quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Resenha: A menina que roubava livros

A menina que roubava livros - Markus Zusak



Sinopse: A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público.


Minha historia com este livro: Acho que 8 entre 10 pessoas com mais ou menos a minha idade (19 anos) teve a fase que todo mundo pelo menos falava desse livro. No meu caso eu vi um dia na rua alguém lendo este livro e desde então eu fui atras dele. Quando eu li a contra capa eu simplesmente me apaixonei (Vide trecho mais abaixo). 

Sobre o livro: Lançado em 2006 pela Intrínseca com 480 páginas.

Sobre o autor: Markus nasceu na Australia em 1975. Filho de um austriaco com uma alemã cresceu ouvindo as historias sobre a Alemanha nazista e sempre soube que um dia contaria essas historias. Com 7 livros publicados, apenas 2 foram traduzidos para o português (Eu sou o mensageiro - 2002 e A menina que roubava livros - 2006).

Trecho: Quando a morte conta uma história, você deve para para ler.

Tenho/Não tenho: Tenho sim. Ganhei de presente e é outro que não largo por nada. Fiquei namorando ele por anos!


Classificação: 5 estrelas!

Beijos *--*

19 comentários:

  1. Sou apaixonada por esse livro também. Li a cerca de 3 anos, quando preguei emprestado com um amigo.
    O que mais me chamou a atenção nele, foi essa frase também.
    E após me apaixonar tanto pelo livro, estou ansiosa pelo filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa frase acho que convence qualquer a ler ele =)

      Excluir
    2. É a primeira vez que leio essa frase, eu leria o livro só por conta dela. Mas este livro tem outros tantos pontos positivos!

      Excluir
  2. Não li esse livro ainda, nem nenhum outro do autor, mas até livro entrou para os meus desejados já que a adaptação está próxima. Quero muito ler e ver se tudo isso que dizem dele é verdade!!
    Abraços,
    Raquel.

    ResponderExcluir
  3. Eu li tem um tempo já e gostei bastante. Só que ouvia tanto falar dele que esperava ser maravilho, não sei porque não achei isso... mas vou reler qualquer dia desses, quem sabe não gosto um pouco mais...
    beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, a única crítica que eu vi uma pessoa fazer a esse livro, foi o fato de que os nomes dos personagens são estranhos, até pelo contexto e pelo país onde a história acontece.

      http://ymaia.blogspot.com.br/

      Excluir
    2. Eu vi os nomes são bem estranhos mesmo, mas no mundo não tem gente só com nome normal mesmo hahaha

      Excluir
    3. Concordo, Raquel. Outro livro que tem uns nomes bem estranhos também é O caçador de pipas. Tem que anotar em um papel durante a leitura para se orientar.

      Excluir
    4. Não foi uma crítica, é que eu tinha MUITAS expectativas sobre ele, deve ter sido isso... E Yago eu não achei os nomes tão complicados assim, pelo menos não precise anotar para lembrar rs

      Excluir
    5. Eu já li O Caçados de Pipas, mas tem um tempo, porém os nomes se não me engano são afegãos, mas Amir e Hassan é até fácil de acostumar! Já li uns livros com uns nomes que eu me confundia toda.

      Excluir
    6. Sei como é isso, Cris. Cada pessoa recebe as histórias de uma forma diferente. Também já me decepcionei com alguns livros em que depositei expectativas demais.

      Excluir
    7. Raquel, eu quero ler O Caçador de Pipas há um tempo. Ainda não tive oportunidade. Todos dizem que é uma história emocionante. Como eu disse, costumo anotar os nomes para não me confundir. Principalmente em livros da Agatha Christie.

      Excluir
    8. O livro é lindo, mas eu lembro mais do filme que vi mais recente, com o filme eu choro. É um livro que vale a pena ser lido!

      Excluir
    9. P.S.: Dos livros da Agatha só li O caso dos dez negrinhos, é um livro ótimo, mas não tinha muitos livros estranhos. O problema é que a autora confunde a gente o tempo todo haha

      Excluir
    10. rsrs
      Verdade. Mas eu costumo anotar, não por serem nomes complicados, mas sim para fazer minhas apostas acerca da identidade do assassino.

      Excluir
  4. Eu amo este livro, é favorito na estante, a trama me emocionou muito, não só pelo drama, mas pela bondade e humildade das pessoas.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente um livro emocionante. Você vê as pessoas ali, no meio de guerra enfrentando seus problemas e ainda são bondosas. Isso é muito bonito, realmente. Mas também existem outros personagens que você deseja matar... u.u
      É um livro muito bonito e todos deveriam conhecê-lo.

      Excluir
    2. Eu li esperando muitas lágrimas, mas não cheguei nesse ponto. Mas Emocionante é mesmo!

      Excluir
  5. Achei que esse livro fosse mais recente. Até me espantei quando vi que é de 2006.
    Bom, um dia pretendo lê-lo, já que muita gente recomenda por ser um ótimo livro.
    Parabéns pela resenha. Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir