sábado, 18 de julho de 2020

Resenha Um Gosto de Amor de Susan Mallery.


Título: Um Gosto de Amor.
Série: Irmãs Keyes.
Autora: Susan Mallery.
Número de páginas: 349.
Ano de lançamento: 2011.
Compras da Cath´s.

Sinopse:
Se ela tivesse uma vida mais de pecadora do que de santa… “Responsabilidade” deveria ser um dos sobrenomes de Nicole Keyes. Afinal, não é todo mundo que se dispõe a sacrificar a própria vida para comandar a confeitaria da família e educar Jesse, a irmã caçula. Mas agora que Claire, sua gêmea, está alegremente casada enquanto Jesse deixa para trás o jeito de menina da casa de lado para se tornar uma femme fatale, a superconfiante Nicole cansou de colocar as necessidades dos outros antes das suas! Até Hawk entrar na sua vida. Ao lado do ex-jogador de futebol americano Nicole sente o gosto da liberdade que sempre buscou. Hawk parece conhecer de cor o caminho para seu coração, mas ela não vai deixá-lo se aproximar demais a ponto de parti-lo. Porém, é claro que se o passado dele continuar vivo no presente, ela não terá muita escolha…

Opinião:

Uma ida ao shopping fez eu descobrir por um acaso que estava tendo uma feirinha de livros em promoções. Como boa leitora lá fui eu investigar o que tinha de interessante e acabei dando de cara com esse livro da Susan Mallery.

Já havia lido três livros dela e adorado, então é claro que o comprei, ainda mais levando em conta que paguei R$ 10,00 por ele.

Contudo, tenho que iniciar a resenha avisando que esse é o segundo livro da série Irmãs Keyes e não li o primeiro ainda.

Em Um Gosto de Amor conhecemos Nicole Keyes, proprietária de uma confeitaria antiga na família, que criou desde pequena sua irmã mais nova Jesse e a pouco tempo se reconectou com sua irmã gêmea, Claire.

Nicole está em um momento dark da sua vida, visto que pegou Jesse aos beijos com seu marido, agora ex-marido. Então o humor dela não está nada bom quando um jovem tenta furtar donuts na sua confeitaria.

Porém, é assim que ela acaba conhecendo Hawk, ex-jogador de futebol americano, e agora técnico de colégio, que vai até a confeitaria tentar convencê-la a não dar queixa do seu aluno que tentou furtar os donuts.

Embora haja clichês, já que rola uma atração instantânea entre Nicole e Hawk, o livro se aprofunda muito bem nos personagens.

Nicole está magoada e é uma pessoa com gênio forte, que sabe que é auto suficiente e não precisa abaixar a cabeça para ninguém. Hawk é acostumado a ter as coisas do jeito dele e não tem o hábito de rever suas atitudes, mas acaba tendo que mudar isso.

Posso adiantar que nada é calmo nesse "relacionamento". Nicole acaba se responsabilizando pelo jovem que tentou roubar os donuts e Hawk tem que rever o modo como criou sua filha antes que seja tarde de mais. No meio de todo relacionamento tem muito auê e a história é bem fluída.

Li a obra em dois dias. É uma leitura cativante e que te faz nem perceber que já passou horas lendo. Os personagens principais e secundários são bem construídos e você nota que a história poderia realmente acontecer na vida real, embora, claro, tenha seus toques de romance puramente literário.

Se você gosta de romance te indico esse livro, pois eu descobri que tenho uma quedinha pelos livros dessa autora, que conquistou seu espaço no meu coração literário.


Ele provavelmente estava certo, pensou Nicole, recuando e sentindo uma súbita vontade de chorar. A explosão emocional não tinha nada a ver com Hank e tudo a ver com seu passado recente. O corpo desejava, mas a alma e o coração estavam frágeis demais.

- Deixe-me imaginar. Você está partindo para se descobrir. Bem, quer saber de uma coisa? Seus problemas irão junto com você. Entrarão em sua mala e ficarão muito à vontade quando você a desfizer. Não pode escapar das consequências do que fez, Jesse. Deveria ficar e descobrir as respostas aqui.

