segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Batalhas do Novo Mundo #18



Livro 1 - Conspiração
Arco III - A Bela e o Prisioneiro
Cap. 18 - O Dragão e a Guerreira



Conforme andavam mais densa a floresta se tornava, e maior era a certeza de que não estavam mais em Petrynia. Gwenh pensava se tinha algum portal dentro da toca que eles atravessaram sem notar. Porém outra coisa chamou a atenção do elfo, tanto Arwen quanto seu lobo estavam inquietos.
Ao ser questionado por Morn qual o problema, o druida respondeu:
-Nós estamos no topo da montanha, mas não me recordo de termos subido tanto dentro da caverna.
Thargon logo respondeu:
-Impossível estarmos no topo da montanha, pois minotauros sofrem sérios problemas de vertigem, e eu estou completamente consciente.
-E o ar esta normal. Sem contar que eu não recordo de ter uma floresta no topo da Montanha do dente do dragão. Ela era de pedra. - comentou Laurëa.
Mas Arwen continuava alegando que eles estavam no topo da montanha.
Gwenh era o único que permanecia em silêncio, até que um forte barulho de explosão o fez falar:
-Já faz uns vinte minutos que estão vindo fortes barulhos de luta a noroeste. Como a floresta é muito densa, não consigo visualizar e nem identificar quantos são. Não importa se estamos no topo da montanha ou no pé dela, o importante e que aqui pode ser perigoso. Ou voltamos para dentro da caverna e corremos o risco do dragão voltar, ou seguimos em frente e enfrentamos quem vier.
Após refletirem um pouco, o grupo resolveu seguir em frente e tentar encontrar uma cidade.
Quanto mais o grupo caminhava, mais fortes eram os sons da batalha que os aguardava. Em determinado ponto, Gwenh fez um sinal para que o grupo parasse e disse:
-Esses sons são estranhos demais. Fiquem aqui que eu tentarei me aproximar furtivamente e verificar quem esta lutando.
Dito isso, ele subiu em uma árvore e seguiu em direção ao sons. Chegando lá, Gwenh não conseguiu acreditar no que estava vendo.
_________________________________

Já fazia 10 minutos que o Gwenh tinha ido verificar a situação, isso era tempo demais para alguém como ele. Arwen continuava a falar sobre o topo da montanha e seu lobo parecia cada vez mais nervoso.
-Entendo que druidas consigam ver mudanças mínimas, porém em todos esses anos de mercenário nunca presenciei um druida e um familiar ficarem tão exaltados como vocês dois. -comentou Morn. -O lobo parece mais um vira-lata assustado perto de um leão.
-Eu também reparei nisso -disse Thargon -Arwen, você não consegue acalmar seu lobo?
-Aparentemente existe nesta floresta uma fera muito mais poderosa que nós, por isso essa apreensão dele. Nem mesmo eu consigo acalma-lo - respondeu o druida,
Morn levantou, pegou seu machado e falou:
-Uma poderosa fera? Estou bem curioso agora. Acho que vou ir atrás do elfo ver qual a situação.
-Não precisa, já estou de volta. - respondeu Gwenh enquanto descia de uma árvore no meio do grupo.
-E então elfo, o que você viu lá? O druida e o lobo estão apavorados aqui. - falou o já animado Morn, ansioso pela resposta que tanto aguardava.
-Encontrei uma luta feia, apenas uma garota humana lutando ferozmente contra um dragão verde médio. -disse Gwenh com uma cara preocupada.
O grupo ficou em estado de choque, eles recém haviam escapado do ninho de um dragão verde, e agora dão de cara com o morador daquela caverna. Laurëa foi a primeira a quebrar o silêncio:
-Precisamos ir ajuda-la.
Misterioso, Gwenh respondeu:
-Não sei se é bem ela quem precisa de ajuda...
O choque no grupo foi ainda maior. Seria possível mesmo?
-Você está maluco elfo, nem mesmo eu sou capaz de enfrentar um dragão médio sozinho, imagina se uma reles humana vai conseguir. Nem se ela fosse uma deusa. -bradou o exaltado Morn.
-Estou lhe dizendo o que vi orc. -respondeu calmamente Gwenh -Apenas uma humana, sem magia e utilizando duas espadas estava lutando em pé de igualdade com um dragão verde médio. Diria até que levando certa vantagem no embate.
-Chega, não posso acreditar em tal absurdo. -esbravejou Morn, que prontamente pegou seu machado e partiu em direção a inacreditável luta.
-Precisamos ir com ele. -falou Thargon- ele pode ser um Orc explosivo, mas ainda sim é um de nossos guerreiros, não podemos deixar outro partir sozinho.
-Ok, já perdemos o Jacques e enquanto o Vëon estiver na Academia Arcana iremos precisar do máximo de força possível. Vamos todos. - declarou Gwenh, e resolvido isso todos seguiram em direção à perigosa luta.
_____________________________________

