segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Batalhas do Novo Mundo #27




Livro 1 - Conspiração
Arco III - A Bela e o Prisioneiro
Cap. 27 - Elfos



Mercado negro de Vectora
Sardo decidiu voltar ao hotel onde havia acordado. O atendente falou algo sobre armas e dinheiro que ele tinha guardado no cofre, talvez isso ajudasse suas memórias. Por algum motivo ele estava sendo caçado, seria ele um criminoso?
Outra coisa que estava incomodando o humano era o estranho poder que ele usara para escapar de seus inimigos. Ele, por um milésimo de segundo, teve a impressão de estar controlando as ideias do minotauro e do druida, como se eles fossem fazer tudo que ele dissesse.
-Oh, senhor Sardo. Achei que havia esquecido como voltar. -falou o velho com certo desânimo na voz. -Ah, alguns amigos seus vieram lhe ver.
-Sim sim, já me encontrei com eles. -respondeu enquanto acariciava o pulso machucado pelas cordas. -Vim buscar minhas coisas no cofre. Vá pega-las para mim.
O velho pareceu não gostar da arrogância do jovem.
-Me desculpe senhor Sardo, mas apenas os clientes podem mexer em seus cofres, no máximo posso leva-lo até lá.
-Ok. -o humano parecia decepcionado, por algum motivo ele não conseguiu controlar o velho como aos outros dois.
Eles caminharam alguns minutos por um túnel que levava ao porão. Dentro da sala, encontraram varias gavetas incrustadas diretamente na parede. O velho apontou para a primeira da última coluna. Ela tinha alguns detalhes em ouro e o desenho de um dragão, na boca do dragão havia um buraco onde Sardo colocou o dedo, mas rapidamente tirou após sentir uma picada. Ele olhou para seu dedo e viu dois pontinhos de sangue, como se tivesse sido mordido por uma cobra. No cofre, o corpo do dragão se enrolou e a gaveta abriu.
Dentro havia duas mochilas. Na primeira ele encontrou cinco adagas e uma besta com vários virotes. A segunda era pesada, dentro havia varias PO’s, no mínimo vinte mil, sem contar pecas de prata e até mesmo poucas de bronze e metal. Havia também algumas pedras raras como rubi, esmeralda e topázio. Uma verdadeira fortuna, mas Sardo pensava apenas uma coisa.
-Por Khalmyr, como eu juntei tudo isso?
___________________________________________

Gwenh estava sentado no fundo da taverna. Não se importava com a caneca de cerveja sobre a mesa, sua mente estava preocupada com outras coisas. Tudo havia dado errado, como ele poderia se explicar?
Os olhos do elfo começaram a mapear todos os cantos da taverna, não que estivessem procurando por algo específico, apenas tinham sido treinados para isso. O bar estava movimentado, no balcão o taverneiro discutia com dois goblins que tentaram sair sem pagar, do outro lado um gnomo mostrava uma engenhoca que segundo ele fazia o usuário ficar invisível, ao seu redor havia um grupo de curiosos tão preocupados com a tal "maravilha", que nem notavam o ágil halfling que roubava suas carteiras. Mas Gwenh notou esse ladrãozinho, também notou os olhos do gnomo acompanhando os movimentos do halfling e que a dupla de goblins estava mais preocupada em manter a atenção do taverneiro na discussão do que deixa-lo ver o que o gnomo e o halfling aprontavam. Mas por último, os olhos do elfo identificaram que o humano ao seu lado tinha uma sacola cheia com outras carteiras, provavelmente frutos de outros golpes desta quadrilha.
Essa era sua maior benção, sua capacidade de analisar tudo em segundos. Então porque ele não foi capaz de notar a maldade nos olhos do anão? Por que ele não conseguiu perceber a vontade do mercador em atrapalhar seus planos?
Ele deu de ombros, não adiantava ficar quebrando cabeça com isso. Gwenh se levantou, largou algumas moedas em cima da mesa e partiu em direção a rua, mas antes de chegar à porta um casal de elfos entrou na taverna, deixando Gwenh congelado. Ele conhecia aqueles dois, o elfo alto e com o cabelo azul celeste era Rathafal e a bela elfa com cabelos prateados era Elleonora.
-Já está de saída bastardo? -perguntou o primeiro. Sua voz era grossa e combinada ao gigantesco corpo, tornavam sua presença completamente intimidante.
-Há quanto tempo Rathafal, vejo que ainda não aprendeu boas maneiras. -respondeu Gwenh com o mesmo olhar maldoso. -O que fazem aqui?
-Aparentemente alguém andou pisando na bola e tivemos que vir limpar a sujeira do bebê. -respondeu Rathafal.
Gwenh permanecia em silêncio. Já o haviam descoberto e por isso mandaram aqueles dois?
-Calma Gwenh, nós já cumprimos nossa missão, estamos aqui apenas para evitar que você fosse embora. -falou a elfa, sua voz era doce e suave.
-Mas porque você e não o Caladon? -perguntou Gwenh.
-Simples, o mestre queria alguém que evitasse que vocês dois se matassem, e todos sabem que era capaz do Caladon ainda fazer aposta pra ver quem venceria. -respondeu Elleonora. -Mas não se enganem, eu posso ser apenas a quarta, mas posso acabar com qualquer um de vocês sem muita dificuldade.
Nenhum dos dois retrucou, ambos sabiam que entre os seis generais a diferença de poder era mínima. Rathafal, Gwenhwyfar, Caladon, Elleonora, Azazel e Pitya, suas classificações eram apenas por capricho e idade, pois no quesito poder todos estavam em pé de igualdade.
-Escuta Gwenh, espere mais alguns minutos aqui e você verá que tudo dará certo. -avisou a elfa, sua voz dessa vez era mais amável.
Eles então se despediram e saíram da taverna, deixando Gwenh sozinho com seus pensamentos. Não demorou muito para a resposta de seus problemas atravessar o pórtico de entrada.
_____________________________________________

