sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Resenha Eterna de C. C. Hunter.


Título: Eterna.
Saga: Acampamento Shadow Falls: Ao Anoitecer - Livro 02.
Resenha do livro anterior: Livro  I.
Autora: C. C. Hunter.
Editora: Jangada.
Número de páginas: 352.
Ano de lançamento: 2016.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Justo quando Della estava começando a achar que tinha encontrado a sua tribo em Shadow Falls, sua vida vira do avesso novamente. Depois de ser vítima de um vírus mortal, ela precisa fazer a difícil escolha de ser uma Renascida, um tipo de vampiro mais forte e poderoso. Essa é a sua única chance de sobrevivência. Mas ela tem um preço: Della terá que ficar eternamente ligada a Chase. Será que a atração que ela começa a sentir por ele é real ou tem a ver com essa ligação? E o que acontecerá com Steve, o metamorfo? E se já não bastasse os problemas com o coração, enquanto Della investiga seu mais recente caso, ela descobre uma prova chocante de que seu pai está envolvido num crime do passado. Isso a faz questionar tudo o que acredita ser verdade, e o seu lugar num mundo que ela pensava conhecer tão bem.

Opinião:

No primeiro livro Della se tornou uma Renascida (um vampiro com características apuradas) e ficou ligada eternamente a Chase, um vampiro misterioso que adora esconder coisas dela e por quem ela sente uma certa atração.

Ocorre que Della está decidida a não gostar de Chase e nem deixar que isso interfira na sua relação com Steve, o metamorfo sexy e adorável com quem ela estava começando um relacionamento.

Além das questões amorosas, Della tem que se preocupar com o sepultamento do seu primo Chan e com a visão que teve sobre dois vampiros, Natasha e Liam, trancados em algum lugar, sobrevivendo bebendo o sangue um do outro.

Para piorar Chase tem a mesma visão e eles tem que trabalhar juntos no caso, o que não agrada em nada Steve. Dificultando mais as coisas, Della tem que descobrir a respeito do passado de seu pai e ver se ele é um assassino ou se quem cometeu o crime foi seu tio, que ela acredita ser um vampiro.

O livro tem 352 páginas, mas narra poucos dias da vida de Della que são repletos de aventuras e confusões. Me deixa meio abismada como a autora pode colocar tantas informações em poucos dias. Algo certo é que a vida de Della não é nem um pouco calma.

Normalmente tenho uma mania de escolher no início da obra por qual casal vou torcer, ou seja, quando existe um triângulo no começo eu decido que vou torcer por aquela pessoa e assim vou até o final. Ocorre que nesse triângulo Steve x Della x Chase não consegui escolher. Os dois tem seus atrativos, qualidades e defeitos e embarquei nessa aventura com Della de descobrir qual é a pessoa certa para ela.

Outra coisa que adoro é a relação complicada que ela tem com a família em decorrência das mudanças que teve após ter se transformado (a família dela não sabe que ela é vampira, então acha que Della anda se drogando, entre outras coisas), que reflete bem como é problemático as relações familiares. No caso de Della, é mais complicado por seu pai ser oriental e achar que por ter filhas mestiças essas tem que provar que estão a altura da cultura dele e serem perfeitinhas.

Já a amizade entre Della, Kylie e Miranda demonstra ser forte e duradoura. Nesse segundo livro achei que elas aparecem menos que no primeiro, mas estão sempre lá pela amiga.

Vale lembrar ainda que o caso da Natasha e Liam está relacionado de alguma forma com Della e vão te dando pistas no decorrer da obra para descobrir a ligação. Então fiquem atentos. Ainda, há pistas de onde estão Natasha e Liam, é só prestar atenção, eu mesma descobri antes de Della, rsrs.

Por fim, achei a capa maravilhosa e é uma pena que não de para vocês verem pessoalmente no momento, pois dependendo da posição em que ela fica brilha mais.


Às cinco da manhã, o celular apitou novamente. Não era o fantasma. A mensagem era simples. Sinto sua falta, Steve.
Ficou em dúvida se ligava de novo, mas então percebeu que isso a magoaria muito. Se a mãe não se dava ao trabalho de ligar de volta, Della não ligaria também.

