terça-feira, 15 de outubro de 2013

RESENHA: O Oceano no Fim do Caminho.


Um adulto relembrando velhas aventuras de sua infância, até que ele se lembra de coisas tão terríveis e ao mesmo tempo surpreendentes que ele mesmo não acredita terem acontecido (ou como ele foi capaz de esquecê-las). Mas elas de fato aconteceram, e é sobre isto que este livro fala.

Um conto que acabou virando um livro inteiro. Coisas que só  Gaiman faz por nós.

Eu já mencionei o autor, Senhor Pirocudo Neil Gaiman, na minha última resenha (Os Livros da Magia), lá eu falei um pouco sobre ele e que traria novas resenhas sobre os seus trabalhos. Da outra vez o trabalho em questão era uma História em Quadrinho (HQ), e de fato este autor é famoso pelos seus roteiros para este tipo de mídia, mas dessa vez vou apresentar a vocês um dos seus livros.

Esta é uma das obras mais recente de Neil Gaiman no mundo da literatura, o livro é de 2013 e foi trazido ao Brasil pela Editora Intrínseca agora mesmo. A princípio esta obra era pra ser um conto dedicado a sua esposa, mas a coisa saiu do controle e virou um livro inteiro. Ele é uma fábula, mas nem por isso é uma história infantil, ele pode ser lido por crianças que vão amá-lo de certeza, mas é os adultos que irão perceber as sutilezas na escrita do autor e vão perceber que têm em mãos uma história fantástica.


O livro começa com o nosso personagem principal, já adulto, voltando a sua cidade natal para o enterro de algum familiar que não é especificado. Ele visita pela primeira vez, desde que se mudara na juventude, o local onde havia a casa da sua infância, que já foi a muitos anos demolida, e nisso ele se recorda de uma fazenda no final da rua. Uma fazenda com uma casa onde aos seus sete anos ele tinha uma amiga de onze, uma casa onde havia um oceano nos fundos.

A partir desse ponto somos levados ao passado, no momento em que o nosso protagonista tinha o auge dos seus sete anos de idade e a sua família passava por uma crise financeira em Sussex, Reino Unido. Ele é um menino sem amigos (no seu aniversário passado nenhum dos seus colegas de aula apareceu), mas com um grande senso de aventura, como todos temos nessa fase da vida. Ele adora livros (inclusive tendo ganho a edição única de Nárnia dos seus pais, no aniversário em que ninguém apareceu) e tem medo do escuro, e se vê tendo que abandonar o seu quarto, para os seus pais o alugarem e terem uma renda extra, e se mudar para o quarto da irmã mais nova, que odeia dormir de luz acesa.

Um incidente envolvendo o novo morador do seu antigo quarto o faz conhecer uma família que mora no final da rua, as mulheres Hempstock. E avó Hempstock, a mãe Hempstock e a filha Hempstock, uma menina de 11 anos, a Lettie Hempstock.

Daqui pra frente o universo do menino fica totalmente fora do seu controle. Coisas esquisitas começam a acontecer na sua vizinhança, as pessoas começam a ter aquilo que mais querem (dinheiro), mas de maneiras pouco usais e até mesmo perigosas. E quando ele procura ajuda das mulheres Hempstock, por acreditar que elas têm algum dom mágico, ele é levado pela sua nova amiga até um mundo fantástico para juntos combaterem a criatura que está atendendo o desejo das pessoas. Infelizmente algo volta com ele deste outro mundo (na forma de um bicho-de-pé) e começa a tornar a vida do garotinho um verdadeiro inferno.

A história segue com o protagonista tentando se livrar da sua perseguidora, com a ajuda das mulheres Hempstock, em (muito) especial da jovem Lettie. No final do livro quando o o adulto já recordou de todas estas memórias, ele é mais uma vez surpreendido pela família Hempstock e o Oceano de Lettie.


Aqui começo dizendo que este livro foi um presente que ganhei assim que retornei ao Brasil (depois de um ano morando em Portugal), ou seja, eu não o li porque estava ansioso pelas suas páginas, e isso podia ter acarretada numa nota baixa a esta obra, ou até mesmo que eu sequer terminasse a leitura. Felizmente não foi o caso, afinal, é do Gaiman.

O fato do protagonista não ter nome foi uma jogada de mestre, apesar de que alguns podem reclamar que dessa forma o leitor pode não se sentir conectado ao personagem, eu vejo justamente o oposto: se não tem nome, essa história pode ser sobre a infância de qualquer um de nós. Nós apenas não lembramos :)

As imagens que o autor nos passa ao longo da história são muito realistas, consegue-se sentir angústia pelo menino quando a sua vida começa a virar de cabeça pra baixo (SPOILER: quando o seu gatinho morre atropelado, quando o seu pai tenta lhe afogar como forma de castigo, quando ninguém acredita quando ele diz que tem um monstro morando em sua casa). E não só nesses momentos de tensão a beleza dessa escrita se revela, mas também na própria personalidade de um garoto de sete anos, que tem noções infantis sobre o mundo dos adultos (seja na inocência a respeito de sexo, ou de acreditar que adultos não têm medo de nada).

E se estou falando de Neil Gaiman, não posso deixar de elogiar a maneira como ele apresenta o fantástico e o sobrenatural nessa história. Como uma das mulheres Hempstock comenta no decorrer da história: "Nós não somos bruxas, isso seria normal demais". Com certeza a leitura vale a pena só por essa nova visita aos contos de fada.

A arte do livro é linda, a capa é sensacional e a contracapa só faz sentido depois que lemos metade da história. Ele é pequenino, eu o li durante uma espera de quase 5 horas em uma das muitas filas que a minha universidade pública me proporciona.

Pra finalizar, não é uma história que mudará os rumos da literatura do seu gênero, não tem um enredo que decidira o futuro do mundo como o conhecemos, e muito menos tem algum romance ou qualquer baboseira do gênero. É uma história simples sobre uma criança que descobre um mundo fantástico e tem que enfrentar os seus medos, e a sorte dela é que tem por companhia a incrível amiga Lettie Hempstock.

É uma história que pode ter acontecido com qualquer um, e nós nunca iremos descobrir.

"Livros eram mais confiáveis que pessoas, de qualquer forma."


RESUMO

Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Numero de páginas: 202
Ano de lançamento: 2013
Compre: Submarino
Nota: 8/10

Obs.: Yep, mais uma resenha atrasada. Eu sei. A desculpa dessa semana é que não tá sendo fácil me acostumar a ter voltado para a cidade onde eu estudo: um fim de mundo com 300 mil habitantes (o primeiro shopping inaugurou parcialmente na semana passada, que fica a 4 horas da cidade onde eu cresci, e cuja a universidade onde estou matriculado é um terror organizacional. #mimimi

Abraços!



4 comentários:

  1. Gosto bastante dessa capa, quero muito ler esse livro.
    Bjus

    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então leia-o! Ele está barato e é rapidinho de ser ler já que at´[e pra mim foi tranquilo xD

      Excluir
  2. eu amo esse livro, li este anoo e esta na minha lista de favoritos :)
    amei sua resenha!

    beijos
    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro super 'fofinho' pros padrões do Gaiman, realmente bem cativante num momento de tédio.

      Conhece mais obras desse autor Ariádne? :)

      Excluir