segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Resenha Maya Fox - A predestinada



Oi gente! Aqui é a Carol, da coluna "Keep Watching", e vim roubar a coluna da Cah um pouquinho (claro, com a permissão da chefa). Hoje vim falar  de um livro que pode não ser muito conhecido, então acho que ninguém ouviu falar dele  e nem dos autores... O livro se chama "A predestinada" e foi escrito por Sylvia Brena (Jornalista e escritora que escrevia para Io Donna e Cosmopolitan, sendo diretora deste segundo. Atualmente é professora de comunicação na PUC de Milão, onde mora.) e Ignio Straffi (Autor de quadrinhos como Clube das Winx. Fundador e presidente da Rainbow S. p. A). Vou tentar contar a minha opinião sem dar (muitos) Spoilers... 


Sinopse:
Maya é uma jovem de 17 anos que é louca por seu ipod, fã de My Chermical Romance, adora rendas (de preferência pretas e roxas) e tem sempre por perto Flo, sua melhor amiga. Porém, Maya tem sua rotina abalada quando descobre que consegue comunicar-se com os mortos.

Cabe à jovem aprender a dominar esse dom sobrenatural, mas essa não será uma tarefa fácil, ainda mais quando um Serial Killer a persegue incansavelmente.

Será que a adolescente saberá usar esse poder para mudar o seu destino e o da humanidade?

Por que sua vida depende da sequência matemática de Fibonacci e da profecia que anuncia o fim do mundo em 2012? Maya Fox, a predestinada, precisará desvendar todos esses mistérios antes que seja tarde de mais.

Ok, vamos para as críticas, preparem-se:

Não vou dizer que a história é maravilhosa, porque não é, e isso fica claro ao ver os comentários no Skoob. Eu achei que são muitas histórias dentro de uma só, para serem contados em um livro (nem estou falando da trilogia toda). Vamos enumerar as histórias:

1- Maya e suas repetidas brigas com a mãe.
2- O assassinato do pai da Maya, pelo Serial Killer pirado que tem mania de beleza (muito sem noção isso, gente!!)
3- O relacionamento da Flo com John. Super dispensável isso.
4- Megan (mãe de maya) em busca de dois assassinos, que na verdade são um só.
5- Esse "poder" da Maya, que se vocês lerem vão perceber que é muito idiota.
6- A sequencia de Fibonacci e a profecia de 2012.
7- Trent e sua mãe que, essa sim, fala com os mortos.
8- Phoebe e suas cenas mal encaixadas e em várias partes, desnecessárias.
Viram a diversidade de coisas? Daí eu conseguiria fazer pelo menos 3 livros, separando categoricamente os assuntos ligados dos sem qualquer nexo.

Outra coisa que é bem chata, são as narrações confusas... O livro começa com um tal de professor Zafth, quando vemos, já está na Maya, passando pelo assassino Michael Gacy, que tem uns capítulos em forma de carta muito sem noção... Eu pulei vários porque eles meio que quebravam o clima da história que estava sendo contada no momento.

Não vou dizer também que o livro é totalmente ruim, porque eu gostei. Quando os autores se concentravam em um assunto específico, ficava super interessante. Só os "Shinnings" da Maya que as vezes não ficavam claros, ou mal descritos. Mas assim, no final (calma, não vou contar, gente), quando os autores descreveram apenas um assunto, o que e como aconteceu, ficou muito bom, mas novamente falharam, ao parar a cena do nada... Eu toda pulante achando que ainda tinha mais umas páginas, dou de cara com uma bibliografia imensa, o que mostra que eles estudaram bastante para escrever.... Uma pena que eles tenham faltado as aulas de coerência textual... Se bem que até a editora brasileira deu umas falhadas muito tensas na tradução do livro.

Agora eu quero ler a continuação, porque esse livro é que nem filme ruim: Você detesta, mas quer ver a continuação pra saber o que vai acontecer.

Dou a mesma nota que dei no Skoob, 3 em 5, porque as ideias são boas sim, só foram mal escritas e mal apresentadas no livro para os leitores. Para mim esse volume com 384 páginas ainda foi pouco, os autores deveriam ter escrito mais, destrinchado mais cada assunto, dando mais detalhes, porque assim parece, como minha amiga disse, uma fanfic.

Bom, essa foi apenas a minha humilde opinião. Se você já leu e tem outra opinião diga ai! Vamos debater sobre o livro. E se você não leu, e desanimou depois dessa resenha, eu incentivo vocês a lerem, porque a sua visão pode ser diferente da minha. 

Agora vou devolver a coluna pra Cah, mas talvez eu apareça por aqui mais vezes. Deixo vocês então com um trecho do livro, e se quiserem mais informações, cliquem aqui.

"(...) Mas naquele instante não chegou a tempo de impedir que Maya percebesse a arma designada para matá-la: uma lâmina cintilante, que o assassino passou sobre o pescoço da modelo na fotografia, atravessando-a de lado a lado. (...) Gacy estendeu ainda mais sua carranca na direção da janela da frente, mantendo a faca erguida. (...)" - Maya Fox: A predestinada, página 363.

9 comentários:

  1. Primeiro pareceu que eu ia gostar do livro, depois que eu não ia. haha. Agora não sei! shaushua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kk normal!! Esse livro é super estranho, mas só lendo pra saber se você vai gostar... Foi como eu disse, nas parte q os dois pamonhas, digo, escritores resolveram focar em um assunto só, ficava mto bom!

      Excluir
  2. Eu achei a capa bacana, mas não me interessei muito em ler porque acho que acabaria fazendo comparações demais com a série A Mediadora de Meg Cabot, e como eu amo a série, as comparações tenderiam a ser para baixo :S

    ResponderExcluir
  3. Eu lembrei muito Ecos da Morte, mas eu sei que não há semelhanças. Mas este foi o unico livro que li deste gênero, com Serial Killer e tudo.
    Não sei se darei uma chance para o livro, ele não chamou tanto a minha atenção.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei bem em dúvida sobre esse livro, parece ser interessante, porém meio complicado...

    ResponderExcluir
  5. Goste da capa do livro, ele parece ser legal. Vou adiciona-lo na lista.

    ResponderExcluir
  6. Já tinha ouvido falar do livro. Pelo que você disse o livro tinha tudo para dar certo mas essa falta de coesão textual não dá. Não tem coisa pior :-(

    ResponderExcluir
  7. Minha cara eu creio que vc não entendeu muito bem o livro, pois o livro ele é meio que atemporal,ou seja, ele transita no tempo está é uma das explicações do porquê o livro possuir capítulos sobre a Maya, o Doutor Kyle, a Doutora Fox e sobre o Garcy. E sobre suas outras criticas creio que vc não leu o livro por completo, talvez tenha lido só o resumo pq não tem cenas mal encaixadas e tudo possui uma finalidade, não há varias historias em uma só, na verdade é só uma historia onde, como eu já disse é atemporal, os escritores do livro transitam pelo presente de acordo com os capítulos. Bem vc não conseguiu capturar a essência do que foi escrito,ou seja, não conseguiu interpretar o livro.

    ResponderExcluir