quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Resenha One Piece. - Arco East Blue.

Buenas galera,

Estou aqui para falar do maior mangá da história (me desculpem todos que discordam, mas os números não mentem).

Publicado desde 1997 na Shonnen Jump, One Piece é sucesso de vendas em  todos os países por onde passou. No Japão, seus volumes encadernados batem a casa das 500 mil cópias. São 720 capítulos publicados (contando o de hoje) e 71 volumes encadernados. Para que vocês tenham uma noção da dimensão disso: Dragon Ball teve 519 capítulos em 42 volumes e Naruto tem 645 capítulos em 65 volumes.

Seu protagonista, Monkey D. Luffy, foi eleito por duas vezes como o maior herói da Shonnen Jump. O que não é pouco se você ver que os adversários são nomes como Kenshin Himura (Rurouni Kenshin), Usumaki Naruto (Naruto), Kurosaki Ichigo (Bleach) e Son Goku (Dragon Ball).

Hoje vou falar apenas do primeiro arco, East Blue, que vai do cap. 01 ao 99. Ou do volume 01 até o 11 se preferirem.

Espero que gostem. :D

 (PS: Tem spoiler, afinal, é impossível falar de 11 mangás sem contar o que acontece nos primeiros.) 


Tudo começa quando o Rei dos Piratas, Gold Rogers, é executado pelos seus crimes. Antes de morrer, Rogers foi perguntado sobre o que havia acontecido com seu tesouro, e ele respondeu que toda a sua fortuna estava escondido "naquele lugar" e que quem quisesse poderia ir buscá-lo, o famoso tesouro One Piece. Com isso começou a grande Era dos Piratas, onde todos estavam em busca desse prêmio.

Monkey D. Luffy
Um ano após isso, em uma pequena ilha East Blue (Mar do Leste), um grupo de piratas liderado pelo capitão Shanks o Ruivo, vive tranquilamente. Nela mora o pequeno Monkey D. Luffy, que sonha um dia se tornar o Rei dos Piratas. Sem querer esse garoto come uma estranha fruta que Shanks carregava, a incrível Akuma no Mi (fruta da diabo). Essas estranhas frutas dão poderes especiais para quem as come, no caso de Luffy que comeu a Gomu Gomu no Mi (fruta da borracha), seu corpo virou de borracha. Mas isso tem um preço, e agora Luffy não pode mais nadar.
Após algumas confusões, Luffy é salvo no mar por Shanks. Mas o pirata perde seu braço ao tentar salvar o garoto. O bando decide então ir embora da ilha, mas antes de partirem, Shanks presenteia Luffy com seu chapéu de palha e desafia o garoto para que um dia vá ao mar devolver o presente. Como um pirata.

Roronoa Zoro
Dez anos depois, chega enfim o dia que Luffy decide se aventurar no mar em busca de seu sonho. Mas antes ele precisa reunir um bando tão poderoso quando o de Shanks. Um bando de apenas 10 tripulantes, dignos de navegarem com o Rei dos Piratas.

O primeiro a se juntar é o famoso caçador de piratas (sim, um caçador de piratas que vira pirata) Roronoa Zoro. Um espadachim que busca se tornar o maior espadachim do mundo. Mas ele esta preso em uma base da Marinha e será executado.

Neste ponto nós conhecemos o grande "antagonista" da história, a Marinha. Mas é difícil classifica-la como vilã, afinal os vilões seriam os piratas e não a Marinha. Entretanto, da mesma forma que Luffy é um pirata "bonzinho", existem também marinheiros "maus" e piratas "maus" e marinheiros "bons" e tudo é esse emaranhado de bons e maus. :P

Depois de salvar Zoro, a (agora) dupla parte em busca dos novos desafios. Que não demoram para acontecer. Já na próxima ilha aparece o primeiro pirata mau da história (e também o primeiro adversário com uma Akuma no Mi): Buggy o Palhaço. Também conhecemos a linda Nami, uma ladra especializada em roubar piratas. Algumas lutas e confusões após, eles derrotam Buggy, convencem Nami a se juntar ao bando e de quebra conseguem um mapa para a perigosa Grand Line, o mar onde estão os mais incríveis piratas do mundo e que fica no meio dos quatros mares (East, North, South e West).