- Às vezes não me importo, mas outras vezes odeio que tenha sido assim. Quando estava na escola secundária havia tantas coisas que eu queria fazer, mas não podia, porque tinha de me levantar cedo para ajudar na confeitaria. As manhãs eram muito ocupadas, por isso eu não podia ficar fora até tarde da noite. Também queria poder ir ao cinema, mas tinha de estar em casa depois da escola para tomar conta de Jesse.

Hawk ficou parado no meio de sua sala de estar, vendo-a de verdade pela primeira vez em anos. Tudo continuava exatamente como quando Serena ainda estava viva. Os quadros nas paredes, a mobília, as fotografias. Até mesmo os malditos coelhos de cerâmica que ele sempre odiara.
Continue Lendo

sábado, 11 de julho de 2020

Resenha A Grande Solidão de Kristin Hannah.


Título: A Grande Solidão.
Autora: Kristin Hannah.
Editora: Arqueiro.
Número de páginas: 400.
Ano de lançamento: 2018.
Compras da Cath´s.

Sinopse:
Alasca, 1974. Imprevisível. Implacável. Indomável. Para uma família em crise, o último teste de sobrevivência. Atormentado desde que voltou da Guerra do Vietnã, Ernt Allbright decide se mudar com a família para um local isolado no Alasca. Sua esposa, Cora, é capaz de fazer qualquer coisa pelo homem que ama, inclusive segui-lo até o desconhecido. A filha de 13 anos, Leni, também quer acreditar que a nova terra trará um futuro melhor. Num primeiro momento, o Alasca parece ser a resposta para tudo. Ali, os longos dias ensolarados e a generosidade dos habitantes locais compensam o despreparo dos Allbrights e os recursos cada vez mais escassos. Porém, o Alasca não transforma as pessoas, ele apenas revela sua essência. E Ernt precisa enfrentar a escuridão de sua alma, ainda mais sombria que o inverno rigoroso. Em sua pequena cabana coberta de neve, com noites que duram 18 horas, Leni e a mãe percebem a terrível verdade: as ameaças do lado de fora são muito menos assustadoras que o perigo dentro de casa. A Grande Solidão é um retrato da fragilidade e da resistência humana. Uma bela e tocante história sobre amor e perda, sobre o instinto de sobrevivência e o aspecto selvagem que habita tanto o homem quanto a natureza.

Opinião:

Quem segue o blog sabe que sou uma viciadinha em Kristin Hannah. Sempre brinco que são meus livros para chorar, pois é impossível sair deles sem derrubar nenhuma lágrima.

Ainda estou com problemas para conseguir descrever A Grande Solidão. A questão é que todos os livros da Hannah são pesados, principalmente em sentimentos, mas acho que esse é ainda mais pesado que os outros.

Foi a obra em que menos chorei, mas talvez uma das que tenha mais me pesado na alma. Acho que essa é a palavra principal para descrever o livro: pesado, em vários sentidos.

A Grande Solidão conta a história da família Allbrights, principalmente de Leni, a filha. Cora, a mãe, deixou sua família abastada para fugir com Ernt, o pai, quando ficou grávida na adolescência. De acordo com Cora, Ernt era maravilhoso, até ir para a guerra.

Leni mal se lembra do pai antes da guerra, mas tenta se agarrar a esperança da mãe, tendo em vista que Ernt foi feito prisioneiro de guerra e, supostamente, voltou bem diferente do que era. Ernt não para em emprego nenhum, quer se mudar de local com frequência, gasta dinheiro com o que não deve e tem problemas com bebidas. É isso que você percebe nele no início, mas piora... piora bastante.

Ernt recebe uma carta do pai de um amigo de guerra dele que foi feito prisioneiro junto e morreu na sua frente. A carta diz que esse amigo lhe deixou terras no Alasca. E assim Ernt resolve que é um grande ideia ir para o Alasca viver da natureza. Como Cora sempre concorda com ele, em pouco tempo a família está indo para o Alasca.

Ao chegar no local conhecem uma população maravilhosa que ajudam uns aos outros, mas também tem que se acostumar com sua casa ser uma cabana, com uma latrina externa, sem energia elétrica e água encanada. O local é lindo, mas também perigoso, tem ursos, lobos e o gelo pode ser bem perigoso. Desde o início são alertadas sobre os perigos do Alasca e sobre o inverno, no qual a escuridão pode durar 18h por dia.

