segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Batalhas do Novo Mundo #41.




Livro 1 - Conspiração
Arco IV - Valkaria
Cap. 41 - O Caótico e o Trapaceiro



-Acho que lhe mandei não interferir. -a voz de Çaesar era mais fria que o habitual.
O clima estava tenso, o velho havia se sentado na cadeira onde antes estava o palhaço, esse por sua vez permanecia de pé, próximo ao grupo de prisioneiros. Ele respirou fundo e voltou ao seu ar de deboche natural.
-Talvez eu tenha me esquecido.
Cavendish estava ao lado de seu mestre, parecia um cachorro acuado. Na enfermaria, Hewlett e Packard permaneciam de prontidão, prontos para um combate iminente.
-Quais são seus planos maldito?
-Ora, planos? Acho que sua cabeça pirou de vez. Eu apenas estava cuidando do que é meu.
O rosto de Çaesar se fechou, coincidentemente ou não, o céu ficou negro e pesadas gostas de chuva negra caíram sobre o buraco no teto causado pelo raio.
-A pergunta certa seria: quais os seus planos?
Não houve resposta, então o palhaço continuou.
-Acha mesmo que tudo isso está passando despercebido? Acha mesmo que você não terá que responder por isso?
-Está me desafiando Trapaceiro?
O halfling encarou os olhos do velho. Por um segundo ele era uma cadeira japonesa, atravessando uma montanha de sopa de groselha montado em um unicórnio verde. Então ele era o palhaço novamente, molhado pela grossa chuva que caía.
-Não estou, pois sei que infelizmente não sou páreo para você Lorde Louco. -havia temor em sua voz. -Mas lhe garanto, isso não vai ficar assim. E falta pouco agora.
A chuva cessou e um lindo sol tomou conta do céu, mas ninguém pareceu notar.
-Vou lhe dar mais algum tempo. -falou o palhaço enquanto caminhava em direção ao velho. -Não é muito, então trate de se preparar. Nem você conseguirá ficar impune, quem será que ocuparia o seu lugar?
Os dois se encararam e em algum lugar do reinado um raio destruiu uma árvore.
-Meu voto não é seu Lorde Louco. Não se esqueça disso.
O palhaço estalou seus dedos, todo o circo sumiu. Não havia sinal de nada ali.
Apenas o velho Çaesar e os sete guerreiros feridos.
___________________________________

Havia um silêncio pesado no grupo de aventureiros. Eles estavam em uma casa que Çaesar alugara para passarem o dia e se recuperarem. Laurëa estava cuidando das feridas de cada um dos membros, enquanto Morn, Gwenh e Veön tentavam entender tudo que havia acontecido nas ultimas horas. Foi o orc que quebrou o silêncio.
-O que significou aquela conversa de vocês, velho?
Çaesar estava sentado em uma poltrona, com os olhos fixas na janela a sua frente.
-Estou falando com você mald...
Veön atravessou a frente do orc e pegou Çaesar pelo pescoço, levantando-o da cadeira.
-Você nos deve respostas.
Por um milésimo de segundo os olhos do velho pareceram brasas e Veön pensou ser uma vaca cavando sobre uma bola de sorvete de uva. Um chute no estômago trouxe o gênio de volta a realidade.
-Eu não lhe devo satisfações professor. -o velho parecia de mal humor. -Nunca lhes pedi explicações sobre seus passados. Nunca lhes obriguei a trabalharem para mim. Se quiserem partir, a porta é ali. -falou apontando para a lareira.
Todos permaneceram em silêncio, alguns de tensão com tudo que aconteceu, outros segurando a vontade de rir de tudo aquilo. Çaesar se sentou novamente e com um movimento da mão fez surgir sete sacos de dinheiro.
-Prometi lhes pagar caso encontrassem um Rubi da Virtude. Aqui está seu dinheiro.
Pela primeira vez o grupo lembrou-se da joia que Morn carregava no bolso. O orc retirou a pedra e caminhou até o velho para lhe entregar.
-Largue sobre esta mesinha. -falou o velho sem demonstrar muita empolgação. -Tenho um novo trabalho para vocês, se não quiserem aceitar, contratarei outros.
Ninguém falou nada, todos aceitavam. Não por dinheiro ou pela aventura, e sim por que eram um grupo agora.
-Todos vocês conhecem a lenda de Valkaria certo? -ninguém respondeu, todos conheciam essa historia, mas mesmo assim eles sabiam que o velho iria contar. -Bem, temos uma clériga de Valkaria aqui, acho que ela pode nos contar melhor essa lenda.
Laurëa encarou os companheiros, Morn acenou com a cabeça e a pequena halfling começou a contar.
"Alguns séculos atrás, antes mesmo dos humanos povoarem o continente norte, quando os elfos ainda mandavam em seu reino, três deuses tentaram um golpe no Panteão. Liderados por Valkaria a deusa da ambição e mãe dos humanos, os três tentaram usurpar a liderança de Khalmyr, deus da justiça e da ordem.
A guerra se estendeu por eras, até que os três deuses finalmente foram derrotados. Tillian, deus da invenção e pai dos gnomos, foi condenado a viver como um mortal em Arton. O terceiro foi condenado ao esquecimento, e nada se sabe sobre alguém que nunca existiu. Já Valkaria recebeu o pior castigo, ela foi transformada em estatua e largada no meio do nada.
Mas havia uma esperança para a deusa. Ela precisaria esperar ate que um poderoso grupo de aventureiros entrasse na estátua e vencesse os dezenove desafios criados pelos deuses."
-Muito bem minha cara. -falou Çaesar aplaudindo. -Você só se enganou em uma coisa, eram vinte desafios. A própria Valkaria criou o ultimo. Seu sonho sempre foi que seus filhos um dia a superassem.
-Que lindo velho, estou emocionado. -falou o orc. -O que você quer que façamos? Afinal, todos sabem que Valkaria já foi liberta e hoje ocupa seu lugar no Panteão.
-Exatamente. Mas vocês sabem como os aventureiros conseguiram entrar na estátua?
-A Lagrima de Valkaria. -sussurrou Laurëa.
-Isso. No dia de seu julgamento, Valkaria chorou de tristeza por todos os filhos que não poderia cuidar. Estas lagrimas caíram em Arton na forma de lindos diamantes.
-E você quer que encontremos uma? -perguntou Thargon.
-Sim general. -Thargon visivelmente não gostou de ouvir isso. -Eu sou um colecionador, apenas ter uma Lágrima de Valkaria em meu poder já seria de um valor inestimável.
-Mas... -falou Gwenh, já temendo a ultima parte.
-Mas minhas informações dizem que os labirintos ainda existem. -havia um sorriso sórdido no rosto do velho. -Imaginam quantas riquezas existem em masmorras criadas pelos deuses? Imaginem os livros que Tanna-Toh guardou lá? Imaginem as armas que Keen ou Lin-Wu deixaram em seus labirintos? Quantos pergaminhos mágicos devem ter sido deixados por Wynna? Eu preciso colocar minha mãos naquele tesouro.
-E onde encontraríamos essa joia? -perguntou Jacques.
-Ah, também tenho essa informação. -sorriu o velho. -Aparentemente um grupo de aventureiros em Fortuna conseguiu se apoderar de uma destas pedras. Eles agora estão a caminho de Valkaria para desafiar a masmorra. Quero que vocês tomem esta pedra deles.
-Não seria mais fácil apenas contratá-los? -perguntou Arwen desconfiado.
-Seria, mas meu caro druida, eles não são vocês. -pela primeira vez o velho sorriu. -Eles se desviaram de seu caminho e estão atualmente em Cosamhir, essa é a chance de vocês.
-Cosamhir. -Thargon parecia não conhecer. -Em que reino fica isso?
-Tyrondir. -sussurrou Gwenh, por algum motivo havia um misto de medo e tristeza em sua voz, mas ninguém do grupo pareceu notar.
________________________________