- Prometo - disse Della, percebendo que a promessa não incluía confiar no garoto. Tudo o que ela tinha prometido era tentar descobrir se Chase era um sapo ou um príncipe. E daí se ele fosse um príncipe? Aquilo não significava que ele era o príncipe dela.
- Acho que não. Prefiro ficar aqui, com vocês duas falando de fantasmas, do que sozinha lá dentro sabendo que vocês estão aqui falando de fantasmas. Minha imaginação pode ser mais assustadora do que a verdade.
- Você sabe, eu "adoraria" passar algumas horas falando do meu drama familiar, mas não temos tempo. - Para ser sincera, ela só desabafava suas amarguras com Kylie e Miranda. E só Deus sabia quanto precisava de seu tempinho com elas agora, em volta da mesa, tomando uma Coca Diet.
- Encontrar respostas. Respostas que você não está me dando. - A acusação era explícita em seu tom de voz. Ela colocou as mãos nos quadris e olhou para ele. Estranhamente, ela tinha se esquecido de como ele era alto. Assomava-se sobre ela. Della não estava acostumada a se sentir pequena ou feminina, mas a presença dele fazia isso. 
Clique na imagem para aumentá-la.

Continue Lendo

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Lançamentos: Grupo Editorial Pensamento.

Olá.
O Grupo Editorial Pensamento demorou um tempinho para liberar os lançamentos de setembro, mas aqui estão eles, prontos para vocês verem. o/

Rick Bonadio iniciou sua carreira 1986, aos 17 anos, quando gravou um disco, porém foi na mesa de som, produção e composição que ele se consagrou. É atualmente o produtor musical mais conhecido do Brasil. Já revelou, produziu e empresariou grupos como Charlie Brown Jr., Mamonas Assassinas, Titãs, Rouge, Ira! e NX Zero. Produziu mais de 300 artistas e ganhou 31 discos de ouro, platina, platina dupla e diamante por vendagens que, somadas, ultrapassam os 15 milhões de álbuns. Foi diretor artístico e depois presidente da gravadora Virgin Records no Brasil e criou o selo Arsenal Music, adquirido pela multinacional Universal Music. Trabalhou em programas de TV como Popstars (SBT), Caldeirão do Huck (Globo), Countrystar (Band), Ídolos (Record), Fábrica de Estrelas (Multishow) e, atualmente, é jurado do X Factor Brasil (Band).
Este é o Guia de Magia e Espiritualidade mais completo do Brasil. O Almanaque Wicca 2017 é uma fonte de informações sobre a vida, a magia e o mundo espiritual, que nos convida a utilizar esse conhecimento para sermos pessoas mais íntegras, felizes e próximas da nossa essência divina. Repleto de diferentes artigos, você vai aprender um ritual para atrair dinheiro, encantamento para combater a insônia, uso avançado de ervas e pedras, magia da arrumação da casa, entre outros. Como de costume, traz ainda o calendário 2017 com as fases da Lua e datas comemorativas pagãs.


A série Starling chega a seu desfecho épico neste terceiro volume. A ancestral profecia nórdica do Ragnarök está prestes a se cumprir. Mason Starling tem nas mãos o destino do mundo, enquanto Fennrys, seu amor, jaz a seus pés sangrando, com a vida por um fio. No entanto, o que quer que esteja por vir não ocorrerá por causa de uma profecia ou dos planos maquiavélicos do seu pai. Tudo depende apenas das decisões de Mason e Fenn. E o mundo deve torcer para que ambos alcancem aquilo que suas almas e suas espadas mais almejam: evitar o fim do mundo.


Após uma catástrofe que matou milhões de pessoas, uma fenda se abre entre as dimensões e as cidades passam a ser assombradas por fantasmas. Verônica não passa um dia sem ver um fantasma, mas eles não a assustam. Porém, os fantasmas estão ganhando força e começam a aparecer com muito mais frequência. Ela e seu colega de classe Kirk, investigam por quê e descobrem uma história sinistra: August, seu professor de história, não se conforma que a sua filha não voltou do mundo dos mortos como fantasma e acha que para isso acontecer ela precisa primeiro se apossar de um corpo, e que Verônica é a pessoa certa para abrigar o espírito da filha. Mesmo que esteja errado, que mal há em criar mais um fantasma, se já existem tantos!

Agora, além de consultar o horóscopo ou tirar uma carta de tarô para prever como será o seu dia, você também saberá qual runa, número, cor, cristal e divindade está mais alinhada com a energia desse dia. Utilize as tabelas de correspondências mágicas e descubra as associações que existem entre todas as artes esotéricas. Um guia prático e acessível a todas as pessoas que querem aumentar seus níveis de energia, proteger-se da negatividade e fazer rituais e práticas mágicas realmente poderosas.

