sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Resenha Tigana.


Título: Tigana.
Autor: Guy Gavriel Kay.
Editora: Saída de emergência Brasil.
Numero de páginas: 368.
Ano de lançamento no Brasil: 2014.
Cortesia da Editora Saída de Emergência Brasil.
Onde comprar: Link.

Sinopse:
Tigana é uma obra rara e encantadora onde mito e magia se tornam reais e entram nas nossas vidas. Esta é a história de uma nação oprimida que luta para ser livre depois de cair nas mãos de conquistadores implacáveis. É a história de um povo tão amaldiçoado pelas negras feitiçarias do rei Brandin que o próprio nome da sua bela terra não pode ser lembrado ou pronunciado. Mas anos após a devastação da sua capital, um pequeno grupo de sobreviventes, liderado pelo príncipe Alessan, inicia uma cruzada perigosa para destronar os reis despóticos que governam a Península da Palma, numa tentativa de recuperar um nome banido: Tigana. Num mundo ricamente detalhado, onde impera a violência das paixões, este épico sublime sobre um povo determinado em alcançar os seus sonhos mudou para sempre as fronteiras da fantasia. 
Opinião:
As primeiras 100 páginas de Tigana podem te deixar confuso (e devem), pois é como se fosse a introdução que a história precisa, mais depois, é uau, a cada página você tem um novo desenrolar para deixar sua cara no chão.
Eu me peguei pensando em como fazer essa resenha sem fornecer spoiler, já que o livro começa num mistério que você vai desvendando pedaços até o final dele, que dai vem o capitulo do próximo livro que chega com mais surpresas.
Imagine uma nação que tem dois tiranos (que obviamente não gostam um do outro), um é o Brandin e o outro o Barbadior.
Mas vamos começar pelo inicio, o livro começa 18 anos antes em um batalha que sela o destino de Tigana (eu não direi o que acontece, para não perder a graça), depois vocês vão conhecer personagens que vão te acompanhar durante o livro: Alessan, Devin, Baerd,  Sandre e Catriana. 
Devin, Catriana e Alessan fazem parte de um grupo de músicos da companhia do Menico, só que durante os ritos da morte de Sandre se descobre que Catriana e Alessan não são somente isso.
E a parte um é para você conhecer a história desses personagens e da busca que eles irão enfrentar para recuperar sua liberdade.
Na parte dois você conhece Dianora (que eu adorei) e no final dessa parte você descobre que ela tem relação com o outro grupo anterior, mas também serve para entender que mesmo a vingança pode ter obstáculos e que Brandin teve os motivos dele para fazer o que fez e que dentro desse limite não é uma má pessoa.

No posfácio exclusivo para essa edição o autor fala que tentou demonstrar a tirania, o nunca existir, segredos, dissimulação e lealdade. E eu digo que ele conseguiu isso, os heróis não são só heróis, dependendo do ponto de vista eles podem muito bem ser os vilões, e o tirano Brandin não é só tirano, é um pai que perdeu o filho e até hoje não superou a magoa.
O autor joga com itens que temos e tivemos no nosso mundo, só que em um ambiente de ficção. Eu adorei isso de não serem separados em heróis e vilões, pois é assim que os humanos são, inconstantes.
A história é muito bem feita, sem deixar rastros. Você tem surpresas e reviravoltas o tempo todo e quando chega ao final fica a vontade de ler logo a continuação, pois aqui no Brasil a Editora dividiu em dois livros. Então você vai para o capitulo do próximo livro e só fica mais curioso ainda.
Os personagens são bem feitos, cada um com seu jeito, gostei muito da Catriana, da Diadora, do Baerd e do Brandin.
Eu adorei o livro e estou me roendo porque quero o final, ainda mais agora que sei que vai ter mais uma surpresa durante a última parte.
Quanto a arte da editora novamente ela vem com os mapas da nação no livro, com todo um cuidado e cores fantásticas na combinação, e a capa também, a arte é muito linda como vocês mesmos podem ver.
Então fica aqui meu dizer: vá descobrir o que é Tigana.

Classificação: 05/05.

Não existem caminhos errados. Apenas caminhos que você não sabia que teria de percorrer.

Forçou um sorriso. Ela estava ali há muito tempo; era boa em dissimular, em sorrir, quando preciso. Mesmo para Scelto, a quem odiava enganar. E especialmente para Brandin, a quem precisava enganar, ou morreria.

10 comentários:

  1. A sinopse me deu vontade de ler o livro, e a resenha me deixou um pouco confusa,tive que ler duas vezes, a primeira por cima, e a segunda prestando mais atenção.(sou meia lenta na interpretação)
    Fiquei com muita vontade de ler esse livro, adoro quando tem mitologia envolvida *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jayh.
      Eu apanhei muito para fazer essa resenha, porque tudo entregava outra coisa que iria afetar a leitura de vocês no livro, afinal as surpresas no livro são boas de descobrir lendo ele. Sempre tento não colocar spoiler, para não perder a graça para quem vai ler.
      Quando acabei pedi para o Renan ler e me dizer se estava bom, ele disse que sim, mas pode ter ficado meio confuso e ele que não notou, ou já está acostumado com minha confusão.
      E eu acho que eh uma história que a maioria iria gostar de ler sim se gosta de literatura fantástica.
      Beijos.

      Excluir
  2. Ok, não só as primeiras 100 páginas do livro que vão me deixar confusa, acho que o enredo também me deixou. Se não me engano, nunca li livros que falam da mitologia ou de nações oprimidas. Ainda não me convenceu, mas quem sabe se a minha curiosidade falar mais alto, eu não dê uma chance para o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna.
      Não, você só fica confusa nas 100 primeiras porque eh a introdução.
      A história eh fantástica, pelo visto eu que nao consegui explicar direito. :(

      Excluir
    2. Não, a resenha ficou complexa e eu entendi, mas o enredo do próprio livro que achei estranho.

      Excluir
  3. Já li algumas resenhas sobre este livro e estou com muita vontade de ler! Adoro estórias com mito e magia e esta parece ser muito interessante, cheia de aventuras. Deve ser muito cativante o enredo, parece ser muito bom mesmo este livro :)
    beijos ♥

    ResponderExcluir
  4. quero le-lo..a sinopse tbm não me chamou ateção!
    mas vamos dar uma chance néh! só pela sinopse não dá de saber se é bom ou não!

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não gosto muito do gênero,mais achei interessante pela sinopse,depois da resenha ficou meio confuso,mas se tiver oportunidade gostaria de ler!

    ResponderExcluir
  6. Gostei bastante da sinopse e sua resenha só confirmou minha vontade de lê-lo, sempre que vejo resenha são positivas e a trama fo livro parece ser bem envolvente com seus mistérios *--*

    Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
  7. Quando uma estória começa confusa ai que eu me interesso... acho que isto prende o leitor... alguns desistem, acham maçante...
    Pareceu um pouco com "Crônicas de gelo e fogo"...
    Adoro literatura fantástica... é bom mergulhar por mundos onde a magia impera.
    Vou descobrir o que é "Tigana" :D e espero que logo!

    ResponderExcluir