segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Batalhas do Novo Mundo #32




Livro 1 - Conspiração
Arco IV - Valkaria
Cap. 32 - Reencontros



Academia Arcana
-Acho que sou o primeiro orc a pisar na academia. -brincou Morn.
-Certa vez um grupo de orcs atravessou o portal sem querer. -respondeu Vëon, arrancando gargalhadas dos demais aventureiros.
Eles estavam em uma espécie de terraço que abrigava um lindo jardim. Apenas os professores e convidados tinham acesso a essa maravilha e o feiticeiro havia preparado um banquete para seus amigos.
Arwen estava em um canto fazendo uma oração de despedida para seu lobo, essa era a primeira oportunidade que o druida teve para rezar pelo seu amigo morto. Laurëa estava em outro canto conversando com Linnáe, aparentemente a guerreira não estava feliz desde que deixaram Vectora. Gwenh, Morn, Thargon e Vëon permaneciam na mesa conversando, enquanto Sardo estava isolado em seus pensamentos. E era exatamente sobre o humano que os amigos conversavam.
-Então esse palhaço contratou vocês para caçarem aquele cara, que coincidentemente estava no mesmo caminho que iriam fazer. Depois vocês o encontraram junto ao demônio Cavendish, que os ataca, quase os mata e ainda deixa o seu alvo de presente para vocês. E se tudo isso não fosse estranho, Vectorius ainda manda todos vocês em uma missão? -perguntou Vëon.
Os três assentiram com a cabeça.
-E o que vocês pretendem agora? -finalizou o gênio.
-Não sei. -respondeu o orc. -Desde que o conheci tem algo que não me deixa querer entrega-lo ao palhaço.
-Antes da missão de Vectorius, eu tive uma pequena conversa com ele em uma taverna. Ele me disse que não se lembra de nada anterior ao dia que o encontramos. -comentou Gwenh.
-Mas ele é forte, disso não tenho nenhuma duvida. -emendou Thargon.
-Nada disso responde minha pergunta. -falou Vëon bebendo sua cerveja. -O que faremos com ele?
Estava ai uma pergunta difícil de responder. Nem os companheiros sabiam o que fazer com Sardo, e nem o humano sabia se podia confiar em seus novos "amigos".
______________________________

A capital do reinado estava diante dele com os portões abertos e a estatua da deusa apontando para o céu. A visão era magnifica, construções gigantescas e templos construídos aos deuses mostravam o tamanho da incrível metrópole. Claro que para um jovem que cresceu em um pequeno vilarejo das Uivantes qualquer construção se torna magnifica. Mas esse não era o caso, a cidade de Valkaria era exuberante em todos os aspectos.
Sarcano ajeitou a jaqueta sobre seu corpo para esconder as cascas em seus braços e colocou o capuz na cabeça de modo que escondesse seus olhos vermelhos. Precisava passar despercebido pela cidade.
Ao atravessar o portão o jovem percebeu que passar despercebido não seria problema ali. Milhares de pessoas ocupavam as ruas da cidade. Orcs, elfos, humanos e até mesmo algumas raças que o garoto nunca ouvira falar. Também havia pessoas vestidas de todas as formas, desde uma linda elfa quase nua até guerreiros com barulhentas armaduras de metal. Ninguém ali parecia se importar com um simples humano usando um capuz sobre o rosto.
Era a primeira vez que Sarcano não se sentia um estranho e conseguia caminhar calmamente desde que tudo havia começado.
Mas de repente algo fez o jovem prender sua respiração. Um humano parecia desesperado em uma praça, ele pedia ajuda de heróis para destruir um terrível monstro que havia arrasado seu vilarejo e matado seus amigos. Alguns guerreiros paravam para saber mais sobre esse tal monstro.
Mas Sarcano não precisava ir até lá para saber qual era o "monstro" do qual tanto falavam. Não precisava, pois ele era o tal monstro, e a sua frente estava um dos homens que matou seu irmão.
___________________________________

Academia Arcana
-Como assim você vai embora?! -gritava Morn.
-Meu tempo com vocês terminou orc, preciso voltar para minha vida e minhas aventuras. -respondeu a guerreira.
Linnáe estava realmente decidida a deixar o grupo, mas isso não era problema de Sardo. O humano pensava em outras coisas. Seria ele realmente um companheiro deles ou apenas um prisioneiro? Afinal, ainda havia uma recompensa por sua cabeça.
-Deixe-a ir. -falou Gwenh. -Ninguém é nosso prisioneiro aqui.
Sardo sentiu que aquelas palavras eram direcionadas para ele. De todos ali, o único em quem confiava era no elfo Gwenh.
-Porque não vai embora então? -falou a voz em sua cabeça.
-Então você estava ai? -perguntou para si mesmo.
-Eu sempre estou.
-Quem é você afinal?
-Eu sou Sardo. E você, por acaso você sabe quem é?
-Não. -respondeu o humano enquanto contemplava o céu.
________________________________