Dois meses depois.

Quando finalmente perceberam, já era tarde demais.
Continua...

____________________________

N/R: Ola pessoal, cap. 41 na área. O penúltimo deste arco.

Para os leitores novos (e até para os antigos que perderam algum capítulo) lembro que todos os arcos já publicados estão disponíveis para download gratuito em pdf:


Semana que vem termina este quarto arco e já irei publicar o pdf dele.

Nossa promoção também esta chegando ao final, hoje trago mais duas perguntas e semana que vem a última. Lá vai:

Pergunta 10: Após ser expulso por Linnáe, Gwenh vagou pelo mercado negro até parar em uma taverna. Nesta taverna ele encontrou um grupo que aplicavam golpes. Quantos membros tinha neste grupo de assaltantes??

Pergunta 11: No labirinto das caveiras, o grupo de aventureiros conheceu um herói do passado que buscava pela vida eterna. Após sua morte, este herói foi abençoado por um deus. Qual o nome deste deus?

Apenas lembrando a todos que todas as demais perguntas da promoção estão nos capítulos anteriores (do 31 até agora), e que vocês podem enviar todas as respostas para o email batalhasdonovomundo@gmail.com até o dia 26/01.

O resultado será divulgado no dia 27/01, no capítulo 43 e inicio do quinto arco. :D

Até semana que vem. o/

10 comentários:

  1. Olá, comecei a acompanhar a aventura a pouco tempo, então já baixei os pdfs e já irei começar a ler, adoro estórias cheias de aventuras! :)
    beijos ♥
    quemprecisadetvparaverbeyonce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Dani,
      Espero que você goste da história. Semana que vem já vou liberar o pdf deste quarto arco também. :D

      Excluir
  2. Vou baixar os arquivos em pdf, assim que tiver um tempinho pretendo lê-los

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz, espero que você goste e continue acompanhando. :D

      Excluir
  3. Que bom que você disponibilizou em pdf, assim fica mais fácil para nos novos leitores acompanha a estoria *--*

    Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica,

      Eu sempre libero o pdf no final de um arco (semana que vem vai ser o ultimo deste arco e vai ter pdf).
      Como teve muita gente nova pedindo para ver os antigos, resolvi "relançar" os pdfs. :P

      Excluir
  4. Olá Flávio...Acompanhando aos pouquinhos...Pois em breve irei prestar vestibular, e minhas leituras estão muito lentas!!

    ResponderExcluir
  5. Pena que não estou participando! Boa Sorte!

    ResponderExcluir
  6. O primeiro segmento (o pdf 01) dessa história me deixou bem empolgada. Ainda estou assimilando o ambiente, mas mesmo estes primeiros capítulos sendo introdutórios, já teve bastante ação e como gosto muito de mitologia, tá tudo mais que perfeito!

    P.S.: apesar do ladino ser um pouquinho medroso, já gostei bastante dele rsrs

    ResponderExcluir