Descubra com o melhor coach de liderança da atualidade que você pode produzir uma vida repleta de realizações simplesmente mudando uma única coisa: a maneira como toma decisões. Este livro oferece um roteiro simples, direto, prático e duradouro para que você tome decisões de uma maneira que o levam a chegar onde quer e atinja seus objetivos. Também mostra quais são as habilidades, ideias e estratégias necessárias para superar os desafios e complexidades que você muitas vezes enfrenta no dia a dia.


Nesta nova edição revista, Krishnamurti nos traz importantes ensinamentos práticos para mantermos a mente livre do passado e não sofrermos por situações artificiais armazenadas na memória. Reunindo os principais tópicos de conferências realizadas por este grande filósofo, esta obra trata de questões seminais para a nossa existência: a busca do prazer, a importância da comunicação, a memória humana, a violência e outros estados de ânimo dissonantes do nosso espírito, a pobreza, as drogas, a solidão, a beleza e o amor.
Continue Lendo

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Resenha Triângulo de 4 Lados de Fernanda Medeiros e Adelina Barbosa.


Título: Triângulo de 4 Lados.
Autoras: Fernanda Medeiros e Adelina Barbosa.
Editora: D'Plácido.
Número de Páginas: 320.
Ano: 2015.
Cortesia Editora.

Sinopse: "Unhas mal pintadas de preto e camisas de bandas. Ela ama O Diário de Bridget Jones, chocolate, e a banda Misfits. Odeia trovões, lágrimas, e ser chamada de criança. Sara Alcântara tem 17 anos e, como qualquer garota de sua idade, tem um relacionamento de amor e ódio com a mãe, com seus estudos, e com a própria vida. Ama suas amigas, que são seu suporte, e sua base. Tira boas notas na escola, por obrigação, mas deseja ser artista, porque pintar é sua verdadeira vocação. Até aquela paixão adolescente, platônica, ela possui. Ele tem nome, sobrenome, e grau de parentesco. Rodrigo Guano é seu primo, e sonho de consumo de toda a população feminina da pequena cidade de Santa Fé, onde moram. Tudo muda quando ele a beija pela primeira vez. Então o mundo pode acabar, regimes podem cair, terremotos podem engolir a terra em rachaduras intermináveis, e Sara ainda estaria feliz. Ou assim ela pensa ser, até que viaja para Paris, para passar as férias. Quando volta, tudo está diferente, inclusive ela. Sara se vê inserida num triângulo amoroso... Ou seria um quadrado?"
Opinião:

Quem aqui gosta de dramas adolescentes?!? Essa história é cheia deles. Confesso que me senti assistindo uma temporada da Malhação em apenas 320 páginas. Não me lembro de ser assim quando mais nova. Em alguns momentos tive vontade de espancar 3 lados desse triângulo de 4 lados. Mas não precisei porque definitivamente teve briga com direito a socos, amores mal resolvidos, concorrência desleal e algumas provocações desnecessárias.

Para vocês entenderem melhor como é o livro, ele gira em torno de três relacionamentos, onde três caras tem interesse pela mesma menina, mas ela só tem olhos e suspiros pra um deles. O pior é que todos eles se conhecem e ainda por cima dois deles são primos de Sara. Rodrigo é irmão de Brent e tem uma banda de Rock que precisa de um novo vocalista, e ai entra o Matheus na jogada. Pelas descrições das autoras são todos lindos, perfeitos a sua maneira, tanto que usam a comparação de Crepúsculo (lobo/vampiro). 

Os amores ocorrem assim: Brent e Matheus são afim de Sara e a Sara por sua vez do Rodrigo, que ama apenas seu próprio umbigo e brinca com o sentimento de todo mundo a sua volta com um jeito risonho e cativante, conseguindo tudo que quer a sua maneira.

Depois de tantos anos cultivando esse sentimento por Rodrigo, ela finalmente consegue abrir o jogo e eles começam a ficar, mas ele é tão egoísta que quando ela consegue uma bolsa de estudo para passar um  mês em Paris ele faz ela escolher entre ele e a viagem. E óbvio que ela viaja, mas quando retorna tudo muda. 