A questão é que aos poucos vão descobrindo que Alasca pode ser um lar, mas Ernt é o perigo que está presente nesse lar. O perigo de fora nem se compara ao perigo que elas tem em casa.

Admito que penei um pouco no início do livro quando ocorre a apresentação dos personagens, mas depois que passa isso a leitura só vai. Li a obra em três dias e achei ela maravilhosa.

Contudo, saliento que em vários momento você vai ficar irritada. Ernt é um merda (e estou sendo bondosa em chamar ele só disso). Talvez não fosse antes da guerra, mas no decorrer do livro ele é um merda total. E Cora, seja por medo, seja por um amor doentio, atura muita merda.

Acho que eu não ficaria tão p* com ela se não fosse por Leni. No momento que você tem um filho cabe a você protegê-lo, inclusive do próprio pai se necessário. E Leni é submetida a uma vida obscura por causa da permanência da genitora com Ernt.

Por outro lado, Leni é aquela personagem que cresce perante seus olhos, que aos poucos vai entendendo o mundo e vendo com clareza o que acontece ao seu redor. Você torce com ela, sofre com ela e se emociona com ela.

Como disse antes, o livro é pesado. Mas é uma história que acontece em vários locais do mundo, na parte de sua essência, infelizmente.

Outrossim, faz você ver como o Alasca pode ser incrível e te faz ficar com vontade de ver a beleza que é retratada na obra.



Continue Lendo

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Dica sobre descontos.


Oi gente.
Vim falar para vocês de um site de cupom que possivelmente vocês já conhecem, mas que sempre vale a dica, visto que todos nós gostamos de descontos nas nossas compras.
O Cupom Válido reúne cupons de descontos de várias lojas (várias mesmo - Saraiva, Submarino, Americanas e Amazon inclusos - normalmente são esses sites que uso para comprar livros).
Basicamente funciona assim: 

Cupom de Desconto com Código: Você escolhe a loja -> na lista de cupons da loja clica em um dos cupons listados -> copia o código que vai aparecer - > aplica no carrinho de compras ou na tela de pagamento.

Cupom de Desconto através de Link (Sem Código): Você escolhe a loja -> na lista de cupons da loja clica em um dos cupons listados -> será redirecionado para a loja através de um link especial que fornece o desconto automaticamente nos produtos -> vai aparecer o desconto automaticamente ou no carrinho de compras.

Então na próxima compra passem lá e testem.
Depois me falem o que acharam. ;)

Site: Link.



Continue Lendo

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Hiatus.


Olá.
O aviso que vim dar é meio óbvio para quem segue o blog: ele estará em hiatus até início de 2020.
O motivo é simples: atualmente não tenho tempo de me dedicar a ele. Estou estudando para passar em concurso público e não tenho um tempo certo para ler livros, fazer postagens, divulgar, fazer promoções e etc.
Então resolvi que quanto aos livros que eu ler nesse período serão feitas resenhas para serem lançadas no ano que vem, quando planejo reativar o blog, pois não adianta fazer algo mal feito nesse período para tentar deixá-lo online.
Não desisti do blog, somente tirei um tempo que preciso para organizar minha vida, afinal o blog me dá gastos e não renda e como todas as pessoas preciso de uma fonte de renda e quero trabalhar em algo que eu goste, assim você trabalha feliz.

Meu carinho para todos vocês. Podem ter certeza que todos já me fizeram feliz por estarem aqui. Não tenho como agradecê-los. Até 2020 (ou antes se quiserem conversar e me mandar e-mail: caths_m@hotmail.com).
Beijos.
Continue Lendo

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Resenha O Guia do Viajante do Caminho de Santiago - Uma Vida em 30 Dias de Daniel Agrela.


Título: O Guia do Viajante do Caminho de Santiago - Uma Vida em 30 Dias.
Autor: Daniel Alegra.
Editora: Generale.
Número de páginas: 168.
Ano de lançamento: 2013.
Cortesia da editora.