Sardo entrou na taverna, precisava pensar um pouco em o que faria com aquela fortuna toda. Dirigiu-se ao balcão e pediu uma caneca de cerveja.
-Conseguiu escapar então? Estou admirado, escapar das mãos de Morn não é para qualquer um. -falou uma voz ao seu lado.
O humano quase caiu do banco, ao seu lado estava sentado o elfo que havia enfrentado o demônio Cavendish de igual. Será que estava seguindo ele?
-Eu sei o que você está pensando e a resposta é não, eu não estou lhe seguindo. -falou o elfo com um sorriso maldoso no rosto. -Mas estou curioso para saber como você escapou.
-Eu não sei. Na verdade não sei de nada.
Ao notar a cara de espanto do elfo, Sardo decidiu contar tudo.
-Quando acordei esta manhã eu não me recordava de nada, e ainda não recordo. Só sei meu nome porque vocês falaram. Nem mesmo sei o porquê de ter sido preso.
-Você esta sendo caçado porque matou um companheiro de circo e a recompensa é boa. É apenas isso que eu sei. -respondeu Gwenh enquanto levava sua caneca à boca.
De repente o humano deu um salto de seu banco e arremessou uma adaga contra a saída, errando por centímetros o pequeno halfling que fugia com sua mochila.
-Oh, então você notou que estava sendo roubado. -riu o elfo. -Minha duvida agora é: você errou ou foi de propósito.
-Eu não tinha percebido, mas uma voz em minha cabeça me mandou fazer isso. -respondeu Sardo enquanto recuperava sua mochila roubada. -E eu errei.
Gwenh riu, aquilo estava interessante novamente.
Neste momento duas figuras entraram na taverna preocupando todos que estavam ali. Eram guardas da milícia particular de Vectorius. O que estavam fazendo no mercado negro?
-Senhor Sardo, senhor Gwenh. -falou um deles retirando seu capacete. -Preciso que nos acompanhem.
-E se não quisermos? -perguntou o elfo colocando a mão na espada.
-Temo que você não tenha esta opção meu querido. -falou a doce voz as suas costas.
Todos na taverna estavam paralisados, até mesmo os guardas estavam impressionados diante de tamanha beleza. Gwenh era o único que parecia assustado.

Na sua frente estavam Rathafal, Elleonora e aquela que ele tanto amava, a Dama Negra.

Continua...

7 comentários:

  1. Quem é a Dama Negra? hahaha
    Muito bom esse capítulo, e estou curiosa para saber o que vai acontecer ao elfo e a Sardo, até porque Sardo ainda é um mistério pra mim. E Rathafal e Elleonora tinham acabado de falar com ele, parece até uma armadilha.
    Abraços, Raquel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel,
      A Dama Negra apareceu no começo desse arco, nos cap. 19 e 20. (e em outro capitulo mais antigo, mas ai é só pra quem percebeu ela :P).
      O Sardo ainda vai demorar um pouco a revelação do segredo dele. Mas posso garantir que vai surpreender vocês. :D
      Mais 4 capitulos e terminamos este arco.
      A partir do próximo a história vai se desenrolar mais rapido, pois já teremos passado da metade deste livro e entraremos na finaleira dele. :D
      Abraços

      Excluir
    2. Também fiquei com a mesma dúvida. Confesso que não me lembrava da Dama Negra. Enfim, gostei do capítulo. Parabéns!
      Abraço!

      Excluir
    3. Indiquei o Fantastic Books em uma tag. Como aqui tem mais de um administrador, todos podem responder.
      Segue o link:
      http://ymaia.blogspot.com/2012/03/tag.html

      Excluir
    4. Se a chefe deixar eu respondo eles :P
      Abraço

      Excluir
  2. Esse Sardo é muito bolado,na moral!
    Aguardando o próximo capítulo pra ver o que a Dama Negra quer..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Sardo vai surpreender todos vocês, tenho certeza disso.
      Assim como a Dama Negra. :P

      Falta pouco para a volta do seu querido Vëon. :D

      Excluir