domingo, 6 de abril de 2014

Resenha As Mentiras de Locke Lamora.


Título: As Mentiras de Locke Lamora.
Série: Nobres Vigaristas.
Autor: Scott Lynch.
Editora: Arqueiro.
Numero de páginas: 464.
Ano de Lançamento: 2014.

Sinopse:
O Espinho é uma figura lendária: um espadachim imbatível, um especialista em roubos vultosos, um fantasma que atravessa paredes. Metade da excêntrica cidade de Camorr acredita que ele seja um defensor dos pobres, enquanto o restante o considera apenas uma invencionice ridícula.
Franzino, azarado no amor e sem nenhuma habilidade com a espada, Locke Lamora é o homem por trás do fabuloso Espinho, cujas façanhas alcançaram uma fama indesejada. Ele de fato rouba dos ricos (de quem mais valeria a pena roubar?), mas os pobres não veem nem a cor do dinheiro conquistado com os golpes, que vai todo para os bolsos de Locke e de seus comparsas: os Nobres Vigaristas.
O único lar do astuto grupo é o submundo da antiquíssima Camorr, que começa a ser assolado por um misterioso assassino com poder de superar até mesmo o Espinho. Matando líderes de gangues, ele instaura uma guerra clandestina e ameaça mergulhar a cidade em um banho de sangue. Preso em uma armadilha sinistra, Locke e seus amigos terão sua lealdade e inteligência testadas ao máximo e precisarão lutar para sobreviver.

Opinião:

Esqueçam nosso mundo e mergulhem na vida em Camorr.

Quando eu pedi esse livro para ler, não fazia ideia da magnitude dele. Quando ele chegou que comecei a ler a respeito e percebi que seria um livro U-A-U.
Lynch não usa elementos do nosso cotidiano, ele simplesmente criou um universo novo, sim, os personagens são humanos e você vai encontrar características em comum, mas o autor fez cidades, itens, costumes, tudo novo.
O legal é que os capítulos intercalam a vida atual que ao meu ver é a trama principal com lembranças de quando os Nobres Vigaristas eram crianças, e a partir de um ponto eles se interligam. 
No começo eu ficava ansiosa para saber mais dos acontecimentos de quando eram crianças (o autor começa essa narração te deixando bem curiosa), depois virou e eu estava ansiosa pelos acontecimentos atuais, que ficaram cada vez mais agitados.
Mas vamos para o inicio, o livro conta a história dos Nobres Vigaristas, com ênfase no Locke Lamora, que é o garrista deles (garrista é quem representa o grupo, digamos, teoricamente eles deveriam obedecer ao Locke).
Os Nobres Vigaristas são formados por: Locke, Jean, Calo, Galdo e Pulga. Você vai aos poucos ser apresentado aos personagens, afinal, com as lembranças vai descobrindo mais a respeito de cada um. No final, eu estava conquistada por todos.
Nesse livro você vai acompanhar um dos golpes deles para furtar metade da fortuna de um casal de nobres, e além disso está ocorrendo um golpe contra o Capa Barsavi feito pelo Rei Cinza, que ninguém sabe quem é (Capa é o líder maior, ao qual os garristas pagam um "imposto" em dias determinados). Claro que os Nobres Vigaristas acabam no meio disso.
A leitura não é cansativa como As Crônicas de Gelo e Fogo, por exemplo, o linguajar é bem mais fácil, mas foi um livro que eu demorei mais de uma semana para ler, pois são muitos acontecimentos em cada página e como a mente do autor é brilhante você tem que cuidar para ir acompanhando as reviravoltas.
Além do universo rico em detalhes, cada personagem tem sua história e seu próprio jeito, você vai se apegar aos Nobres Vigaristas mesmo eles gostam de furtar e nem usando o dinheiro, rsrs. É mais pelo prazer do golpe.
No final do livro vão liberar um capitulo do próximo que só serviu para me deixar curiosa.
Outro ponto é que a história que se inicia nesse livro termina neste, você necessariamente não precisa ler o segundo, embora eu acredite que querer ler.
Mais um fato legal é que esse livro foi publicado em 2005 e foi o primeiro livro do autor, são raros os que começam já a publicar com um livro desse nível. São raros que um dia publicam um livro desse nível.
Os direitos cinematográficas já foram comprados, resta saber se vão colocar nas telonas, pois tem alguns que a Warner compra e fica enrolando.
Quanto a capa, eu achei linda, combina com o que contam no livro sobre Camoor, eu não achei nenhum errinho de escrita durante toda a leitura, e a letra embora não seja daquelas grandonas, não é das mini também, um bom tamanho para se ler (diz a pessoa aqui que lê a noite).
Vale muito a pena a leitura, assim que mergulharem na mente de Locke Lamora vão ir para outro espaço, onde genialidade está presente o tempo inteiro.
P.S.: Para o pessoal que gosta de ação: vocês vão adorar.


A única constância da alma humana eh a sua inconstância. 
Não preciso de ninguém para me lembrar que estamos mergulhados em água escura até o pescoço. Só peço a vocês que se lembrem de que os malditos tubarões somos nós.


5 comentários:

  1. Desde que vi a primeira resenha desse livro, fiquei com uma vontade enorme de lê-lo. Sua resenha me deixou com mais vontade ainda. Ele parece ser ainda mais profundo do que eu imaginava.


    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de Abril

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fui a leitura sem esperar tudo isso, ele se aprofunda muito!

      Excluir
  2. Oie.

    Não sei se gostaria de ler o livro, mas
    leria, só para ver se é bom e dar para meu irmão ler rs
    é ando fazendo ele ler, mas só ler depois que já li o livro hahaha

    Beijos!
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro, mas gostei da premissa. Parece ser um livro interessante.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Gostei da sinopse, e pela sua resenha parece ser um livro que eu gostaria de ler *-*
    Ainda bem que da pra ler ele e não continuar se não gostar, a editora fez um trabalho muito bem feito na capa...

    ResponderExcluir