Brent não investe mais nesse sentimento, pois acha que Sara nunca ficaria com ele em função de ela ter ficado com seu irmão e Matheus começa a investir para fazer ela tentar esquecer os irmãos Guano. Essa é a vida nada fácil de uma menina de 17 anos cursando o ultimo ano do colégio.

Durante todo o livro vemos essa disputa entre os três pela atenção da Sara, ela começando a embaralhar os sentimentos e ficar confusa sobre quem realmente gosta. Enfim adolescentes... Fase complicada que todo mundo vai passar, mas sabemos que os problemas parecem infinitamente maiores do que realmente são. Também vemos algumas notas ao longo do livro que são notas mentais de Sara, quase que um diário, as quais são bem engraçadas.

A obra usa uma linguagem muito simples tornando fácil a leitura. Confesso que me demorei lendo porque me irritava com os dramas, mas isso é simplesmente a realidade de uma menina de 17 anos. As páginas são brancas. Letra de um tamanho confortável, achei alguns erros de digitação, mas bem poucos, não interferem em nada. As autoras usam muitas referencias no livro, como bandas de rock, filmes e series. Outra coisa que reparei é que o livro é muito detalhista nas descrições do ambiente, as vezes até demais. 


Eu nunca soube como fazer. Podia ser porque a minha pele era muito branca, mas eu ficava vermelha quando alguém olhava para mim, esperando uma resposta que eu não podia dar. E batava o nome de Rodrigo para que eu ficasse mais desesperada. Era extremamente inconveniente não saber disfarçar. 
Ele era absurdamente atraente. Com seus sorrisos, com seus olhares. Acendia aquela atração feminina em qualquer uma. Apaixonada ou não por outro cara. E, ainda que eu não quisesse nada com ele, não podia deixar de acha-lo... Absurdamente atraente. (Nota sobre Matheus)
Brent era cruelmente real. Ele brigava comigo, era grosso comigo. Aparentemente indiferente. Mas brigava por mim, cuidava de mim. E, mesmo com aquele jeito, estava comigo. Ele nunca me abandonou. E conseguiu cativar meu coração, mesmo sem tentar. 
Clique na imagem para aumentá-la.
Continue Lendo

sábado, 17 de setembro de 2016

Resenha Prince of Thorns de Mark Lawrence.


Título: Prince of Thorns.
Autora: Mark Lawrence.
Editora: DarkSide.
Número de páginas: 355.
Ano de lançamento: 2014.


Sinopse:
Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da Rainha mãe e de seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família nem fugir do horror. Jogado à própria sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. O príncipe dos espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.
Opinião: 

Prince of Thorns é o 1º livro da Trilogia dos Espinhos, que conta a história de Jorg, um príncipe rebelde. A história é narrada em primeira pessoa por ele nos seus 14 anos na atualidade e às vezes quatro anos no passado. Jorg é aquele personagem intrigante e que toma por completo a atenção do leitor. Ele é um anti-herói com um quê de psicopatia, ou seja, inteligente, sagaz, frio, calculista e mau. Isso é consequência do fato de que ele assistiu o assassinato da mãe e do seu irmão Will e só escapou de tudo isso porque ficou preso numa roseira-brava, a qual é conhecida por seus espinhos que nunca saem do corpo. Depois do ocorrido, Jorg passa várias semanas entre a vida e a morte, lutando contra os espinhos que continuam presos na sua pele e vão penetrando ainda mais a cada dia que passa. Ao conseguir se recuperar, ele descobre que o seu pai, o rei de Crath, não demonstra nenhuma reação com o assassinato de sua esposa e filho e isso revolta Jorg, fazendo com que ele queira ainda mais a vingança.

Ele foge e acaba se juntando com um grupo de mercenários, com eles Jorg aprende rapidamente como é a vida nas estradas, saqueando vilas, matando pessoas e muito mais atos de crueldade. Jorg vai evoluindo, mas ainda em busca de vingança pelo assassinato da mãe e do irmão. No decorrer do livro, você percebe o quanto Jorg é frio e não se importa nem mesmo com os seus companheiros de bando. 

No começo você pensa que pela tenra idade do personagem principal, o livro será uma fantasia normal como as que estamos acostumados a ler. Mas você percebe o quanto Jorg é profundo e o quanto ele vai demonstrando ainda mais sua personalidade tanto quanto anti-herói e como psicopata. Ele se demonstra um personagem forte, manipulador, insensível, sem nenhum sentimento de culpa ou remorso pelo que faz. Mas, ainda assim, ele ainda consegue sentir lampejos de sentimentos em pontos diferentes do livro.

