sexta-feira, 8 de março de 2013

Resenha O Lado Bom Da Vida.

O Lado Bom da Vida 

Autor: Matthew Quick.
Editora: Intrínseca.
Numero de páginas:  256.

Depois de ter apreciado tanto o filme eu quis ler o livro, é um dos primeiros livros que eu digo: que bom que mudaram as coisas no filme.
Não é que o livro seja ruim, ele é bom, mas só isso, bom. Enquanto o filme é ótimo, tanto que eu já vi 3 vezes e eu não gosto de repetir filmes normalmente, só os que gosto mesmo.
Pat esta no lugar ruim, que é uma clinica onde ficam pessoas com algum problema mental, até que sua mãe resolve buscá-lo, ele não se lembra quanto tempo passa na verdade, mas não é algo que ele vá anunciar, pois não quer voltar para o lugar ruim.
Seu pai não fala com ele, a não ser quando o Eagles ganham o jogo, e mesmo assim não é sempre.
Em um jantar na casa de Ronnie, amigo dele, conhece Tiffany, irmã de Veronika, esposa de Ronnie, que também tem problemas.
Na primeira noite Tiffany diz que ele pode apagar a luz e foder ela, simples assim, o problema é que Pat quer voltar com sua esposa Nikki, e a noite termina com Tiffany e Pat chorando.
Assim Tiffany começa a perseguir Pat quando eles correm e se torna uma amizade meio estranha.
Os problemas do livro é que falta emoção, sabe você vê tudo pela visão do Pat que é bem infantil e acaba que todo o livro perde a emoção, o que não falta no filme, eu vou falar abaixo de livro x filme.
O pai de Pat no livro é um cuzão, ele só fala realmente com a familia se os Eagles ganharem os jogos e mesmo assim não se sabe, trata os filhos mal e a esposa mal e trabalha enquanto no filme, ele é viciado nos Eagles sim, mas trata bem a esposa, não trabalha e faz apostas, e no filme da para ver que ele gosta de Pat.
A mãe do Pat continua praticamente igual, embora no livro demonstre mais do relacionamento dela com o pai dele, o que no filme não precisa já que o pai não é um cretino.
Jake foi algo que achei melhor no livro que no filme, no filme você acaba não gostando muito do irmão do Pat enquanto no livro ele é incrivel.
Mas o pior é a Tiffany, enquanto no filme ela é doida, ferrada e engraçada no livro ela só é ferrada, não tem as cenas expetaculares que encontramos no filme.
Enquanto o climax do filme é eles ganharem o concuso de dança para o pai de Pat ter o restaurante, no livro não existe pontuação no concurso, nem aposta, nem restaurante e o climax é quando ele encontra a Nikki com quem ele acaba nem falando.
Se eu fiquei horrorizada com o livro? Sim, porque eu esperava bem mais, eu esperava a emoção que encontrei no filme.
Outra coisa é que o livro fala muito de esportes, e é realmente chato ficar lendo sobre isso para quem não aprecia esportes como eu.

Personagens
Pat: ele é muito infantil, se torna sim uma pessoa boa, mas ao mesmo tem se torna uma criança.
Tiffany: ela não te encanta, enquanto eu adoro a Tiffany do filme, a do livro é sem graça.
Jake: adoro ele no livro, é um ótimo irmão, mesmo quando Pat tem as loucuras dele e é um cú como nos jogos.

Escrita: o autor coloca a visão de Pat, que é incrivelmente infantil, então é como uma criança falando com você, mas com tudo escrito correto claro.

Capa: Bem, tem como não adora a capa com o Brad e a Jenn? Dizem que eles vão fazer um novo filme juntos e obviamente eu vou querer ver. Os dois além de lindos são excelentes atores.

Enredo: tem tudo aquilo de mostrar como as pessoas podem evoluir, mas não é o melhor enredo que já li, ele devia ter se focado em te fazer gostar mais dos personagens.

Classificação: 05/10.


Por volta das onze da noite minha mãe ainda não voltou para
casa, e eu começo a ficar preocupado, pois todas as noites às dez
e quarenta e cinco eu preciso tomar remédios que me ajudam a
dormir. Não é do feitio da mamãe esquecer os meus horários de
tomar remédios.


12 comentários:

  1. Não assisti o filme, e tenho quase certeza que o Oscar da Jen foi injusto! Tinha atrizes muito melhores e com certeza atuando melhor! Apesar de eu ser Tributa ( Fã de THG) Tenho que concorsar que o lado bom da vida esta sendo o jogo de marketing...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você tem que assisti o filme antes de falar isso Livi, para mim foi totalmente justo.

      Excluir
  2. Concordo com você que o filme é melhor do que o livro.Também gostei do livro,mas não é nada demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, já o filme eu adorei, já vi várias vezes de tão bom.

      Excluir
  3. Estou me segurando pra não assistir, mas está dificil. Eu sempre prefiro mil vezes ler, mas estão falando muuito bem desse filme...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles mudaram muita coisa do livro no filme (por sorte) então acho que não faria imenso mal você ver.

      Excluir
  4. O filme é muito 10... Eu quero muito ler o livro... Gostei muito da resenha, ficou bem legal...

    ResponderExcluir
  5. O filme é ótimo e eu imagino como deve ser difícil interpretar alguém bipolar. Eu estava querendo ler o livro porque sempre há algo diferente que prende mais do que em um filme.
    parabens pela resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei mais humano o filme, mais real sabe? Senti melhor os personagens, mas o livro não é ruim não.

      Excluir
  6. Tenho vontade de ler o livro, a primeira coisa que me chamou atenção foi a capa, depois o enredo da historia que me parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  7. Não sei se vou gostar do livro por isto estou adiando a leitura. O livro já está na minha estante porém ainda não tive coragem de pega-lo.

    ResponderExcluir