terça-feira, 18 de março de 2014

Resenha O Verdadeiro Poder.


Título: O Verdadeiro Poder.
Autora: Claudia Taulois.
Editora: Novo Século.
Numero de páginas: 469.
Ano de Lançamento: 2013.
Cortesia da autora.

Sinopse:
Cintia é a primeira mulher a ocupar a presidência do Brasil, após uma campanha que promete acabar com as favelas, erradicar os traficantes e legalizar as drogas. Mulher de fibra e determinação, não desiste de seus ideais e enfrenta todo tipo de forças contrárias e inimigos poderosos na luta para alcançar seus objetivos. Como um trator, nada a demove de seus planos, até que o destino se interpõe, fazendo com que ela descubra que seu único e grande amor do passado é, na verdade, a pessoa que ela vem tentando combater ferozmente. O Verdadeiro Poder aborda os questionamentos provenientes de uma linda e conturbada história de amor, que, para poder ser vivida, demanda uma enorme carga de altruísmo, dedicação, entrega e renúncia.

Opinião:

O livro começa com Raphael, ex namorado de Cintia, que sumiu sem dar noticias da vida dela, dos pais e do amigo deles, o Tiago.
Raphael trabalha com o narcotráfico, mas agora está em uma situação inusitada e preocupante... Raul, seu chefe, deseja que ele mate a presidente do Brasil recém eleita, que é a Cintia. 
Cintia tem planejamentos para exterminar o narcotráfico, destruir as favelas, passando seus moradores para Centros, onde terão moradia, escola, trabalho e assistência médica, além de querer aprovar a legalização de drogas.
A vida dos dois novamente se juntam quando Raphael resolve que irá proteger Cintia, não ajudaria a matá-la e sim enganaria Raul.

Eu gostei de algumas das ideias de Cintia, embora obviamente as coisas não sejam tão simples quanto no livro, na obra você irá acompanhá-la durante todo seu mandato, e Raphael durante sua pena e mudanças.
Depois de acompanhar a história por esses anos, a autora ainda lhe leva vários a frente, para descobrir como termina a vida deles.
A única coisa que aponto como negativo no livro, é que os personagens são muito divididos em bons e maus, até mesmo Raphael ficou assim, antes mau (leia-se irresponsável) e depois bom. Eu acredito que a autora quis mostra a evolução que sempre se pode ter, mas faltou ao menos um personagem que mesclasse esses sentimentos.
Apreciei muito o fato de podermos acompanhar a trajetória deles até o final, e que Cintia não deixou os planos dela de lado por Raphael, mas também demonstrou que você não precisa ter "poder" para ser feliz.
Raphael me irritou as vezes, pois mesmo sendo do ser humano certas emoções, ele não tinha o direito de expressá-la, afinal foi ele que aprontou.
Eu gostei da Cintia, me identifiquei em alguns momentos, talvez os leitores antigos lembrem que fiz uma postagem uma vez aqui falando que as favelas tinham que sumir e seus moradores realocados.
O Luis me irritou em alguns momentos, pois eu sai de um relacionamento onde fiz algumas das coisas que ele fez, e se ver no espelho nunca é tão legal, mas é um personagem que me tocou de certa forma.
Mas a Consuelo é quem vira a queridinha, mesmo ela sendo toda "Deus tem o poder de te ajudar" e eu não ser muito religiosa (leia-se nenhum pouco) ela é tão fofa e querida que não tem como não gostar.
No decorrer da história existe outro romance, também conta com a história da mãe de Cintia, como os pais de Raphael sofreram as escolhas do filho, incluindo o cenário político.
Lendo a sinopse você não espera tanto do livro, você acha que será somente focado na Cintia, mas não é, é um romance que tem como cenário o universo político. Ao meu ver de maneira mais leve do que o universo político é realmente.
Mas acima de tudo, como o nome do livro já diz, é uma obra para você descobrir que o verdadeiro poder pode não ser aquele que pensa, talvez você necessite de bem menos para ser feliz.




Quando não há uma história que sustente o boato, este vai morrer como começou.

8 comentários:

  1. A impressão que tenho pela sinopse e por sua resenha é a de que o livro é ambicioso demais e a autora não conseguiu dar conta do tema que escolheu. Parece mesmo que o foco é apenas os romances (vide a frase na capa, inclusive hahaha).

    http://sobrelivroseletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o objetivo da autora (posso estar falando caca, kk) foi fazer o enfoque que o verdadeiro poder é o amor, e para isso usou o cenário da politica, de certo por também gostar disso ou porque ir até presidente, teoricamente, não é fácil, kk.

      Excluir
  2. Só pela sua resenha eu gostei do livro, parece ser uma história boa e com uma premissa que tem tudo para dar certo, mas fico preocupada se vou gostar mesmo pelo o que você comentou sobre a autora dividir muito bem o bom e o mal, sendo que as pessoas por natureza tem os dois lados, mas só lendo mesmo para decidir se vou gostar ou não.

    Adorei a resenha :D

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou muito cricri para isso, e mesmo assim eu gostei dos personagens e no livro como um todo Ana.

      Excluir
  3. É muito bom ver o mercado literário nacional crescendo dessa forma, gostei da sinopse, com certeza é um livro que lerei algum dia. Sua resenha ficou bem esclarecedora. Gostei.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ana.
      Tem tantos livros bons nacionais, mas ainda existe mais divulgação para os outros, aos poucos acho que vamos mudando isso. o/

      Excluir
  4. Achei a estoria bem diferente, mas mesmo assim ela não me despertou curiosidade, então não sei se lerei ele um dia...

    Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
  5. Como falei, parece interessante.
    A capa é muito boa e o enredo promissor... mas lendo a resenha, não sei se seria o tema que eu gostaria de ler por hora...

    ResponderExcluir