O enredo é muito bem construído e vai te prendendo aos poucos, quando você termina o livro, já está quase que desesperado pra saber o que vai acontecer com Jorg e o que ele vai fazer. A história se passa como se fosse num mundo em uma era medieval, onde em um império existem reis e lordes à procura de dominar todo o império além de subjugar outros reinos. E nesse meio tem Jorg, que inicialmente parece apenas um mercenário despretensioso, apesar de muito novo, mas logo é apresentada a sua sede de poder e de vingança. 

Os personagens secundários são ótimos, mesmo que pouco desenvolvidos no primeiro livro. Eles acabam fazendo parte de como a personalidade de Jorg é formada, como por exemplo, o nubano, um dos personagens que ajuda Jorg a fugir e o ensina muito sobre lutas e guerras. Existem também aqueles personagens que são totalmente enigmáticos, como por exemplo, o pai de Jorg, o rei de Crath. No começo você não entende nada de suas motivações e pensamentos, mas do meio para o final do livro você se surpreende com o que esse personagem deseja.
Particularmente, gostei muito do livro, muito mesmo. A história, apesar de ser forte e pesada é muito envolvente e intrigante. É daqueles livros que você começa lendo devagarzinho, como quem não quer nada e logo percebe que não consegue largar mais! E quando você começa, logo você quer ler a Trilogia toda para saber ainda mais da história. Não vou me delongar falando mais ainda sobre o livro porque essa obra merece ser lida por vocês o quanto antes. Muito bom mesmo. Realmente dá show nos quesitos fantasia, enredo, reviravoltas, desenvolvimento de personagens e muito mais. Vale a pena ler, uma das melhores séries de fantasia dos últimos tempos. Fiquei realmente impressionada. E se você puder adquirir o livro, ele é muito bonito mesmo! Capa dura, folhas amarelas com algumas pretas, muito lindo, amei de verdade. Enfim, o melhor de tudo é a história e super indico sem nem pensar duas vezes! 


Há uma razão pela qual eu vou ganhar esta guerra. Todos os vivos têm lutado uma batalha que envelheceu antes mesmo de eles nascerem. Eu já afiava meus dentes nos soldadinhos de madeira do salão da guerra do castelo do meu pai. Tenho uma razão para ganhar onde os demais falharam. Eu simplesmente entendo o jogo.
"Lesmas, eu diria. Enriqueceram com a destruição dos outros." Mostrei-lhes meu sorriso. "Bem, meus irmãos, temos que mostrar o quanto eles estão errados. Eu quero ver todos mortos. Até o último deles. Vamos matá-los e sair sem um só arranhão. [...]"
Quatro anos não forjaram mudanças em meu pai. Sentava-se sobre o trono alto, coberto por um manto de pele de lobo, com ornamentos de prata. Ele usara o mesmo manto no dia em que fugi. A coroa dos Ancrath repousava sobre sua testa, uma coroa de guerreiro, uma faixa de ferro adornada com rubis, confinando cabelos negros riscados com o mesmo cinza do metal. À sua esquerda, na cadeira da consorte, sentava-se uma nova rainha. 
Clique na imagem para aumentá-la.

Esta resenha participa da Dark Season. Para saber mais detalhes e concorrer à um livro da editora Darkside clique aqui.

http://livroslapiseafins.blogspot.com.br/p/dark-season.html
Continue Lendo

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Resenha A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma de Douglas Adams.


Título: A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma.
Autor: Douglas Adams.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 224.
Ano de lançamento: 2016.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Kate Schechter devia ter prestado atenção aos avisos que o universo tentava lhe dar. No aeroporto de Heathrow, prestes a embarcar para a Noruega, a americana pensa em todos os sinais que lhe diziam para não fazer aquela viagem. Ainda assim, ela não está nem um pouco preparada para a explosão do balcão de check-in, que destrói parte do terminal. Enquanto isso, no norte de Londres, o detetive Dirk Gently está no fundo do poço: sem dinheiro, vive de bicos como quiromante numa tendinha. Refletindo sobre seu fracasso, ele lembra de repente que, na verdade, tem um cliente e está absurdamente atrasado para o encontro aquela manhã. Porém, o investigador chega tarde demais. Sentindo-se culpado pela sina do homem, ele resolve mais uma vez fazer uso da interconexão de todas as coisas e vê uma ligação do seu caso com os estranhos eventos no aeroporto. Abrindo caminho em meio aos elementos mais absurdos, Dirk se depara com uma máquina de refrigerante que aparece nos lugares mais improváveis, uma águia hostil que insiste em atacá-lo, um hospital sinistro para casos exóticos, horóscopos insultuosos e uma calculadora de I Ching. Neste delicioso livro que dá continuação à série de Dirk Gently, o leitor se surpreenderá ao observar como todas as peças do quebra-cabeça se encaixam para formar uma trama genial e hilária.

