quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Resenha - Hikaru No Go.

Bom dia leitores,
Haag na área para mais uma resenha de mangás.

Hoje trago para vocês um mangá de esportes, mas bem diferente do tradicional.

Com vocês: Hikaru No Go


Porque Hikaru No Go merece ser lido?? Pra começar com o pé direito, Hikaru foi uma das primeiras obras de Takeshi Obata, antes mesmo d'ele iniciar sua parceria de sucesso com Tsugumi Ohba e alcançar o mundo com Death Note.

Mas se isso já não é motivo para ler a obra, que tal se ela falar sobre um esporte que eu tenho certeza que você nunca ouviu falar??

Pois então, a obra gira em torno de Hikaru, um garoto comum que encontra no sótão de seu avô um goban (tabuleiro de go). Após tocar nesse tabuleiro, Hikaru conhece um espirito chamado Sai, que no passado havia sido um dos melhores jogadores de go no Japão, mas que após ter sido traído acabou comentendo suicídio. Agora Sai quer ensinar Hikaru a jogar go, e juntos alcançarem a "Jogada Divina".

Vamos começar pelo jogo. Go é um jogo de tabuleiro, muito parecido com o Reversi, porem mais complexo. Em alguns países asiáticos, principalmente o Japão, o esporte é considerado profissional, tendo inclusive seleções nacionais. Basicamente consiste em um duelo entre pedras brancas e pretas, vence quem tiver mais pontos ao final da partida.

Voltando ao mangá, o começo é muito bom. Hikaru e Sai começam a frequentar o mundo do go e conhece Touya-Meijin, o melhor jogador de go no mundo, aquele que esta mais próximo de realizar a jogada divina. Logo após, conhecem Touya Akira, filho de Meijin e que busca se tornar um jogador profissional. Akira tem a mesma idade de Hikaru, o que faz com que se tornem "arqui-rivais" nessa história.

Posso dizer que até metade da obra é empolgante e emocionante, mas a reta final acaba se tornando cansativo. A questão da jogada divina é deixada de lado, a rivalidade Hikaru/Akira é deixada de lado e até mesmo o espirito Sai é retirado da história (embora essa cena do "adeus" foi ótima).

Mas precisamos levar em conta que Hikaru começou a ser publicada na Jump em 1998 e durou até 2003, o que não é pouco para um mangá de esportes, ainda mais para um esporte sem muita "ação". Mas a obra não ficou apenas nas páginas da Jump, em 2004 ela ganhou um anime de 75 episódios, por fim em 2012 Hikaru No Go ganhou uma série Kanzenban (versão definitiva, ou como nós chamamos, edição de luxo). Em 2010 a JBC publicou a obra no Brasil.

Se eu tivesse que dar uma nota para Hikaru No Go, seria um 07/10. Mas é uma obra que merece ser lida por todos que gostam de mangás. Sem contar que a arte de Obata é sempre incrivel. Vou finalizar com algo que beira a perfeição, as próximas imagens são as 20 capas da edição Kanzenban de Hikaru No Go. (me desculpem o excesso de imagens, mas não tinha como escolher apenas uma :P).























Por hoje é só pessoal, até quarta que vem. o/
(se deus quiser e a Panini me enviar, irei fazer uma resenha sobre o volume 01 de Shingeki No Kyojin) 

4 comentários:

  1. Olá Flavio, estou encantada com estes desenhos!! Fiquei ainda mais curiosa para conhecer e ler algo mangá.
    Parabéns pelo post!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente o mestre Obata tem um traço inacreditavel.
      Se analisar os traços de Hikaru No Go, Death Note e Bakuman, é possivel notar esse toque pessoal que ele da a suas obras.
      É um ponto facil de reconhecer. :D

      Excluir
  2. Esse mangá eu nao conhecia, vou ver se na minha cidade tem *-*


    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica,

      A obra chegou ao fim metade de 2012.
      Talvez você ainda encontre os ultimos volumes em algumas bancas. Mas a coleção completa é mais facil em lojas de HQ's e em sites especializados. :D

      Excluir