Sinopse:
Fazer o Caminho de Santiago é realizar um projeto de vida. Ao longo de mais de doze séculos, inúmeros viajantes de diversos países e culturas deixam suas casas a fim de percorrer a pé um trajeto de oitocentos quilômetros pelo norte da Espanha. Mas qual a motivação por trás de todo esse esforço? Muitas! Mas o que a maioria dos viajantes procura mesmo é o autoconhecimento, a fim de se tornar pessoas melhores. Eles querem liberar-se de pesos, sofrimentos, angústias e estresses, assim como buscam refletir muito, para, a partir disso, enxergar a vida de uma maneira diferente. Isso faz o Caminho de Santiago ser um divisor de águas na vida do viajante. Neste guia, você encontrará muitas dicas, mapas topográficos de todas as etapas, orientações sobre em que época ir, o que levar, onde comer, assim como encontrará histórias do caminho e tudo o que é preciso saber para tornar seu sonho de fazer a rota de Compostela uma realidade.
Opinião: 

O livro traz uma visão completa e muito sensitiva do que é passar pelo Caminho de Santiago. O autor detalha de forma bastante fascinante e sincera de como é tomar a decisão de fazer essa jornada tão desafiadora. O Caminho de Santiago atualmente é considerado a maior rota de peregrinação do mundo, praticada por pessoas de todas as idades, religiões ou aventureiros em busca de diversos objetivos. E existem várias rotas possíveis, sendo a mais comum delas a do Caminho Francês, que são em média 800 quilômetros de jornada. São vários os motivos que levam as pessoas a trilharem o Caminho de Santiago de Compostela, seja sair da pressão do cotidiano, um momento sabático, uma aventura nova, a experiência ideal para esquecer uma grande dor ou até um impulso impensado a maioria dos motivos levam geralmente para o mesmo objetivo: uma jornada para o autoconhecimento. Com essa premissa, o guia traz detalhadamente tudo e muito mais do que você poderia precisar de ajuda e de dicas para trilhar nessa experiência.

Com a ajuda de mapas, questões sobre o que te levaria a fazer o caminho e até como lidar nos momentos em que você pensa em desistir de completar essa jornada é abordado de forma bastante envolvente neste guia. A sensação que dá é que o autor é aquele seu melhor amigo extremamente detalhista que deseja que você tenha a melhor experiência possível ao fazer algo que ele já fez. Dá uma sensação de conforto e até começa a te desafiar a ter uma história parecida. 

Dividido em três partes o livro aborda a Orientação - que tem como objetivo apresentar o Caminho de Santiago, abordando histórias do percurso, personagens que chamaram a atenção, o significado da peregrinação, quais as possíveis rotas que podem ser utilizadas, quando fazer o percurso e os custos estimados; a Preparação - onde o autor aborda tudo o que você necessitará planejar e ter para fazer o Caminho, de condicionamento físico, educação alimentar e até o que levar na bagagem; e por fim, a terceira parte traz o Direcionamento - em que o autor traz a parte prática do livro, apresentando um descritivo de todas as etapas para a realização do Caminho, as informações e características de cada local que o peregrino irá passar durante o percurso. 

Particularmente fiquei extremamente fascinada pelo Guia. É encantador, sem dúvidas. Me deu uma vontade desesperadora de fazer a peregrinação, até dá um friozinho na barriga quando você lê! O autor não traz de forma sistemática como um manual de instruções, ele faz com que você sinta como a experiência é tão emocional, espiritual e sensível quanto física e aventureira. Se você está interessado em ter uma experiência incrível, bem excêntrica, original e ter toda a ajuda possível para tal, esse guia com certeza é para você! Juro que nunca havia pensado muito em fazer esse tipo de jornada. Apesar de ver em filmes e seriados algumas histórias semelhantes, nenhuma delas me envolveu tanto quanto o que é relatado e ensinado nesse guia. 

De início o autor relata um pouco do que ele viveu, as pessoas que ele conheceu e até as dificuldades que passou. Nada de fantasia de que tudo vai ser incrível e você só irá ter memórias de contos de fadas quando estiver trilhando esse caminho. O autor traz de forma crua, mas ao mesmo tempo muito apaixonante tudo o que você irá encontrar. Uma das partes que mais me chamou atenção e realmente tive certeza de que esse guia era incrível e desesperadamente útil para cada jornada dessa foi quando ele falou até sobre os calos dos pés e como cuidar deles! Fiquei muito apaixonada, sério. Ele até fala qual o melhor curativo e onde comprar. De que cajado seria o mais ideal para você até a onde a comida é mais barata e como descansar e descobrir como seu corpo reage e o que fazer é relatado de forma bastantes simples e gostosa de entender. Traz também detalhadamente quantos km andar por dia, onde você pode dormir e mapas de todos os dias da jornada.

