segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Resenha: Azar o seu !


Azar o seu!




Título : Azar o seu!
Autora : Carol Sabar.
Editora : Jangada.
Página : 368.


Sinopse :

  Bia está parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada. Sem emprego, atolada em dívidas, ela não imagina que está prestes a viver a grande coincidência da sua vida. O motorista do carro ao lado está buzinando, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido... E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. Está mais encorpado, cortou o cabelo, livrou-se do aparelho nos dentes e das espinhas do rosto, está tão diferente, tão lindo... O motorista sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado ao seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor! Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia... Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade. Bia, fascinada por ele e feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga... Azar o seu! vai além de uma comédia romântica. É uma reflexão sobre a importância da amizade verdadeira, do perdão e do autoconhecimento, que nos resgata o poder de decidir sem medo e de reverter escolhas que nos impedem de ser feliz. 

Ana Beatriz Guimarães  ou apenas Bia para os mais próximos tem certeza de que é uma azarada em todos os sentidos de sua vida. Aos 25 anos, quando ela já deveria estar mais madura e bem encaminhada financeiramente, sua vida está bem diferente de como ela gostaria por estar desempregada após uma situação completamente constrangedora acontecer no trabalho e ainda solteira por nunca ter superado a perca de Guga, seu grande amor da adolescência que foi para Londres 10 anos atrás em busca de seus sonhos. A autora usou uma linguagem bem jovial e extremamente divertida desde o início, achei bem legal as citações feitas com programas de TV do nosso cotidiano tornando tudo tão pessoal e real . O bonitão do Vectra GT se joga no asfalto com Bia ao seu lado, a fim de se protegerem. Completamente enlouquecida, Bia começa a divagar, ela tem certeza que vai morrer e que o desconhecido ao seu lado nada mais é do que um Amparador Espiritual, que veio ajudá-la fazer a passagem. Então ela desata a falar um monte de loucuras e pede que o "Amparador" conte a Guga, o seu amor de infância, que apesar de todos esses anos ela ainda o ama
O que Bia não sabe, é que o seu "Amparador" é o verdadeiro Guga, apenas com a aparência um pouco diferente. Gustavo - Guga - é um personagem delicioso. Ele é irmão mais velho de Raíssa, a ex melhor amiga de Bia. Que após um desentendimento as duas acabaram se distanciando e tomando rumos diferentes na vida. O que me deixava doida é que Guga resolve não contar a Bia quem ele é, e os dois acabam se envolvendo, e a  Bia toda feliz porque finalmente está apaixonada por alguém que não é o Guga . Todos os personagens secundários são importantes pois fazem presentes na vida dos protagonistas de maneira delicada e especial, como o pai de Bia que demonstrou sua fidelidade e atenção pela filha e Raíssa que apesar dos desencontros sabia o quanto a amiga sempre foi significante em sua vida . 
 O livro não é apenas uma comédia romântica, ele vai mais fundo. Ele mostra a importância da família, das amizades, do perdão. E que às vezes tudo aquilo que idealizamos para nossas vidas, não é exatamente o melhor para nós. Achei reflexivo, e virei fã da Carol Sabar. Não teve nada que eu não gostei nesse chick-lit, o desenvolvimento da Bia, o desenrolar dos outros personagens o final de cada um,pra mim tudo perfeito .


Que sorte, pensei, sentindo um friozinho na barriga. Mas eu já deveria estar careca de saber que, na vida de uma azarada, a sorte nunca deve ser louvada. Porque na vida de uma azarada, mesmo quando parece impossível, as coisas ainda podem piorar.
Ele. O garoto por quem eu nutria uma paixão secreta, o amor da minha vida, meu amigo de infância. Ele, meu colega de classe no Conservatório Estadual de Música, o guitarrista e vocalista da banda Moscas da Sopa. Ele, de cabelos compridos abaixo dos ombros (aos 15 anos, eu tinha uma quedinha por roqueiros convictos), o irmão de Raíssa, a serenidade em forma de gente: Gustavo Vitorazzi.

















Um comentário:

  1. Olá Joyce, tudo bem??
    Cada vez que leio uma resenha desse livro fico feliz! Parece mesmo ser uma história super legal de ser acompanhada. Adorei sua resenha. E fiquei ainda mais animada para adquirir o livro.Parabéns :)

    ResponderExcluir