Centro de Valkaria
Todos pareciam surpresos ao ver o estranho grupo caminhar pelas ruas. Era verdade que existiam seres de todas as raças e formas em Valkaria, mas aquele grupo transmitia uma aura estranha e perturbadora.
A bela elfa parecia se divertir com os olhares para seu lindo corpo, enquanto o goblin e o halfling riam alto soltando bombinhas nas idosas que passavam. Mas os que mais chamavam a atenção eram os dois humanos. O primeiro por causa das três espadas penduradas na cintura e seu olhar decidido. Já o segundo encantava as mulheres com seu lindo cabelo de seis cores perfeitamente trançado e seu tórax exposto com os músculos incrivelmente definidos, o braço direito era coberto por lindas tatuagens, do lado masculino do povo o sentimento transmitido era de medo e pavor, aquele homem exalava perigo, desde os afiados anéis que formavam uma garra em sua mão até as maravilhosas pistolas displicentemente penduradas em dois coldres.
Alheios a isso o grupo caminhava pelas ruas da cidade. Galiel estava curioso com seu mestre, nos últimos dias ele andava preocupado e nervoso, mas desde a ultima noite parecia outra pessoa, estava feliz e sorridente, como se tivesse encontrado por algo que procurara durante anos.
-Está me analisando Galiel? -riu K sem se virar para o companheiro.
-Estava pensando o que pode ter acontecido para esse seu bom humor. -respondeu o espadachim.
Os demais ficaram em silêncio, todos haviam notado isso também, mas nenhum deles tinha a mesma liberdade que Galiel para falar de forma tão intima com K. O pistoleiro parou em uma banca e começou a olhar um lindo par de luvas negras com um dragão dourado bordado na lateral.
-Oh, vejo que o senhor tem bom gosto para acessórios. -falou o vendedor, um gordo baixinho. -Essas luvas são uma relíquia da extinta cidade de Tamu-Ra, eu passei por lá dias antes da Tormenta riscar a cidade do mapa.
-Sério? Então não existe presente mais ideal do que este, vou leva-las. -falou K. -Gojins, me passe aquele saquinho, por favor.
O goblin retirou um pequeno pacote de sua mochila e alcançou ao humano que por alguns minutos olhou o interior, deu de ombros e entregou ao vendedor.
-Fique com tudo. -finalizou dando as costas e indo embora.
O mercador abriu o pacote e encontrou vários diamantes, esmeraldas e rubis. Mais do que valiam as luvas, definitivamente era o seu dia de sorte.
-Meu senhor, acho que apenas duas pedras pagavam as luvas. -falou o espadachim.
O pistoleiro apenas riu. Ele estava feliz, não podia se preocupar com coisas pequenas.
Continua...
_____________________________

N/R: Olá leitores de BdNM, vamos continuar com nossa pequena promoção.

Para aqueles que perderam a ultima pergunta, é só clicar aqui: Pergunta 01
Lembrando que vocês tem até o dia 26/01/2014 para enviar todas as respostas, independente da ordem. :D

A pergunta 02 é a seguinte: "
Quantos lobos foram utilizados pelos cultistas na tentativa de destruir o vilarejo Koonji??"

As respostas devem ser enviadas para o email: batalhasdonovomundo@gmail.com 

Até semana que vem galera.

5 comentários:

  1. Amei o post.
    Estou exatamente num período jogando Tormenta.
    Adorei seu texto.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Déborah,

      BdNM é baseada em uma campanha que mestrei para meus amigos.
      Infelizmente foi antes do lançamento de maior parte dos suplementos de Tormenta, por esse motivo ela não segue a ordem cronológica dos livros. :/

      Mas que bom que você gostou, espero que continue lendo :D

      Excluir
  2. Olá Flávio, como tinha relatado no post anterior estou meio "por fora" mas já baixei e irei o mais breve possível!!
    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Michele :D

      Que bom saber que esta interessada em ler.
      BdNM é minha "menina dos olhos". :P

      Fico muito feliz, obrigado.

      Excluir
    2. Olá Flavio realmente achei demais a ideia... Ler e ficar ainda mais curiosa para fazer a continuação...Como disse lerei em breve e espero gostar.
      Parabéns pelo trabalho e sucesso!!

      Excluir