Além de tudo isso, é relatado muito sobre o que você pode fazer com o seu tempo livre mentalmente. Traz conceitos como "walking meditation" do budismo, como reformular um projeto de vida, como utilizar esse momento como limpeza mental em um ano sabático e até uma reavaliação pessoal e profissional. Além de sua própria história, o guia ainda traz várias histórias diferentes e bastante únicas de todos os tipos de pessoas e suas experiências diferentes de antes, durante e depois de trilharem o Caminho de Santiago. Quase impossível você não se sentir conectado ou se identificar com pelo menos uma das histórias relatadas. No fim você está tão imerso no que pode acontecer que você está quase comprando botas novas e comprando suas passagens para a França com data para o próximo mês!

Sinceramente, não há palavras suficientes que eu possa descrever para vocês o tanto que esse guia é completo e maravilhoso. Ele traz dicas e macetes que talvez você nunca iria pensar. Fora que, na parte Direcionamento existem sempre páginas pautadas onde você pode ir anotando sua própria experiência durante o percurso! Ou seja, além de guia, ele é perfeito para ser usado como diário de bordo da jornada! E até uma parte no final para você anotar seus pensamentos e reflexões que obteve durante o percurso. E ainda mais, o guia ainda possui mapas de todos os locais e de todos os dias e fotos de todos os locais, paisagens e até das comidas oferecidas em determinados locais. Em anexo também contém fotos muito lindas e coloridas do que você vai encontrar e com frases de incentivo para o peregrino.

Resumindo, amei o guia. Passei horas me imaginando fazendo o caminho e até pesquisei como e quando eu poderia fazer essa jornada. Indico com toda a certeza de que você pelo menos poderá viajar junto com o autor ao ler essa obra. 




Essa mudança que ocorre no modo de ser de quem faz o caminho não acontece tão somente quando se chega a Santiago. Trata-se de uma mudança gradativa, que vai acontecendo dia após dia, quilômetro por quilômetro, no decorrer da peregrinação. Pouco a pouco.
Peregrinos com mais idade do que eu apresentavam um melhor desempenho, sentiam menos dores e caminhavam em seu ritmo. Foi então que me dei conta de algo fundamental: o Caminho de Santiago não é uma maratona e concluí-lo não é o objetivo principal. Essa percepção mudou minha forma de realizar as etapas em dois aspectos principais: Passei a caminhar no meu ritmo [...] e parei de pensar nas etapas que estavam por vir e passei a concentrar-me apenas naquela que estava realizando [...]. 
Nas duas vezes em que fiz o Caminho de Santiago, privilegiei três artigos de primeira necessidade para me acompanhar na viagem: mochila, botas e saco de dormir. Não economize nesses itens [...].
Composta por uma vista incrível, a Rota de Napoleão apresenta em grande estilo ao peregrino o Caminho de Santiago. A paisagem bucólica dos Pirineus, o silêncio, por vezes interrompido pelo sons das ovelhas e do vento, e o ar puro são características peculiares dessa região.
Continue Lendo

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Cine FB: Slender Man.


Título: Slender Man.
Duração: 1h 34 min.
Data de lançamento: 23 de agosto de 2018.

Sinopse:
As amigas Wren, Hallie, Chloe e Katie levam uma vida entediante no colégio. Quando ouvem falar num monstro chamado Slender Man, decidem invocá-lo através de um vídeo na Internet. A brincadeira se transforma num perigo real quando todas começam a ter pesadelos e visões do homem se rosto, com vários braços, capaz de fazer as suas vítimas alucinarem. Um dia, Katie desaparece. Como a polícia não dispõe de nenhuma prova para a investigação, cabe às três amigas fazerem a sua própria busca, enfrentando a criatura.

Opinião:

Pelo Brasil o Slender Man não é muito conhecido, mas existem lugares no mundo em que é. Ele é um monstro sem rosto que quando chamado pode te enlouquecer, te fazer desaparecer ou te matar, ao menos é assim que o filme o apresenta.

Tudo começa quando quatro amigas resolvem ver um vídeo na internet para invocá-lo. Primeiramente nada acontece além de pesadelos, mas depois uma dessas amigas desaparece.