Chega então a hora de conhecermos mais um tripulante, e talvez essa seja a segunda parte mais importante desde arco. Nesta parte aparece Usopp, um garoto que é conhecido em seu vilarejo como um covarde mentiroso, sempre inventando história sobre a chegada de piratas. Até que Usopp descobre um plano para assassinar a jovem Kaya, uma garota rica e doente, que perdeu os pais ainda pequena. Ao tentar avisar aos moradores, ninguém acredita, pois sua fama de mentiroso é maior que tudo. Mas Luffy e seus amigos decidem ajuda-lo em sua missão de salvar a todos.



Passada toda a confusão, os Luffy e seus amigos conseguem salvar Kaya da morte. Como agradecimento, a garota presenteia os piratas com  um navio, e assim surge o Going Merry (que anos depois me fez chorar como um bebê, mas isso é pra outro dia :P). E os amigos partem em direção ao mar com seu novo navio e tendo Usopp a bordo como o mais novo tripulante.


"Perna Negra" Sanji
Após todos esses acontecimentos (que já da o volume 5), a trama começa a se desenrolar. Primeiro o grupo para em um "barco restaurante" onde conhecem o cozinheiro Sanji, depois eles são traídos e roubados por Nami que foge com o barco e todas as riquezas do bando, e por fim temos a aparição do maior espadachim do mundo, o Shichibukai (só no próximo arco descobrimos o que isso significa) Dracule "Olhos de Falcão" Mihawk. Zoro decide então desafiar o adversário, mas é quase morto sem apresentar muita dificuldade. Mihawk então decide dar uma nova chance a Zoro no futuro e vai embora.

Mas o restaurante começa a ser atacado por outro pirata e Luffy resolve defender o barco ao lado de Sanji, enquanto Usopp e Zoro partem em busca da traidora. A luta parece difícil, mas os cozinheiros conseguem vencer graças ao apoio de Luffy. Após muito insistir, o garoto consegue convencer Sanji a se juntar ao seu bando.

E então temos o a principal parte deste arco (e foi o responsável por me tornar tão fã de Luffy e da obra).

Pirata tritão Arlong
Zoro e Usopp conseguem chegar até uma ilha que esta sendo dominada por um bando de piratas tritões, uma espécie de homem-peixe. Esse bando é comandado pelo cruel Arlong. Todos os moradores do vilarejo são obrigados a pagar altos impostos, e aqueles que não puderem pagar são mortos. Eles também descobrem que Nami faz parte desse bando desde que era criança. Logo após isso, Luffy e Sanji finalmente chegam a essa ilha e se reúnem aos companheiros.

Uma moradora do vilarejo, Nojiko, resolve contar toda a verdade para eles. Mas Luffy se recusa a saber da história e vai embora, enquanto os outros três decidem escutar a história. Nojiko é na verdade a irmã adotiva de Nami, e a mãe delas foi assassinada por Arlong ao tentar salvar elas. Nami então decidiu trabalhar para Arlong e propôs ao tritão que juntaria 1 bilhão de berries (dinheiro de One Piece) em troca da liberdade de toda a ilha. E quando Nami estava próxima de reunir toda a quantia, Arlong decide trair ela e quebrar o acordo.

Nesse momento acontece aquela que para mim é a maior cena da história dos mangás. Foi a cena que me fez respeitar todo One Piece e principalmente levar o Luffy a sério, já que durante toda a série ele é um personagem abobado e brincalhão, mas neste momento ele mostra um lado frio e até mesmo assustador. Desculpem pelo excesso de imagens, mas não tem como descrever essa cena, então achei melhor colocar as paginas aqui pra vocês:


Como eu falei antes, essa cena mostra um Luffy muito sério, pela primeira vez fica de lado aquele "Luffy brincalhão" e aparece um "Luffy capitão". A forma como os outros três apenas obedecem a ordem de seu capitão, sem discutir ou retrucar, apenas obedecendo a ordem dada pelo capitão. 

