sexta-feira, 21 de junho de 2013

Resenha Sepulcro.

Sepulcro

Autor: Kate Mosse.
Editora: Suma de Letras.
Numero de páginas: 595.

O segundo livro da Trilogia Languedoc, sendo o primeiro Labirinto que você pode conferir a resenha aqui, nos trás novos personagens e novas histórias. Entenda que cada livro é independente do outro, não precisa ler um para ler o outro.
Pessoalmente eu gosto muito mais de Sepulcro que do Labirinto, embora eu adore o primeiro. Sempre acabo discordando da maioria das pessoas, porque será?
Vocês terão duas histórias em uma só, com um século de diferença, os capítulos são intercalados.
Léonie Vernier (1891) tem que fugir de Paris com seu irmão Anatoile, eles tem um enorme segredo de família protegido numa câmara mortuária, adivinhem o que é a chave? Cartas de tarô! Quando eles fogem vão morar na propriedade Domaine de la Cade que é da família.
Em 2007 temos a história de Meredith Martin que vai para Carcassone fazer uma fazer uma biografia de Debussy no Hotel Domaine e enquanto isso começa a procurar saber mais sobre sua própria família.
Esse livro tem menos ação que o Labirinto, talvez seja por isso que eu gostei, você acaba se apegando mais aos personagens, pois passa mais momentos com eles no dia a dia.
Kate junta mistério, acredite mistério banha esse livro, romance, aventura e paisagens que ela descreve tão bem como se estivéssemos lá.
Talvez você ache cansativo de ler, mas vale a pena, eu pessoalmente não achei cansativo, embarquei de cabeça na história.

Personagens
Léonie: novamente eu gosto mais da personagens do tempo mais antigo, ela é forte e a maneira como ama Anatoile é linda.
Meredith: ao contrário do livro anterior eu gostei bastante da personagem de 2007, ela é ótima como a Léonie.
Anatoile: eu passei o livro em momentos gostando dele e em outros não.

Escrita: eu gosto muito da escrita da Kate, mas entenda que ela enche o livro de cultura, isso você pode achar um pouco complicado de acompanhar.

Capa: Adoro a capa! Eu simplesmente acho lindas e poderosas as capas dessa trilogia.

Enredo: para você fazer um livro que vai e volta no tempo e não tornar ele enfadonho tem que ter um bom enredo, isso diz tudo.

Classificação: 10/10. 

- Desculpe, que coisa ridícula para se dizer.
- Tudo bem - retrucou ela. - E sim, sou.
- Acabou de chegar?
- Faz algumas horas - respondeu, tomando outro gole de vinho e sentindo o álcool cair no estômago. 

Compre: Saraiva (Impresso. - E-book). - Submarino. - Americanas.

5 comentários:

  1. Não conhecia esse livro, achei a capa interessante a história ao início não me chamou muita atenção. Fiquei curiosa porque você disse que a autora enche o livro de cultura, e adoro livros que além de entreter, ensina. Afinal por mais que aprendemos algo, ainda há muita coisa para aprender nesse mundão!

    Abraços, Raquel.
    Viajando Com Livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um dos meus livros preferidos, a maneira como ela escreve me faz sentir nos personagens e no local.

      Excluir
  2. A parte de encher o livro de Cultura, como você falou pode até atrapalhar um pouco, se isso não fizer a autora perder o fio condutor da trama. A capa ficou ótima, ainda não conhecia nem este livro e nem a trilogia.

    Belo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não perdeu o fio condutor.
      Eu adorei Labirinto e Sepulcro.

      Excluir
  3. Gostei da capa desse livro, eu nunca o tinha visto, mas achei bem interessante, adoraria ler ele.

    ResponderExcluir