Após, uma das outras três amigas resolve descobrir mais sobre esse monstro para tentar salvar Katie, a garota que desapareceu, convencendo as outras amigas a ajudá-la. Só que o as coisas não saem como esperado e cada vez mais Slender Man está presente na vida das garotas, fazendo com que o caos se instaure.

O filme começa bom, tem cenas clássicas de terror, o "está lá, está aqui", mas peca no final. Pelo meio do filme comecei a perguntar como acabaria, pois não parecia ter nenhuma saída satisfatória para ele e o que acontece não é satisfatório, embora concorde que é o mais dentro do contexto possível.

Outra coisa que achei um pouco fora da realidade é a reação ao desaparecimento de Katie. As amigas no começo não parecem sentir muito o sumiço e logo que as coisas ficam mais estranhas uma delas até encontro com um colega marca, tipo, minha amiga sumiu, minha vida está uma loucura, mas vou lá dar uns pegas. É estranho, ao menos ao meu ver.

Em geral o filme não surpreende, é algo para passar o momento, não é um grande filme, mas não é uma porcaria, acho que se pode dizer que é médio/baixo.




Continue Lendo

sábado, 8 de dezembro de 2018

Cine FB: Goosebumps - Monstros e Arrepios.


Título: Goosebumps - Monstros e Arrepios.
Lançamento: 22 de outubro de 2015.
Duração: 103 minutos.

Sinopse:
Chateado por ter se mudado de uma cidade grande para uma pequena, o adolescente Zach Cooper (Dylan Minnette) encontra um pouco de esperança quando descobre que uma linda garota, Hannah (Odeya Rush), mora na casa ao lado da sua. Mas cada moeda tem dois lados, e a má sorte de Zach começa quando ele descobre que Hannah é filha do misterioso escritor R. L. Stine (Jack Black), o autor da aclamada série de livros “Goosebumps”. Acontece que há uma razão para que Stine seja tão estranho... ele é prisioneiro de sua própria imaginação! Os monstros que tornaram seus livros tão famosos são reais, e Stine os mantém presos em seus livros para proteger seus leitores. Quando Zach acidentalmente liberta todos os monstros de alguns manuscritos e eles passam a assombrar a cidade, cabe à Stine, Zach e Hannah a tarefa de trazer todos de volta aos livros que pertencem.

Opinião:

Não é segredo para ninguém que segue o blog que sou totalmente viciada por R. L. Stine. Infelizmente não li todas as obras por um motivo bem simples: falta de dinheiro para comprá-las, mas espero um dia completar a coleção.

Minha série preferida dele é Rua do Medo, mas também adoro Goosebumps. Assim, quando saiu o filme queria ir ver no cinema, mas não fui novamente por questões financeiras.

Então agora ele entrou no catalogo da Netflix (Netflix te amo) e assim que vi isso parei um tempinho com meu namorado para assistir.

O filme segue muito o estilo dos livros, me fazendo relaxar e desejar viver em um mundo tão mágico quanto, embora ache que teria um ataque cardíaco se visse um boneco falando literalmente, haha.

No filme, Zach acaba de se mudar para uma cidade pequena, pois sua mãe será vice-diretora do colégio da cidade. Logo no dia da mudança ele conhece seus vizinhos: a adolescente Hannah e o pai muito estranho dela: R. L. Stine.

Hannah "estuda" em casa e seu pai não deixa ela sair para nenhum lugar, mas é óbvio que ela como toda adolescente não obedece e acaba saindo com Zach.

Contudo, logo depois, Zach, da janela do seu quarto, presencia uma briga entre Hannah e seu pai e aciona a polícia achando que se tratava de violência doméstica.

Acontece que os policiais da cidade não prestam para nada e quando Stine mente que Hannah saiu da cidade eles acreditam e vão embora.

Porém, Zach não acredita e liga para Stine fingindo ser da polícia, para que possa invadir a casa e achar Hannah.

Nesse momento, ele chama um colega seu para ajudar, e a confusão começa, pois eles abrem um dos livros lacrados que se encontram na biblioteca de Stine e do livro sai o homem das neves.

A partir desse momento eles começam a ter que colocar os "monstros" que soltaram de volta dentro dos livros e por óbvio o tumulto está instalado.