Após isso, os quatro partem para a difícil luta com os tritões. Todos já devem imaginar o que acontece depois de muita pancadaria, e depois de tudo isso temos outra cena que entra para a galeria de One Piece por conta de todo o sentimento e arte envolvidas nelas. Novamente Luffy mostra um lado sério e decidido, que rompe até mesmo o medo e a desconfiança de uma pessoa acostumada a ser traída e a sofrer como a Nami:


Como vocês podem imaginar então, Nami finalmente se junta aos "chapéus de palha" e parte com eles em sua jornada rumo a Grand Line.

Antes de terminar o arco, eles ainda visitam uma ultima ilha, onde conhecem o temido capitão da Marinha, "Caçador Branco" Smoker e onde Luffy tem sua cabeça colocada a prêmio pela primeira vez com o valor de 30.000.000 berries, o que torna ele o "pirata mais perigoso do East Blue".

Enquanto isso, em algum lugar na Grand Line, duas figuras conhecidas dos leitores se encontram para conversar sobre um certo pirata novato e seu chapéu de palha. Que outras aventuras aguardam esses corajosos piratas??

Semana que vem eu volto com o segundo arco: Baroque Works. :D

Abraços galera, deixou vocês com uma última imagem desta grande obra.


22 comentários:

  1. Começou bem essa nova coluna, hein. Estava ansiosa para saber o que nos traria. Meu namorado ficaria feliz ao ler uma resenha como essa, afinal ele adora One Piece.
    Há séculos que digo que vou começar a ler/assistir mas nunca tive muita coragem pra isso. Agora que estou desempregada, talvez eu consiga, afinal tempo livre não vai me faltar.
    Gosto do Zoro e sempre tive vontade de fazer cosplay da Nami.
    Excelente resenha, Flavio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Levei 6 meses para assistir todo o anime. Em compensação levei apenas 1 mês no mangá. :P
      Semana que vem ainda será One Piece, com o segundo arco. Ai depois teremos uma pausa de OP e irei falar de outras séries. :P
      Aceito sugestões.

      Excluir
    2. Bleach e/ou Fairy Tail, são minhas sugestões.
      A quantidade de episódios meio que me sempre me desanimou, mas quanto mais eu adio, mais episódios são lançados.
      Eu sei que vou gostar se começar a assistir. Já comecei a baixar alguns episódios. :)
      Vamos ver se crio coragem pra começar a assistir logo.

      Excluir
    3. Bleach já esta em minha lista, em breve terá uma resenha sobre o o arco "Soul Society" (que pra mim foi o melhor :P).
      Só vou esperar o mangá voltar do hiato para fazer a primeira resenha.

      Fairy Tail é um mangá que não consegue me prender, não sei o porque disso, pois acho o Hiro Mashima um otimo mangaká. :/

      Excluir
    4. Eu gosto de Fairy Tail. Não é um dos meus favoritos, mas foi um dos primeiros que comecei a assistir.
      E partilhamos a mesma opinião a respeito do arco "Soul Society". Agora estou super ansiosa pra ler a sua resenha a respeito.

      Excluir
  2. Eu não leio mangás, mas achei a dica válida! Tenho uma amiga que curti muito animes e mangás vou ver se ela conhecer depois. O máximo que vi foi Naruto e um outro muito antigo que não me recordo o nome.
    Abraços,
    Raquel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca é tarde pra começar a ler, ainda mais agora que empresas como JBC e Panini resolveram investir pesado nesse mercado. :D

      Sobre One Piece, infelizmente ele foi muito injustiçado no Brasil.
      Primeiro o SBT comprou os direitos, mas a censura destruiu o anime (nunca me esquecerei da Marinha usando pistolas de agua e o Sanji fumando um pirulito), logo após a Conrad tentou publicar o mangá, mas a empresa faliu e o história ficou parada no meio.

      Agora parece que tudo se encaminha para um final feliz, a Panini esta publicando o mangá desde 2012 em 2 formas: desde o volume 01 para quem não tinha ainda, e desde o volume 36, que era onde a Conrad havia parado.

      Agora é aguardar o dia em que nossa tv aberta não tenha censuras. (o que eu já não acredito mais).

      Abraços :D

      Excluir
    2. É verdade, eu vi algumas publicações da Panini. Tem alguns mangás que tem ótimas histórias, vou ver se acho alguma para dar o pontapé inicial. Ri aqui com isso que o SBT fez, sempre arrumam uma forma de "melhorar". Incrível!

