz uma escolha, você pode calcular aproximadamente a probabilidade de atingir o resultado que você quer. Nada é aleatório. Você joga as fichas certas, senta e espera."

Este livro é muito bom, entrou para minha lista de favoritos. Dei apenas quatro estrelas para ele, pois algumas coisas ficaram sem ponta na história, como, por exemplo, o que acontece com Maria, Fred e o bebê deles. Eu queria saber mais sobre isso.

Concluindo, eu recomendo este livro para todos, principalmente para as meninas modernas e resolvidas com a vida, que não têm medo de palavrões e nenhum tipo de preconceito.

3 comentários:

  1. Achei legal a resenha mais gostei principalmente de não ser um clichê que estou acostumada e enjoada onde o cara tem o mundo inteiro...
    Meu sonho ter um amigo gay :P

    ResponderExcluir
  2. Ainda não conhecia esse livro e achei a sinopse bem legal. A premissa da história é bem interessante, adorei esse lance de 3 versões da história. Fiquei bem curiosa pra conhecer as 2 versões que você não citou e também conhecer melhor os personagens da história.

    Bjok

    ResponderExcluir
  3. Você realmente sabe como deixar leitores curiosos para ler um livro né? hahah
    Gosto do fato de não ser um clichê, porque livros clichês não funcionam comigo [só filmes rs].
    Também gosto das 3 versões da história... já coloquei na lista de desejados.

    ResponderExcluir