O orc não conseguia acreditar no que seus olhos estavam vendo, era verdade o que o elfo havia dito, uma garota humana estava lutando contra um dragão verde. E estava vencendo. O resto do grupo logo o alcançou.
-Por Tauron, isso não pode estar acontecendo. -falou Thargon apavorado.
Alheios aos espectadores, a garota e o dragão continuavam sua luta feroz. O monstro voava a uma altura em que a garota não o pudesse acertar com as espadas, mas ele ainda não era adulto e além disso estava ferido, por esses motivos não conseguia permanecer no ar por tempo suficiente. Ele atacava de maneira desesperada, vezes lançando uma rajada de ácido, outras utilizando sua longa cauda. Parecia mais interessado em afastar a garota e fugir.
Já a guerreira permanecia no ataque, desviava fácil das investidas do monstro e utilizava os momentos de descida do dragão para atacar mais forte.
Morn assistia aquela batalha paralisado, seu sangue bárbaro não conseguia aceitar aquela visão. Do seu lado os demais membros permaneciam boquiabertos com aquela cena, Gwenh era o único que aparentava estar aproveitando a magnifica luta.
-Isso é divino. -disse o elfo. -Ela é perfeita. Linda e forte, seria uma luta incrível.
-O que você está delirando elfo? -falou Morn visivelmente irritado com aquela cena.
-Nada. -respondeu o elfo, sua voz parecia cruel e sanguinária, ele exalava uma aura sombria e assustadora - Apenas se acalme aí e não faça besteira.
Aquilo era demais. Na sua frente uma femea humana estava lutando sozinha contra um dragão verde médio, e pior de tudo, estava vencendo. E ele ali ouvindo ordens de um elfo. Por Ragnar, era um elfo quem estava mandando no grupo. E seu orgulho mercenário? Como o poderoso Morn se tornou um pau mandando?
O corpo do orc começou a inchar, seus olhos se tornaram vermelhos como brasas e em seus pensamentos não existia nada além do monstro à sua frente. Ele ergueu seu machado e partiu em direção ao dragão. O monstro apenas o chicoteou com sua pesada cauda. O orc foi arremessado para o chão e o dragão investiu em direção a ele com suas garras.
Antes que Morn fosse atingido, Gwenh se colocou na frente do ataque e com um movimento da espada ele arrancou a pata do monstro. Seus olhos eram negros e sua aura fez com que até mesmo o orc sentisse mais medo do elfo que do dragão.
O monstro verde começou a bater suas asas contra o chão para que levantasse poeira, aproveitando esse momento para escapar de seus atacantes. A garota tentou ainda acertá-lo disparando com uma besta, mas o monstro já conseguira se distanciar.
Ela então se voltou para Gwenh com sua arma apontada para o elfo. Sua cara parecia ter encontrado uma ameaça maior que o seu antigo adversário.
Gwenh já estava mais calmo e voltara a ser o elfo que todos conheciam. Mas Morn permanecia apavorado no chão.

-Não sei quem são vocês -falou finalmente a garota, sua voz era doce e relaxante, mas ao mesmo tempo firme e violenta. -mas vocês me devem 10.000 PO.

Continua...

3 comentários:

  1. Aai me perdi toda agora, vou ter que voltar pro início pra ler desde o primeiro capítulo.

    ResponderExcluir
  2. Eu me declaro culpada... –_–''''
    Não gosto de histórias que envolvam seres como minotauros e tudo mais. Talvez por isso nunca li Harry Potter ou Percy Jackson. Ainda pretendo ler o segundo por abordar mitologia, mas não o primeiro.
    Li metade deste capítulo e realmente parece interessante, mas não pretendo acompanhar a história por não ser um gênero que aprecio. ^.^'
    Desculpe.

    Devo dizer que acho muito legal quando no blog colocam histórias com continuação! É empolgante... Quando houver um romance, por favor, me avisem! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Francine,

      Como diria minha vózinha: "Impossivel agradar gregos e troianos" hahahaha

      Nós temos um romance também, se chama Dois Mundos, mas esta em hiato por que a escritora esta cheia de afazeres no blog. :P
      Daqui a pouco ela volta. :D

      Bjos

      Excluir