      Excluir
    3. A censura acaba destruindo muita coisa boa. Acho isso absurdo! É incrível como se tenta "preservar" as crianças, eliminar violência etc.. Mas é engraçado que aqueles programas sensacionalistas que passam semanalmente às tardes exploram muito mais a violência e ninguém faz nada.

      http://ymaia.blogspot.com.br/

      Excluir
    4. Concordo com você, tem muitos pais que querem transferir a responsabilidade de educar os filhos pra televisão.

      Excluir
    5. Mas One Piece é leve se comparado com animes como Elfen Lied, Deadman Wonderland e Pysch Pass.

      Todos esses passaram na tv aberta japonesa (Psych Pass até vai ganhar segunda temporada) e nem por isso vemos japoneses se matando nas ruas.

      Sou bem "intolerante" quando o assunto é censura: acho que o povo brasileiro é fresco e hipócrita.
      Tudo bem a novela mostrar um capitão do exército que "traça" metade do elenco ou um renomado presidente de hospital com 2 familias. Mas um desenho animado mostrar sangue ou um personagem que fuma ta proibido.

      Sem lógica isso. :/

      Excluir
    6. Um exemplo que eu havia esquecido: em 2004 a Globo foi obrigada a cancelar Inu Yasha apenas por que as gurias tomavam banho em um lago e o protagonista tentou espiar elas.
      Não apareceu nenhuma parte do corpo delas alem das costas, mesmo assim a organização nacional de pais e educadores (momento arremessando minha mesa pra cima) entrou na justiça contra o anime.

      Excluir
    7. Caramba! Eu não sabia dessa história. Estamos regredindo, é isso mesmo? Acho interessante esse falso moralismo que há no Brasil. Tantas coisas para serem resolvidas e acham que censurar animes é uma iniciativa sensata. Absurdo!

      Excluir
    8. "Organização nacional de pais e educadores" zzzzzzZzzzzz. Também não sabia disso, muita hipocrisia.

      Excluir
  3. Eu nunca li um manga, mas animes eu já assisti alguns (os que todos já assistiram e sou fã de Full Metal) ,por não ter tempo e por não ser tão fã desse tipo de cultura. Nunca li e nem assisti One Piece, apesar de já conhecer a historia mesmo sem ler, por ser um anime MUITO conhecido (sei que o foco aqui não está no anime,mas no Brasil o pessoal não costuma ler tanto manga, assistem mais o anime)
    Pretendo ler meu primeiro manga este ano, Death Note (meu amigo comprou uma edição MUITO FODA de death note e vou querer emprestado)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu primeiro mangá (de pegar pra ler) foi o Death Note.
      Ele é divino. *-*

      Em breve vai ter uma chuva de resenhas de obras dos autores de Death Note. (menos do DN, pois já resenhei ele no começo do ano).

      Sobre a edição que você disse, a Black Edition que a JBC esta lançando, eu só vejo um defeito nela: ainda não esta completa em minha estante. hahahahaha

      Abraços

      Excluir
    2. Estarei esperando pelas resenhas...
      e sobre a edição, é essa 'Black Edition' mesmo...é MUITO show!!!
      Quero só ver a cara dele de decepção quando eu pedir emprestado.
      (O comentário abaixo era esse,tinha esquecido de colocar como resposta)

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela resenha. Ficou ótima! Super explicativa.
    Bom, eu nunca assisti One Piece, mas achei o enredo bem interessante. O que me chamou mais atenção foi a parte das frutas que dão poderes especiais.

    Abraço!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu já assistir o anime, na verdade foi o único anime que assisti na vida e gostei/amei. Nunca li nenhum mangá, mas tenho vontade de ler. Quando começar vai ser por esse sem dúvida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, você é a primeira pessoa que eu ouço dizer que assistiu apenas um anime. As pessoas viciam depois do primeiro, sério. Ou costumam se viciar.

      Excluir
    2. Na verdade eu tenho preguiça de baixar os episódios, esse eu assisti porque passava no sbt haha #vergonha.

      Excluir