quinta-feira, 23 de maio de 2013

Trechos De Um Livro... - Garota Exemplar.


— Falaram que você disse a eles que tinha uma reserva no Houston’s, mas verificaram, e não havia reserva. Pareceram bastante interessados nisso.

Eu não tinha reserva, e não tinha presente. Porque se eu planejara matar Amy naquele dia, não precisaria de reservas para a noite nem de um presente que nunca daria a ela. Marcas de um assassino extremamente pragmático.

Sou excessivamente pragmático — meus amigos com certeza poderiam dizer isso à polícia.

— Ah, não. Não, nunca fiz reserva nenhuma. Eles devem ter me entendido mal. V esclarecer com ou eles.

Eu me joguei no sofá em frente a Marybeth. Não queria que Rand me tocasse novamente.

— Ah, certo. Bom — disse Marybeth. — Ela, ahn, você teve uma caça ao tesouro este ano? Antes... — perguntou, os olhos ficando vermelhos novamente.

— Sim, eles me deram a primeira pista hoje. Gilpin e eu encontramos a segunda em meu escritório na faculdade. Ainda estou tentando entendê-la.

— Podemos dar uma olhada? — pediu minha sogra.

— Não estou com ela — menti.

— Você vai... Você vai tentar descobrir, Nick? — perguntou Marybeth.

— Vou, Marybeth. Eu vou descobrir.

— É que eu detesto a ideia de coisas em que ela tocou deixadas por aí, sozinhas...

Meu telefone tocou, o descartável, e eu dei uma olhada na tela, depois desliguei. Precisava me livrar da coisa, mas ainda não podia.

— Você deveria atender todos os telefonemas, Nick — sugeriu Marybeth.

— Eu reconheci este... apenas o fundo de formatura da faculdade querendo dinheiro.

Rand sentou-se ao meu lado no sofá. As almofadas velhas e muito gastas afundaram incrivelmente sob nosso peso, então acabamos empurrados um contra o outro, nossos braços se tocando, o que não era problema para Rand. Ele era um daqueles caras que dizem eu gosto de abraçar enquanto vão na sua direção, deixando de perguntar se o sentimento é mútuo.

Marybeth voltou aos negócios.

— Achamos que é possível que um obcecado por Amy a tenha levado — explicou, virando-se para mim como se apresentando um caso. — Tivemos alguns ao longo dos anos.

Amy gostava de relembrar histórias de homens obcecados por ela. Descrevia os perseguidores em voz baixa enquanto bebia vinho em vários momentos de nosso casamento — homens que ainda estavam à solta, sempre pensando nela e a desejando. Eu suspeitava que essas histórias fossem exageradas: os homens sempre eram perigosos em um grau muito preciso — o suficiente para que eu me preocupasse, mas não o bastante para que precisássemos envolver a polícia. Resumindo, um mundo de fantasia em que eu podia ser o herói de peito estufado de Amy, defendendo sua honra. Amy era independente demais, moderna demais para conseguir admitir a verdade: ela queria brincar de donzela.

— Ultimamente?

— Não, ultimamente não — respondeu Marybeth, mordendo o lábio. — Mas houve uma garota muito perturbada no ensino médio.

— Perturbada como?

— Ela era obcecada por Amy. Bem, pela Amy Exemplar. Seu nome era Hilary Handy; ela se inspirou na melhor amiga de Amy nos livros, Suzy. No começo era meigo, até. E depois foi como se isso já não bastasse; ela queria ser a Amy Exemplar, não Suzy, a amiga. Então começou a imitar a nossa Amy. Ela se vestia como Amy, pintou o cabelo de louro, ficava parada na frente de nossa casa em Nova York. Uma vez eu estava caminhando pela rua e ela foi correndo até mim, essa garota estranha, passou o braço por baixo do meu e disse: “Eu vou ser sua filha agora. V matar Amy e ser sua nova Amy. Porque na ou verdade não faz diferença para você, não é? Desde que você tenha uma Amy.” Como se nossa filha fosse uma obra de ficção que ela pudesse reescrever.

— Finalmente conseguimos uma ordem de restrição contra ela, porque ela derrubou Amy em uma escadaria na escola — explicou Rand. — Uma garota muito perturbada. Esse tipo de mentalidade não muda.

3 comentários:

  1. Eu juro que tentei entender, não sei se eu que entendi errado ou se o livro é mesmo 'viajado'... mas quando eu vi a capa e li o título 'garota exemplar', eu pensei em uma coisa totalmente diferente... esse trecho me surpreendeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu esperava que fosse diferente também.

      Excluir
  2. Me encantei por esse livro só por causa da capa, achei muito linda. Gostei também porque é envolve suspense e terror, ou seja, quero muito ele!!!

    ResponderExcluir