sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Destroçando-me.



Eu me sinto sozinha o vendo partir
Meus sonhos destroçados
Minhas lembranças intactas

A raiva me consome essa noite
Mas eu quero mostrar que não é fácil
Correrei até você

Percebo que sempre havia algo mais
Presente em todos os sorrisos
Quero engula e vomite seu orgulho
Se curve sentindo angustia

O jogo virou, vou lhe ver chorar
Suas mentiras não me servem mais
Não viverei de ilusões, pois elas sempre lhe abandonam
Você é um fantasma
Estou lhe enterrando na memória

2 comentários:

  1. Esse poema acabou super bem, como se fosse uma volta por cima. Gostei mt

    ResponderExcluir
  2. Que poema linda e ficou ainda mais com a foto do Robert para ilustrar.

    ResponderExcluir