Posso dizer que adorei o filme, com exceção de alguns momentos babacas, como os policiais bobalhões.

É uma excelente dica para passar o tempo, mas lembro que sou fã do Stine, então sou um pouco suspeita, rsrs.


Continue Lendo

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Resenha Caveiras de Vitor Abdala.


Título: Caveiras.
Autor: Vitor Abdala.
Editora: Generale
Número de páginas: 190.
Ano de lançamento: 2018.
Cortesia da editora.

Sinopse:
“O menino correu pelas ruas escuras da favela olhando a todo momento para trás. Seus perseguidores gritavam para que parasse, mas ele sabia que não deveria. Talvez conseguisse chegar à sua casa se tivesse sorte. Era sua única chance. Em sua ingenuidade infantil, esperava que a mãe o protegesse”. Numa favela do Rio de Janeiro, Serginho, um menino de apenas 12 anos, é executado com um tiro na cabeça dentro de sua própria casa por cinco homens fardados de preto. Segundo a mãe do garoto, os assassinos são policiais da tropa de elite. O crime está envolto em mistério. Afinal, os caveiras, integrantes do respeitado batalhão, executaram o menino? E por que teriam feito isso? Ivo, um jovem repórter do jornal O Carioca, começa, então, uma busca para saber a verdade por trás dessa história. E, quanto mais ele aprofunda a investigação, mais se aproxima de um terrível segredo que envolve a tropa de elite. Agora, a vida de Ivo e de sua família está em risco. Caveiras é um suspense policial com elementos de horror sobrenatural que mergulha na violência do Rio de Janeiro.
Opinião:


Pessoal não sei como descrever esse livro. Meu estilo de leitura nunca foi a literatura policial, mas quando vi a sinopse pensei: parece interessante uma obra que conta um pouco sobre a tropa de elite, afinal de contas já fizeram até filmes sobre ela. O que realmente não esperava era o quão profundo seria a parte sobrenatural do livro. Pessoalmente, acho que essa parte foi bacana e bem trabalhada, mas preferia que o autor não tivesse levado para esse lado fictício.

O livro começa a história em uma favela do Rio de Janeiro, durante um tiroteio entre a Tropa de Elite e um grupo de traficantes do morro. O problema é que o chefe do tráfico foi assinado a queima roupa e não na troca de tiros e Serginho foi testemunha do crime. Para azar de Serginho, os policiais enxergaram ele, então ocorreu uma corrida desenfreada para conseguir fugir deles e chegar em casa, onde Serginho achou que estaria seguro com sua mãe. A pobre e inocente criança que acreditou na bondade da humanidade, mesmo conseguindo o feito de entrar em casa, foi arrancado dos braços de sua mãe e assassinado enquanto ela assistia essa crueldade.

Acontece que Ivo um jornalista da coluna policial, quando vai pesquisar no batalhão o que aconteceu nessa operação na favela, a princípio para saber o que foi apreendido e quantas mortes ocorreram, se depara com a mãe de Serginho e acha muito suspeita a história da senhora, começando a investigar. Não quero dar spoiler do livro, então não vou contar as descobertas do Ivo. O que posso dizer para vocês é que rola muita ação, perigos e coisas sobrenaturais.

O livro é uma leitura ótima, li ele muito rápido, mas demorei para escrever a resenha para vocês porque sou atrapalhada na vida!!! 
O meu único problema com o livro foi com final, mas acredito que seja baseado na minha reclamação da parte sobrenatural do livro, pois acho que a história seria bem mais rica se fosse explorado a realidade, que afinal de contas, também sabe ser tão (ou mais) cruel quanto o que foi apresentado no livro.





Então, eles fizeram um circulo, de mãos dadas, e começaram a orar. Ficaram ali orando por cerca de uma hora. Os 20 irmãos cristãos permaneceram no quartel, excluídos da missão da qual os demais participavam.
Fátima entrou no quarto e perguntou por que eu chorava. Tentei desconversar. Não queria revelar o motivo das minhas lágrimas. Não queria que ela também perdesse a crença na humanidade.
Perguntei ao sargento se ele achava que seus colegas poderiam ter sido submetidos a ingestão de substancias psicotrópicas naquele ritual. Se não era por isso que eles ficavam estranhos.
Clique na imagem para aumentá-la.
Continue Lendo