domingo, 23 de março de 2014

Lançamentos: V&R Editoras.

Boa noite de domingo pessoal. =)
Vamos conferir os livros lançados no mês pela V&R Editoras?
Não deixem de me contar qual mais gostaram!

A V&R Editoras lança, neste mês, uma publicação especial para os amantes de futebol. 1000 curiosidades do mundo da bola que todo craque deveria saber, do escritor e jornalista argentino Aníbal Litvin, reúne curiosidades sobre jogadores, partidas e técnicos das mais diferentes épocas e nacionalidades, além de muitos casos de Copas do Mundo passadas. Organizada por tópicos de 1 a 1000, a obra fornece ao leitor informações, curiosidades, fatos marcantes, histórias engraçadas e conquistas que aconteceram desde meados de 1800, quando o esporte nasceu, até os dias de hoje. O leitor conhecerá, por exemplo, que “O registro mais antigo sobre o futebol data de 1894, quando Nettie Honeyball, uma ativista dos direitos da mulher, fundou um clube esportivo: o British Ladies Football Club”, e curiosidades como “Uma bola de futebol perdida durante o Tsunami que afetou o Japão em 2011 foi encontrada no Alasca 2 anos depois”. Além de informativo, o livro com certeza divertirá os leitores com algumas preciosidades que fizeram história: O jogador alemão Lukas Podolski disse: “O futebol é como o xadrez, mas sem o dado” (É evidente que ele sabe mais sobre futebol do que sobre xadrez). Poucas pessoas sabem, por exemplo, que, até 1866, só era permitido aos jogadores dar passes para trás, como no Rugby.  Conhecerá declarações desastrosas como a do técnico da Espanha na Copa do Mundo do Chile, em 1962. Pelé se machucou e foi substituído por Amarildo para jogar contra a Espanha. Antes da partida, o técnico espanhol tinha declarado: “Sem Pelé, o Brasil é fraco, quem é Amarildo?” E o Brasil ganhou de 2 a 1... com gols do Amarildo. E quem imaginaria que o músico Bob Marley fazia questão de jogar uma partida de futebol antes de suas apresentações como forma de aliviar a tensão? Estas e outras curiosidades podem ser encontradas em 1000 curiosidades do mundo da bola que todo craque deveria saber, que chega às livrarias brasileiras em março.

Uma viagem extraordinária pela cozinha clássica italiana, na companhia de grandes chefs da renomada Academia Barilla. A cada receita, foi explorado um mosaico de tradições que constituem uma herança conjunta de inestimável valor histórico e cultural, transmitida de geração para geração. A cada página, o leitor conhecerá a história, tradição e costumes à mesa da cultura Italiana. Com receitas regionais de norte a sul da Itália, selecionadas a dedo pelo Master Chef Mario Grazia, professor e diretor da Academia Barilla, a obra é uma homenagem a arte de comer bem e ao inigualável talento de uma terra amada por todos nós. A Arte da Cozinha Italiana reúne receitas diferentes, saudáveis, ricas e apetitosas, que variam de cidade para cidade, de região para região, trazendo os diferentes formatos de massas e recheios, pratos principais que levam o nome dos lugares (à veneziana, à milanese, à modenese) ou ainda que adotam o nome original no dialeto da região e sobremesas que são feitas com ingredientes de produção local. A culinária italiana é resultado de receitas simples que foram passadas, por meio da tradição oral, de geração para geração e depois adaptadas pelos restaurantes até chegarem às nossas mesas.  Separadas em aperitivos, entradas, pratos principais, vegetais e legumes e sobremesas, cada uma das 130 receitas escolhidas, traz consigo um breve histórico, peculiaridades e influências regionais, com textos de autoria do Master Chef Mario Grazia e de sua esposa Maria Grazia Villa. Ideal tanto para iniciantes em gastronomia quanto para profissionais do ramo, cada uma das receitas conta com a avaliação do grau de dificuldade de seu preparo, que varia de um a três. As fotografias que acompanham e dão vida a cada uma das receitas são de autoria de Alberto Rossi – fotógrafo italiano especializado em gastronomia – do próprio Mario Grazia e do também Chef e professor de gastronomia Luca Zanga. Editado pela renomada Academia Barilla, a obra conta ainda com três textos introdutórios. O primeiro, assinado pelos irmãos Guido, Luca e Paolo Barilla, discorre sobre as diferentes cozinhas italianas, cada qual marcada pela região em que surgiu. Em seguida, Gianluigi Zenti – presidente da Academia Barilla – conta um pouco sobre o conceito da Academia e de sua importância para a preservação dos costumes culinários do país e, consequentemente, da cultura italiana. Por fim, o Chef Davide Oldani, do restaurante D’O Cornaredo, premiado com três estrelas pelo Guia Michelin, traz uma reflexão sobre tradição e gastronomia, em sua visão duas questões indissociáveis e complementares.

A fenda branca – as cores de Madeleine, primeiro volume da trilogia da escritora australiana Jaclyn Moriarty, aclamada pela crítica internacional como um dos principais nomes da narrativa fantástica contemporânea. As aventuras, descobertas e conflitos de dois adolescentes que vivem em universos paralelos é o tema central da narrativa. De um lado, no reino fantástico de Cello, um lugar mágico, permeado por feitiços, abóboras, cores que tem vida própria – algumas boas e outras más – e estações do ano que mudam subitamente, vive Elliot Baranski, 15 anos.  O garoto está à procura de seu pai, desaparecido na mesma noite em que seu tio foi morto. Nas ruas de Cello, correm boatos de que seu pai assassinou o irmão e fugiu com a professora de física, mas o jovem recusa-se a acreditar nesta versão e está determinado a descobrir a verdade. Em outra realidade, na cidade chuvosa e cinzenta de Cambridge, na Inglaterra, vive a garota Madeleine, que guarda segredo sobre o seu passado misterioso. Madeleine e a mãe fugiram – sob circunstâncias não esclarecidas – da vida rica que levavam ao lado do pai e se instalaram nas extremidades de Cambridge, onde levam uma vida muito simples. Separados por mundos diferentes, suas histórias se unem com a descoberta acidental de uma fenda que funciona como um portal entre as duas realidades. Ao voltar para casa de bicicleta em um dia qualquer, Madeleine se depara com algo que chama sua atenção: de dentro de um buraco em um parquímetro quebrado, a menina retira uma carta dobrada cuidadosamente com uma mensagem enigmática.  Por meio desta fenda, que há muito tempo não se abria, os protagonistas passam então a se corresponder. Embora vivendo em realidades diferentes, os dois passam a se ajudar mutuamente, em uma corrida contra o tempo, para desvendar os mistérios que os atormentam antes que seja tarde demais. Comovente, sutil e engraçado, o estilo de Jaclyn Moriarty alterna diálogos em primeira pessoa, narrativas em terceira pessoa, cartas, recortes de jornais e dá significado a fatos que vão surgindo no decorrer da história, e que, a princípio, parecem aleatórios para o leitor. Fantasia, magia, ciência, aventura, mistério, elementos que prendem a atenção e agradam crianças e adultos, compõem a fórmula do sucesso internacional da autora.
 


4 comentários:

  1. O único que me despertou interesse foi o ultimo, A Fenda Branca.

    Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, nenhum dos lançamentos me chamou a atenção, mas a capa do último é linda.

    ResponderExcluir
  3. Neste lançamentos não me interessei muito por nenhum mais se fosse comprar algum séria A Fenda Branca.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Apesar de curtir demais a editora, nenhum destes lançamentos me chamaram a atenção =(

    ResponderExcluir