Opinião:

Um aeroporto. Uma explosão. Uma geladeira. Uma maquina de Coca-Cola. Thor. Odin. Deuses. Obviamente, quem conseguiria juntar tudo isso é Douglas Adams.

A obra começa em um aeroporto com Kate tentando pegar seu voo. Ocorre que tinha um homem estranho no balcão tentando comprar uma passagem. Como Kate queria ser atendida logo para não perder o voo se dispõe a pagar para ele a passagem. Mas depois que se resolve o problema do pagamento se descobre que o homem não tinha passaporte. Kate perde o voo e quanto está saindo do aeroporto olha para trás e vê o homem e a atendente e do nada acontece uma imensa explosão que se originou no balcão de atendimento.

Na sua casa, Dirk começa seu dia com uma implicância com sua geladeira. Por tempos nem ele, nem a empregada, abrem a geladeira. Se tornou como uma guerra entre eles para ver quem iria perder. Após todo um transtorno por causa da geladeira ele se lembra que tinha que atender um cliente cedo naquele dia. Com cinco horas de atraso ele chega na casa do cliente e descobre que este foi morto. Um dos problemas é que o cliente contratou Dirk, pois acreditava que havia um monstro com uma foice atrás dele. Imaginem a surpresa de Dirk quando encontra o cliente com a cabeça decepada.

Em outro lugar tem um idoso que adora ficar dormindo em seus lençóis de linho, que é nada mais nada menos, que Odin, o Pai de Todos.

Adoro ler Douglas Adams, mas se tem que ler nos dias certos, pois tem que embarcar totalmente na loucura com ele.  Em muitos momentos eu fiquei pensado "Que maluquice!", mas no final você se pega achando tudo genial.

Algo que sempre vale salientar nos livros dele é que faz comentários sobre situações reais na nossa sociedade de uma forma pitoresca e divertida.

Nessa obra temos uma mulher forte (e um tanto quanto louca) que é a Kate. Tenho consciência que eu não lidaria tão bem quanto ela com as maluquices que acontecem.

Não tem como eu dar nenhum spoiler de como as histórias se encontram, pois parte da diversão é encarar essa confusão.

Gostei da capa, é super simples e ao mesmo tempo elegante. As letras são ótimas de ler e o humor de Adams está presente em todo o livro, do início ao fim. Vale a pena a leitura, mas aviso que você tem que estar pronto para deixar de lado a racionalidade, ou parte dela.


Foi então que Dirk prometera (plaft), com toda (plaft) a tranquilidade (plaft) e abanando a mão despreocupadamente (plaft, plaft, plaft), que estaria na casa do cliente às seis e meia da manhã (plaft), pois o contrato vencia às sete.

Em seguida, saiu para a rua, onde foi atacado por uma águia que veio do céu em um voo rasante, quase jogando-o na frente de um ciclista, que se pôs a xingá-lo do alto do elevado patamar moral que só os ciclistas parecem capazes de galgar.

Se uma coincidência pode acontecer, pensou com os seus botões, então uma segunda coincidência também pode. E, se uma coincidência acontece logo depois da primeira, isso não passa de uma coincidência. Não havia motivo para ficar alarmada só porque as lâmpadas de dois postes queimaram uma atrás da outra. 

A mensagem dizia que ela passaria a noite fora, pois tinha ido dar um pulinho em Asgard. Não sabia bem quais regiões de Asgard iria visitar, mas provavelmente passaria por Valhalla mais tarde, se desse tempo. Se quisesse deixar uma mensagem, ela a ouviria pela manhã se ainda estivesse viva e no clima. Alguns bipes vieram em seguida e ficaram ecoando por vários segundos no ouvido de Dirk.
Clique na imagem para aumentá-la.
 
Continue Lendo